Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

07
Ago17

Experiências gastronómicas: Quinoa

 

Finalmente experimentei a tão falada QUINOA! E o que é que eu tenho a dizer dela? Bem! Vamos por partes…

 

Há já imenso tempo que ouvi falar da Quinoa, muito por causa dos programas que assisto através do 24Kitchen. Na altura, fiquei curioso em relação a ela, pois diziam que a Quinoa era um ótimo substituto do arroz. E como eu adoro arroz, achei que deveria experimentar esta semente. Na verdade, demorei imenso tempo a experimentar e isso porque andei sempre com um pé atrás em relação a ela. À semelhança do que aconteceu com as Papas de Aveia, sempre vi comentários de pessoas que adoravam a Quinoa, assim como também vi comentários de quem detestava e de quem não achasse nada de especial. Todos esses comentários fizeram com que eu ficasse um pouco receoso e na dúvida se devia ou não experimentar. Mas há uns meses atrás, comprei um pacotinho pequeno de Quinoa, e esse pacote lá foi ficando na minha dispensa até ao dia de hoje. Ao dia em que resolvi pegar e experimentar.

 

Receitas com Quinoa é coisa que não falta. Há imensas formas de experimentar a Quinoa, seja mesmo como acompanhamento e substituto do arroz, como também dá para usar ele para almondegas, croquetes, hambúrgueres ou até mesmo saladas. Foi através de uma salada que eu resolvi experimentar. Pesquisei nos meus livros de receitas e em alguns sites, uma boa receita de salada que usasse a Quinoa e optei por usar uma receita da net como base, mas dando uns toques pessoais. O resultado final foi uma SALADA DE QUINOA COM FRANGO, NOZES E BRÓCOLOS. Houve pelo meio uns outros ingredientes, mas no final deste artigo, apresento-vos a receita. E o que dizer em relação a esta salada?

 

Eu adoro frango! Adoro também brócolos! É sem dúvida alguma, a couve que eu mais aprecio. Para além disso eu adoro ainda as nozes. Por isso, juntando tudo numa única salada, achei eu que o resultado seria perfeito, mas… a Quinoa não me convenceu. Logo na hora de cozer a Quinoa e de provar já depois de estar cozida, a coisa não foi muito do meu agrado. Mas resolvi dar um veredicto final, só mesmo quando a Quinoa se juntasse aos outros ingredientes. O problema mesmo foi quando já estava tudo interligado e provei. Aí cheguei mesmo à conclusão de que a Quinoa não era uma coisa que eu quisesse comer com mais frequência. De forma alguma irei conseguir substituir o arroz que eu tanto adoro, por esta semente. Não posso dizer que seja péssima, assim como também não sou capaz de dizer que é deliciosa. Simplesmente achei que é daquelas coisas que se prova e não se dá nada por ela. É insignificante e achei que só os brócolos com o frango e as nozes, fariam uma salada perfeita. A Quinoa não veio a acrescentar nada. E agora que experimentei, será que tenciono voltar a experimentar, dando um uso diferente à Quinoa? Acho que sim! Acho que sou capaz de dar uma segunda oportunidade à Quinoa, nem que seja para fazer uns hambúrgueres que tanta falta me estão a fazer nessa longa caminhada de perda de peso.

 

20170803_123107.jpg

 

E agora sim, como prometi, aqui fica a receita da Salada de Quinoa com Frango, Brócolos e Nozes (e mais ainda alguns restinhos de coisas que estavam no frigorifico). Para a salada vão precisar de: 1 chávena de Quinoa; 1 peito de frango; brócolos q.b; nozes q.b; salsa picada; queijo feta q.b; alho; azeite; sal, pimenta e paprika q.b.

 

E a sua preparação é simples. Basta cozerem a Quinoa como se estivessem a cozer o arroz, ou seja, para 1 chávena de Quinoa, usem 2 chávenas de água para cozer. Tempera-se a Quinoa com uma pitada de sal.

 

O peito de frango é cozido numa água com sal, pimenta e um dente de alho e aproveitando a cozedura do frango, os brócolos são cozidos a vapor. Já com tudo cozido, numa tigela grande, junta-se a Quinoa com o frango cortado aos pequenos cubos, os brócolos igualmente cortados e acrescenta-se os outros ingredientes: nozes cortadas aos pedaços, salsa picada e queijo feta também cortado aos cubos pequenos. Tempera-se tudo com sal, azeite, pimenta e uma pitada de paprika e… está pronto a servir.

 

Para acompanhar esta salada, aproveitei o que sobrou de uma alface iceberg e lá tive o meu almoço. Experimentem e partilhem depois as vossas opiniões…

01
Ago17

Experiências gastronómicas: Papas de Aveia

20170731_080507.jpg

 

Sempre fui pessoa de tomar o pequeno-almoço. Sou incapaz de sair de casa sem o tomar e nos dias em que realmente saio sem parar para tomar o pequeno-almoço, sei logo de imediato que o dia irá ser recheado de muitos erros alimentares. Para não correr esse risco, o pequeno-almoço é sagrado!

 

E falando de pequeno-almoço, ao longo dos anos fui variando muito o meu cardápio. Quando era mais novo, não abdicava do meu leitinho com chocolate e um pão geralmente com muita manteiga, queijo e fiambre. Às vezes tinha a sorte de ter um croissant misto a acompanhar o leite e esses dias eram maravilhosos para mim. Com o passar do tempo, achei que só o pão com o leite não era o suficiente e por isso, fui alternando os dias com o pão com leite e com cereais. Tornei-me fã dos cereais, mas só daqueles para os mais gulosos. Daqueles cereais que têm muitos bonecos pela capa, tipo Chocapic, Estrelitas, Crunch, entre tantos outros. Mas também aí as coisas foram mudando com o tempo. Ao perceber que estava a ganhar peso e ao saber que o pão misto com leite e chocolate e a taça de cereais cheias de açúcar, não eram de todo a refeição mais saudável, comecei a ver os pequenos-almoços com outros olhos. Mantive-me com os cereais, mas desta vez, optei por aqueles cereais sem graça, tipo Fitness, Kellogg´s e a acompanhar com uma peça de fruta. E de há uns tempos para cá, voltei a mudar os meus hábitos matinais. Os cereais mantiveram-se uma vez mais, mas evolui para a granola. E em vez do leite (de vaca) que decididamente eu detesto e faz-me mal, optei por juntar iogurte grego. O problema é que o iogurte grego não é de todo a melhor opção para quem quer perder peso e por isso, voltei uma vez mais a mudar. Eliminei o iogurte, e passei a comer a granola juntamente com leites vegetais. Mas a evolução do meu pequeno-almoço não ficou por aqui. Com a última visita à nutricionista, vi que existiam outras possibilidades saudáveis e que faziam com que eu variasse mais vezes ao longo dos dias.

 

É aí que surge a Aveia na minha vida. Eu nunca tinha experimentado os flocos de Aveia (como agora está muito na moda por causa das papas). Eu aliás já tinha ouvido vários comentários de pessoas que diziam que detestavam, e outras que gostavam assim-assim. Por causa desses comentários, nunca tive grande interesse em experimentar, até porque, desde pequeno eu nunca fui adepto de papas. Mas como eu sou uma pessoa que até gosta de um bom desafio e de experimentar coisas novas, resolvi aderir às papas de Aveia e… não é que eu tenho gostado daquilo?!

 

Bem! Não vou ser falso ao ponto de dizer que aquilo é delicioso. Não é! Mas come-se! É bom e acima de tudo é bastante saciável. Deixa-me satisfeito logo pela manha e é uma ótima alternativa aos habituais pequenos-almoços que eu tinha. É claro que não vou comer Papas de Aveia todos os dias, mas nesse meu plano alimentar, pelo menos duas vezes por semana, as papas estão incluídas no meu menu para o pequeno almoço. O truque para não estar a comer sempre a mesma coisa, é ir variando. E existem várias receitas diferentes de Papas de Aveia, eu inclusive vou partilhar com vocês a primeira de todas que eu fiz. No entanto, em dois livros que eu já comprei “Cozinha Vegetariana para quem quer ser saudável” e no “Cozinha 100% Vegetal e Saudável”, existem outras tantas receitas. É só fazer, experimentar e tornar o pequeno-almoço mais rico e saudável.

 

E se tu és daqueles que também está com um pé atrás em relação aos Flocos de Aveia, não hesites agora em deixar de experimentar. Faz como eu! Aceita o desafio e experimenta. Algo me diz que também irás gostar. E agora sim! Para quem quiser experimentar, aqui fica a receita simples, muito simples de uma Papa de Aveia com Banana.

 

Só precisas de: 6 colheres de sopa de flocos de aveia; 1 banana pequena (ou 1 maça); 150ml – 200ml de água; Canela; limão.

 

E com esses ingredientes só tens que os colocar a todos em lume (brando) e mexer até obter uma papa. Se preferires, podes fazer a papa no dia anterior, guardá-la no frigorifico e aquecer de manhã.

 

Experimenta e depois diz-me qualquer coisa…

21
Jun17

Experiências gastronómicas: Queijo Quark

82-queijo-quark-1.jpg

 

Há umas semanas atrás, fui a uma consulta de nutrição oferecida pelo ginásio que eu frequento. Por ser oferecida, não estava muito confiante em relação à consulta, mas acabei por ir, na tentativa de conseguir ajuda a melhorar os meus hábitos alimentares. Numa primeira consulta, a doutora encheu-me de perguntas, para saber aquilo que eu gostava ou não gostava de comer. Para saber quais os meus hábitos alimentares, para ir à balança e estipular objetivos. Depois do interrogatório, agendamos uma nova data, para ir lá buscar o plano de alimentação e foi o que fiz. E com este artigo, não vou ficar por aqui a falar detalhadamente desse plano que aviso desde já não estar a seguir com todo o rigor necessário, irei sim falar-vos de algo que a doutora sugeriu que eu passasse a comer e por isso, aqui vai mais um episódio das minhas experiências gastronómicas.

 

Eu não sou fã do leite. Se tiver que fugir a ele, eu fujo! Odeio leite (de vaca) e muito raramente, só mesmo quando não tenho outras hipóteses, é que recorro ao leite, mas só se for magro. E já tentei beber outros leites – de origem não animal – mas cheguei à conclusão de que também não sou muito fã. No entanto, de há uns tempos para cá, tornei-me fã do Iogurte Grego, aquele mesmo natural e que se vende em embalagens de 1 litro. Para o meu pequeno almoço eu já não dispenso duas colherzinhas de Iogurte Grego com granola e fico satisfeito com isso. Mas, com essa ida à nutricionista, fui recomendado a deixar de lado o Iogurte Grego (por ser mais gordo) e optar por uma solução mais saudável. Solução essa que passa por trocar o Grego pelo QUEIJO QUARK. E o que é que eu tenho a dizer em relação ao Queijo Quark?! É simples! E em uma só palavra eu digo: ODEIO!

 

20170418_120809.jpg

 

Sim! A minha experiência com o Queijo Quark não foi das melhores. Eu, aceitando a sugestão da nutricionista, lá acabei por comprar uma embalagem do queijo (da marca que se vê na imagem) e achando que ia gostar, pois eu acho que já aqui disse uma vez que sou um verdadeiro fã de queijo, experimentei o queijo de diversas formas, mas não dá! Não dá mesmo para comer. Odiei o seu sabor, odiei a sua textura e acreditem ou não, tive que jogar a embalagem no lixo com o queijo ainda a meio, pois aquilo não só foi odiado por mim, como também foi odiado pelas pessoas que vivem comigo. Ninguém gostou! Experimentei com a granola, experimentei sozinho, experimentei com uma tosta, com aquelas tostas de milho e em todas as formas, aquilo tinha sempre um sabor horrível. Um sabor azedo, um sabor a podre e tive mesmo que espreitar várias vezes a embalagem para ver se ainda estava dentro do prazo. Mas estava! E a verdade é que aquilo era horrível. Conclusão: desisti do queijo quark, mantive-me com o grego e se por causa disso eu não vou conseguir perder os quilos indesejados, então vou mesmo é ficar com esses quilinhos a mais.

 

E à semelhança do que aconteceu com o Tofu, que numa primeira experiência eu odiei e numa segunda eu já achei razoável, eu agora fico a pensar, será que com o Queijo Quark o mesmo pode acontecer? É que essa primeira experiência foi horrível. Só de pensar dá-me vontade de vomitar, pois vem-me aquele sabor amargo para a boca, mas… será que devo dar uma nova oportunidade ao queijo? Será que existe por aqui alguém que seja fã do queijo quark e consiga desafiar-me a experimentar novamente? Vou ficar à espera dos vossos comentários.

 

E, entretanto, para quem desconhece por completo o que é o Queijo Quark, aqui fica o link para a Wikipédia da vida, para saberem um pouco mais sobre esse tipo de queijo fresco, que ao que parece, está muito na moda…

12
Jun17

Experiências gastronómicas: Tofu

Já há algum tempo que não passava por aqui, para partilhar com vocês os meus dotes culinários, mas hoje resolvi fazê-lo. Hoje arregacei as mangas, coloquei o meu avental e fui parar à cozinha, para dar asas a uma nova aventura gastronómica. E apesar da receita que resolvi fazer ser algo super, mas mesmo super simples, volto a salientar que foi mesmo uma aventura fazer este maravilhoso Alho-francês com Natas. Ou melhor, o resultado desta receita podia mesmo chamar-se Alho-francês com Natas mas em vez disso, opto por dar-lhe o nome de TOFU COM NATAS.

 

Tofu com Natas.jpg

 

Acho que já aqui mencionei várias vezes que eu não me importava nada de ser vegetariano. Se conseguisse, e talvez se tivesse realmente força de vontade, eu gostaria de abdicar de tudo o que é de origem animal e passar a ser vegetariano. Mas esse é um processo um pouco complicado. Adoro hambúrguer e apesar de já ter ouvido falar que é possível fazer hambúrguer vegetariano e que são uma verdadeira delícia, a verdade é que ainda me sinto agarrado à carne. Por agora sinto que não consigo abdicar de vez da carne, mas tento a todo o custo ter uma alimentação mais saudável e volta e meia, arrisco em aventurar-me nas receitas vegetarianas e saudáveis. E a receita que fiz hoje é isso mesmo: vegetariana e saudável! Bem! Para falar a verdade não é propriamente vegetariana, pois em vez de natas de origem vegetal, eu comprei um pacote de natas normais (de origem animal), pois era a metade do preço. E depois, para fazer o molho bechamel, usei também leite de origem animal. Por isso, não é propriamente 100% vegetariano, mas quem quiser seguir à regra essa receita e torna-la 100%, então é só trocar o leite e as natas por origem vegetal e aí sim, teremos um prato vegetariano.

 

E porquê dar-lhe o nome de Tofu com Natas em vez de Alho-francês com Natas? É simples! Mas primeiro deixem-me contar-vos uma história em relação ao Tofu. Até ao dia de hoje, sempre que me falavam em Tofu, eu revirava os olhos e dizia que não gostava nada daquilo. Sempre gostei de soja e muitas vezes substitui a carne pela soja. Também gosto muito de seitan e há umas empadas de seitan deliciosas que se vendem no Celeiro. Mas Tofu era coisa que não me agradava nem um pouco. Tive uma experiência má em relação ao Tofu há uns anos atrás e por isso, nunca quis arriscar novamente em comê-lo, apesar de muitos serem aquelas que me diziam que era delicioso. Bastava saber tempera-lo, cozinha-lo e o resultado seria opimo. Mas nunca fiquei convencido em relação a isso. E porquê? Ora cá vai então uma pequena história.

 

Tofu2.jpg

 

Há uns bons anos atrás, numa das minhas férias em Itália, numa altura em que eu estava a descobrir e a alimentar ainda mais a minha paixão pelo sushi, fui com a minha irmã a um restaurante que servia comida asiática. Para além do sushi, havia ainda muitos outros pratos que se encontram pelos restaurantes chineses e que basicamente eu já conhecia e gostava. Como aquilo tratava-se de buffet, era só escolher entre uma grande variedade de comida e servir-se à vontade. Pois bem! Juntamente com outros pratos, encontrei por lá uma taça que continha uns belos cubinhos brancos. Ingenuamente, sem saber o que realmente aquilo era, achei que se tratava de queijo. E eu sou fanático por queijo. Adoro! Amo! Como tudo o que é queijo e por isso, achei eu que se tratava de um queijo qualquer e mesmo à bruta, peguei num pratinho pequeno, enchi-o com esses supostos cubinhos de queijo e levei-os para a mesa. E quando tive a infeliz ideia de colocar o primeiro cubinho à boca, deixem-me dizer-vos que tive mesmo vontade de vomitar. Odiei aquilo. Não propriamente pelo sabor, pois ele não sabia a nada, mas mais por causa da sua textura. Achei aquilo nojento e claro, não tive mais coragem de voltar a comer os cubinhos. Deixei-o de lado e apesar da recomendação de que não devíamos desperdiçar comida, aquilo ia mesmo ser dispensado. Só mais tarde é que fiquei a saber que aqueles cubinhos era nada mais nada menos do que Tofu. Tofu no seu estado mais natural possível e desde então, depois dessa experiência, nunca mais quis voltar a repetir.

 

No entanto, há bem pouco tempo, ao trabalhar com uma colega que apesar de não ser vegetariana, aposta muito nesse tipo de comida, ela fez com que eu voltasse a ter curiosidade em relação ao Tofu. Sempre me disse que aquilo era uma delícia e que o importante era mesmo saber temperá-lo e cozinha-lo. Enfim, ela desafiou-me a experimentar e como eu gosto de desafios, num belo dia, lá resolvi comprar uma barra de Tofu. Não comprei daquele todo branco que me fazia ter más recordações. Preferi comprar um que se chama Tofu Primavera, que na sua composição, vem já com azeitonas, pimentos e cenoura. Assim a cru e com algum receio, provei um pouco e acabei por achar que até nem era assim tão mau. E por isso, enquanto fazia aquele que era suposto ser apenas um Alho-francês com Natas, lembrei-me já quase no final da preparação, de que ainda tinha o Tofu no frigorifico e resolvi concluir a receita acrescentando o Tofu. E foi uma boa ideia. Já só com o Alho-francês estava delicioso e acrescentando o Tofu, ficou igualmente delicioso.

 

E como este post já está demasiado longo, vou deixar para um próximo post a receita detalhada deste maravilhoso Tofu com Natas, para quem quiser aventurar-se na cozinha. O resultado final, tenho a certeza absoluta que te vai surpreender a ti e aos teus convidados. E caso não queiras adicionar o Tofu, segue na mesma a receita e basta depois ignorá-lo. E caso ainda sejas um tremendo carnívoro e nem sabes, nem nunca ouviste falar do Tofu, então sugiro-te a conhecer o que é, através do maravilhoso Wikipédia e desafio-vos a provarem…

21
Jan17

Roda de Nutella | +Cozinha

Roda de Nutella.jpg

 

Há uns dias atrás, fui parar à cozinha para fazer uma Roda de Salmão, Queijo e Pesto. O resultado foi tão giro e tão bom, que acreditem, a roda não durou muito tempo. Foi devorada!! E por a ideia de fazer uma roda de massa folhada ser tão original, hoje resolvi dar novamente um pulo na cozinha, para fazer uma nova roda, desta vez com algo que é impossível haver alguém no mundo que não goste. Afinal de contas, quem é que consegue resistir ao delicioso Nutella?!

 

 

Para a receita de hoje, foram apenas necessários dois, ou três ingredientes e se para o dia de hoje, não sabes o que comer quando chegar a hora do lanche, então aceitem essa minha sugestão. Sigam a receita e façam também esta maravilhosa RODA DE NUTELLA, pois com ela, tenho a certeza que irás sentir-te um rei na hora do lanche.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

Continuação de um ótimo fim de semana, de preferência que seja doce, tão doce como a receita de hoje e caso venham a fazer esta Roda de Nutella, partilhem depois as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

07
Jan17

Lasanha de Carne | +Cozinha

Lasanha de Carne.jpg

 

Voltei à cozinha, para mais uma vez, sem nem sequer sair de casa, viajar até Itália que eu tanto adoro. Pois é! Se não há dinheiro para realmente viajar até lá, porque não fazer algo que me faça lembrar de Itália? Algo tipo LASANHA?! São servidos?!

 

Apesar de adorar Lasanha e deste ser um dos meus muitos pratos favoritos, a verdade é que por muitas lasanhas que faça – e já fiz mesmo muitas! – elas nunca chegam aos pés das lasanhas que eu já tive oportunidade de comer em Itália. Ou melhor! É estranho, mas nenhuma massa que eu tenha comido lá, ou até mesmo pizza e que depois tente recriar aqui em minha casa, fica a saber tão bem como as de lá. E olha que eu já segui as receitas à letra, com os mesmos tipos de ingredientes, mas não sei explicar, uma lasanha de lá, sabe sempre melhor do que uma lasanha daqui de Portugal. Porque será? Mas não nós deixemos enganar. Apesar das massas italianas serem uma autentica perdição, aqui em Portugal as massas também não nos desiludem. E esta lasanha que hoje fiz, não desilude mesmo! É boa! É mesmo muito boa! Só de olhar para ela já me dá vontade de atacar, mas… Atenção a tua dieta! Pois é! Por muito boa que seja, a lasanha tem que ser assim, tipo uma vez por mês. Que pena!!

 

20161104_140428.jpg

 

No meu reportório de receitas, existem imensas variedades de receitas de lasanha e todas elas são igualmente deliciosas. Já fiz lasanha de peixe, de camarão, de legumes, de soja, de atum, de frango, de beringela e claro, fiz ainda aquela que é a mais tradicional de todas, a LASANHA DE CARNE, que é a que eu hoje apresento-vos. Tomem nota da receita e caso não saibas o que fazer para o jantar, aceitem essa minha sugestão.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

E de barriga cheia, vou dar como terminada este post, mas já sabem, se tiverem coragem de reproduzir essa receita em vossas casas, partilhem depois as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

17
Dez16

Roda de Salmão, Queijo e Pesto | +Cozinha

Roda de Salmão Queijo e Pesto.jpg

 

Eu costumo dizer que tudo o que é feito em Massa Folhada, é sempre bom! Delicioso! Não há como errar. Seja em formato doce, ou salgado, se está em massa folhada então o resultado é sempre maravilhoso. E hoje, pegando na massa folhada, fui parar novamente à cozinha e o que fiz, foi uma roda de massa folhada que acreditem, é de chorar e pedir por mais.

 

Inspirada numa receita desta canal do YouTube – que devo confessar já ser um G-R-A-N-D-E fã – resolvi numa só receita, juntar 4 simples ingredientes que eu adoro. E se esses ingredientes a solo, já são super maravilhosos, juntando os 4 então ficou uma coisa do outro mundo. Ou melhor! É deste mundo mesmo, mas… só de pensar, já dá até água na boca. E os ingredientes de que estou a falar é simplesmente a massa folhada, o queijo, o salmão e o molho pesto que… Uiii lá lá!! Bons ingredientes não são?! E ao juntá-los, o resultado que deu foi esta RODA DE SALMÃO, QUEIJO E PESTO. É um receita super simples que eu recomendo que façam e depois comam com moderação. Deixem depois um pedaço para os familiares e amigos, caso tenham a força e a coragem de guardar esse pedaço de mau caminho.

 

 

A receita, como já aqui disse, é super simples. Não tem nada que saber e nem mesmo de enganar. E claro, fiz aqui algumas batotinhas e isso porque, utilizei massa folhada já feita. Temos que ser práticos! E fazer massa folhada de raiz, ainda não é para mim. Deixo essa tarefa complicada para a minha querida mãe, que essa sim, é a melhor a fazer massa. Eu, prefiro comprar aquelas já feitas que para além de serem boas, até são baratas. E quanto ao molho pesto, também optei por usar aquela já feita. Ou seja, fui ao supermercado e comprei um frasco. Mais prático que isso é impossível! E depois, com restos de queijos que tenham no frigorífico – coisa que eu até tinha – e com algumas fatias de salmão fumado, eu acredito que consigam sem dificuldade, recriar essa Roda da delícia.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

Se forem corajosos e se atiraram para a cozinha para fazerem esta Roda de Salmão, Queijo e Molho Pesto (não consegui arranjar outro nome mais original!), partilhem depois as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

10
Dez16

Bolachas (de Chocolate / Limão) | +Cozinha

Bolachinhas.jpg

 

Hoje fui novamente para a cozinha e se queres algo bom, barato e fácil de fazer para o teu lanche, então sugiro que coloques tu também um avental e vem comigo para a cozinha. Tenho a certeza que não te vais arrepender.

 

Eu gosto muito de Chá! Sim! É verdade! Adoro! No entanto confesso que quando chega o verão, eu praticamente nem me lembro deles. O calor é tanto, que tudo o que eu menos quero é pensar em coisas mais quentes ainda. Mas quando chega o outono, o tempo mais frio, toca a lembrar-me deles e a encher o meu armário de bons chás. Neste momento já tenho um bom stock de chás, de vários sabores, para me fazerem companhia nesses dias frios em que eu fico em casa, aconchegado com uma manta, sentado no sofá e a ver televisão. Sabe tão bem, não é?! E o que é que sabe melhor ainda? Umas deliciosas bolachas para acompanhar o chá. Uiii! Já estou com água na boca só de pensar! Mas eu não preciso pensar! Preciso é fazer mas… espera lá?! Eu já fiz! Pois é! Hoje fiz duas variedades de bolachas, que irão acompanhar os meus Chás das 5, para os próximos dias. E foram elas as BOLACHAS DE CHOCOLATE e as BOLACHAS DE LIMÃO. E através da foto, pode até nem dar para perceber, mas a verdade é que elas estão deliciosas. Arriscas a fazê-las?!

 

20161104_165246.jpg

 

Quanto à receita, para vocês fazerem, ela é muito simples! Basicamente as duas variedades de bolacha fazem-se das duas formas. A única diferença entre ambas é a óbvia. Enquanto que uma leva chocolate, a outra limão, mas o procedimento depois é o mesmo para as duas. Aliás! Tenho que confessar que esta receita de bolachas, foi retirada de um dos livros que acompanha a compra da Bimby. Pois é! Eu fiz elas através da Bimby mas claro, podem também ser feitas através de um outro processador qualquer. Tenho a certeza que o resultado será o mesmo. Mas sigam a receita e aventurem-se na cozinha.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

E agora que já há bolachas para o Chá das 5, pois eu acredito que venham a experimentar fazer, eu fico depois à espera que partilhem as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

26
Nov16

Caril de Frango | +Cozinha

Caril de Frango.jpg

 

Quem já me acompanhava no antigo blog, sabe que no que diz respeito ao Caril, eu tenho uma relação muito especial com ele. Eu adoro! Por mim, faria tudo com Caril pois eu não só gosto do sabor, como adoro a cor e o seu aroma é… enfeitiça! Enfim! Hoje, voltei à cozinha e mais uma vez fiz um prato, onde o Caril é a estrela principal.

 

Ao longo desta minha vida, desde que eu aprendi a cozinhar – e já lá vai muitos anos – eu já fiz muitas variedades de caril, seja ela com frango, peixe, camarão, lulas, enfim! A verdade, é que já fiz muito caril e todos eles estavam deliciosos. Já fiz com o caril em pó que se encontra a venda nos supermercados, já fiz com uma pasta verde de caril que também se encontra facilmente nas lojas e agora, comecei a gostar de fazê-lo com os tradicionais cubos da Knorr. Mas não são uns cubos quaisquer, são mesmo uns cubos de caril, que os acrescentando à receita, vai dar um toque mesmo muito especial. Eu já virei fã! Aliás! Para falar a verdade eu sou fã de quase toda a gama da Knorr e atenção! Infelizmente ninguém me pagou para fazer essa boa publicidade, mas que eles são bons, lá isso são! E foi com dois cubos desse Knorr de Caril, que eu para o meu almoço, cheguei a fazer este delicioso CARIL DE FRANGO. Delicioso mesmo! Arrisco até a dizer que este foi o melhor caril que eu já fiz, pelo menos até ao dia de hoje.

 

20161108_133551.jpg

 

Se através da foto, achas que tem bom especto, então acredita, se desses agora uma garfada no prato, irias adorar! E por isso, como não sou nada invejoso em relação às minhas coisas, vou agora partilhar com vocês, a receita deste maravilhoso Caril, que vale mesmo a pena experimentar.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

Se chegarem a ir para a cozinha, para fazer este Caril, partilhem depois as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

16
Nov16

A estranha moda dos cozinheiros sem roupa (continua...)

HotChef.jpg

 

E a saga dos cozinheiros despidos continua. Se na semana passada o Chef nu em destaque era o peruano Franco Noriega que é sem dúvida alguma apetitoso, hoje deixo-vos com mais um Chef que intitula-se de Hot e… ele é mesmo hot não é?

 

 

O seu nome é Pedro Carrasco, estudou numa das melhores escolas de cozinha no mundo, a famosa Le Corden Blue em Paris e pelo que ele promete, todas as semanas irá apresentar um vídeo no seu canal do YouTube com receitas deliciosas. Receitas tipo essa:

 

 

E então? O que acharam deste outro cozinheiro que vai para a cozinha fazer coisas deliciosas e nu? Eu não me importava nada de ter esse cozinheiro na minha cozinha. Duma coisa eu teria a certeza, passar fome eu não ia. Tenho a certeza que ele me alimentaria super bem e de todas as formas possíveis…

09
Nov16

A estranha moda dos cozinheiros sem roupa

Franco Noriega.jpg

 

Cozinhar está na moda! E isso vemos através dos muitos programas que se encontram pelos vários canais de televisão, e que são dedicados à paixão pela cozinha. Há os Masterchefs, os Best Bakery, e até canais inteiramente dedicados à cozinha, como é o caso do 24Kitchen e o Food Network. Mas cozinhar também está na moda pelos canais do YouTube. Hoje em dia, quem quiser aprender a fazer algo interessante, basta passar pelo YouTube, fazer uma breve pesquisa, que rapidamente irão encontrar uma série de youtubers com receitas curiosas. E se há uns tempos atrás descobri que já começam a surgir restaurantes, onde os clientes têm que ir completamente nus para a mesa, não é de estranhar que os cozinheiros também queiram agora cozinhar, completamente despidos, mas atenção! Não pode ser qualquer cozinheiro. Tem que ser um que dê mesmo vontade de comer. E olha que estou só a falar das comidas que eles fazem, se bem que, também a eles dá vontade de os comer.

 

Na antiga versão do MORE eu já aqui tinha falado do Chef Adrian De Berardinis, que tem um canal do YouTube, onde nos ensina a fazer receitas deliciosas mas o que salta á vista, não é propriamente as suas receitas mas sim o Chef em si. É que ele é conhecido por cozinhar nu. Não totalmente nu, pois ele usa um mini avental que tapa a parte mais sensível do seu corpo. Até porque, cozinhar com o ‘pepino’ à mostra, não deve ser das coisas mais higiénicas. No entanto, para além do Chef Adrian De Berardinis, há outros que estão a seguir os mesmos passos pelo YouTube. Completamente despidos, ou nem tanto, eles aproveitam a sua beleza e o seu carisma, para apresentarem receitas deliciosas. Um dos cozinheiros que ultimamente tem sido noticia pela internet, é este aqui:

 

 

O seu nome é Franco Noriega e ele tem feito um enorme sucesso pelas redes sociais. Apesar de ser do Peru, foi em Nova Iorque que ele começou a dar os primeiros passos na moda, tendo trabalhado com várias marcas de prestigio. Mas hoje, esse sensual peruano e cheio de pimenta por todos os lados, tornou-se num cozinheiro e tem já um restaurante em Manhattan. Pela sua beleza e por estar quase sempre despido, ele já tem uma legião de fãs pelas redes sociais e talvez devido a todo esse seu carisma, o jovem de 27 anos tem agora um canal no YouTube onde mostra-nos algumas receitas, tais como esta:

 

 

Mas… depois de verem o vídeo, sejam sinceros e me digam: será que prestaram mesmo atenção na receita? Se eu perguntar-vos que ingredientes é que ele usou, vocês conseguem dar-me a resposta completa? Eu calculo que não! Imagino que os vossos olhos tenham ficado centrado em outras coisas, não é verdade? Enfim! Estes são mais um dos vídeos que se encontram pela net e eu espero que gostem…

02
Out16

Peito de Frango Enrolado com Farinheira e Maça | +Cozinha

Um Homem na Cozinha.jpg

 

À semelhança do que já acontecia no passado, neste recomeçar do zero do MORE, vou continuar a partilhar com vocês, algumas das receitas que faço na minha cozinha. Como já devem saber eu adoro cozinhar e volta e meia lá vou eu para a cozinha preparar coisas deliciosas ou nem tão boas assim, pois por vezes as coisas até correm mal. Mas a receita que vou partilhar com vocês, que é da minha autoria, até correu muito bem e eu gostei imenso do resultado final. Um resultado bonito e cheio de sabor, que juntou duas das coisas que eu tinha por hábito não gostar, mas que agora até gosto. Estou a falar da farinheira e do couscous. Dois ingredientes que fazem parte deste Peito de Frango Enrolado e que é mesmo muito saboroso.

 

 

Se por acaso tiverem curiosidade em experimentar esta minha receita, aqui fica a lista dos ingredientes (para duas pessoas):

 

— 2 peitos de frango (abertos ao meio para enrolarem); 1 farinheira; 1 maçã (de preferência a Granny Smith); fatias de bacon; 100g de couscous; 1 beringela; salsa; água; sal, pimenta, alho (moído), cajus, azeite e molho de soja q.b.

 

E agora, se querem saber como ele foi preparado, vejam aqui, o seu modo de preparação que é muito simples:

 

— Começa-se por temperar os peitos de frango, que foram previamente cortados de forma a ser possível serem enrolados. Tempera-se com sal e pimenta.

 

— Corta-se a maça (com casca) aos pedaços e numa frigideira com um fiozinho de azeite, deixamos cozinhar a maça. Quando estiver quase amolecida, junta-se a farinheira já desfeita aos pedaços e deixa-se cozinhar. Quando estiver pronto, numa bancada colocamos algumas fatias de bacon estendidas, pois antes de colocar o recheio da farinheira e maça nos peitos de frango, primeiro fazemos uma espécie de almofadinhas de bacon, recheados com o preparado. Só depois aí é que colocamos essa almofadinha de bacon no centro do peito de frango e trabalhamos de forma a fazer um rolinho. De forma a ficar tudo direitinho, atamos o rolo com linha própria de cozinha, para depois ir tudo ao forno, com um bocadinho de azeite por cima.

 

 

— Enquanto os peitos estão no forno, prepara-se o acompanhamento que será o couscous. Na mesma frigideira onde fez-se o recheio para o peito, coloca-se uma boa dose de bacon cortados os pedacinhos. Deixa-se cozinhar até ele ficar estaladiço e crocante. Depois, acrescenta-se o restante da farinheira com a maça, que com certeza deve ter sobrado e deixamos cozinhar mais um pouco. Por fim, acrescenta-se ainda uma mão cheia de cajus cortados aos pedaços e envolve-se tudo, antes de juntar todo o preparado ao couscous.

 

— Para o couscous, ferve-se a água (100ml) temperada com sal, pimenta e alho. Assim que ferver, verte-se a água para cima do couscous para esse desidratar. Fecha-se o recipiente do couscous com pelicula aderente e deixa-se repousar durante cinco minutos.

 

— Entretanto numa grelha, deixa-se grelhar uma beringela cortada às fatias finas, para servir também de acompanhamento. Assim que elas tiverem grelhadas, tempera-se com azeite, pimenta e regamos com molho de soja.

 

— Para finalizar o couscous, assim que ele tiver desidratado, separa-se o couscous com um garfo e acrescenta-se a ele, o preparado de bacon, farinheira, maça e cajus. Acrescenta-se ainda, uma mão cheia de salsa cortada finamente. Tempera-se a gosto e quando o Peito de Frango Enrolado sair do forno, é só servir e… bom apetite!!

 

 

Cá em casa, todos adoramos esta receita que foi assim improvisada no momento e com toda a certeza, vou em breve repetir esta receita. E tu, caso arrisques a fazê-la, partilha as tuas opiniões, as tuas fotos e claro, sugestões são sempre bem-vindas. É porque este homem, apesar de andar pela cozinha, está longe de ser Chef…

14
Mar16

Um Homem na Cozinha | Sushi do Ó


 


Hoje proponho-vós um desafio. Como sabem, eu sou um grande amante do Sushi e por isso, sempre que posso, opto por fazer dessas iguarias, o meu almoço ou jantar. Neste caso, hoje foi para o meu almoço. Pois é! Mais uma vez acordei com vontade de comer Sushi e como nem sempre é possível ir a um restaurante, hoje optei por ser eu mesmo a fazer o meu Sushi. O SUSHI DO Ó, que tem também o nome do meu Sushi Pobre. E porque pobre?! Porque sem sair de casa, para não gastar nenhum tostão no supermercado, resolvi fazer o Sushi só com os ingredientes que já tinha aqui em casa. Por isso, sem qualquer pudor, ataquei o meu frigorifico, a minha arca e a minha despensa para ver se encontrava algo que desse para fazer o meu almoço e lá encontrei! Não foram muitas coisas mas já deu para aventurar-me. E o essencial, como era o caso do arroz, das algas e do vinagre de arroz, isso eu já tinha a certeza absoluta de que tinha. Depois, a esses ingredientes essenciais, juntei aquilo que encontrei na arca e o no frigorifico. Foram poucas coisas que encontrei, ficou a faltar o salmão, mas com aquilo que tinha, lá fiz um Sushi Pobre, que mesmo sendo pobre em termos de ingredientes, estava na mesma uma delícia. O meu almoço foi maravilhoso e espero que o teu também o seja.


 


E voltando ao desafio que falei logo no inicio deste artigo, hoje proponho que vocês façam o mesmo. Ataquem a vossa dispensa, a vossa arca, frigorifico, armários, o que for, e façam o vosso sushi com os ingredientes que encontrarem por lá. Depois tirem fotos dos vossos maravilhoso pratos e partilhem essas fotos comigo através do meu endereço de email (moremaisinfo@gmail.com). Eu próprio vou partilhar neste artigo as fotos daquilo que fiz e quanto à receita, não se preocupem que eu também irei partilhar. Se bem que, na minha opinião, para fazer Sushi não existe propriamente uma receita. Acho que isso passa mais por uma questão de criatividade e de gosto. Claro que é preciso primeiro seguir uma receita base para a preparação do arroz, mas depois de ele estar feito, acho que cada um é livre de fazer o sushi com aquilo que mais gosta. Neste caso, será com aquilo que irão encontrar nas vossas casas. Mas atenção! Para seguir esse desafio, será de facto necessário que tenham pelo menos três coisas essenciais para a elaboração dos vossos pratos. Ou seja, estou a falar do Arroz para Sushi, que já se encontra muito facilmente em hipers e supermercados e de várias marcas, estou a falar também das folhas de Alga Nori, que também já é um produto fácil de encontrar, assim como também o é, o vinagre de arroz para sushi. Tendo esses três ingredientes principais, o resto é com vocês. Puxem da vossa criatividade, e criem um almoço ou jantar delicioso.


 


Ah! Convém também, terem alguns utensílios essenciais para a elaboração do sushi, como é o caso de uma esteira de bambu, para poderem fazer os rolos na perfeição. Se bem que, desta vez, eu fiz o Sushi com um maravilhoso gadget que encontrei no Jumbo e que por 9,90€, prometia fazer uns rolos de sushi (e não só!) perfeitos. Aliás, o utensílio chama-se mesmo Perfect Roll e a coisa até funciona muito bem. Na minha opinião os rolos ficam assim um bocadinho gordinhos, mas a sério, a coisa até dá muito jeito. E para quem ainda não conseguiu ter jeito em criar os rolos de sushi com a esteira de bambu, este Perfect Roll dá uma imensa ajuda. Querem saber mais sobre ele, então espreitem o vídeo que encontrei a explicar como este gadget de cozinha funciona. E há ainda outro gadget que usei hoje pela primeira vez e que eu também recomendo. Ele é útil para fazer várias coisas, mas para este caso, utilizei-o para fazer o Sushi Prensado, outro modo de apresentar o sushi e que eu acho imensa piada. O utensílio chama-se Presto Foodstyle, paguei 10,90€ por ele e comprei-o na loja Tescoma no Centro Comercial Dolce Vita Tejo (podem ver uma demonstração do gadget aqui). Às vezes existem muitos utensílios parvos para a cozinha mas acreditem, esses dois que falei são bastante úteis e práticos. Vale a pena experimentar.


 


E agora chega de conversa! UM HOMEM NA COZINHA vai agora apresentar o seu sushi e fico à espera das vossas propostas.


 


RECEITA PARA O ARROZ DE SUSHI:


 


_A minha receita para o arroz é muito simples e básica. Já li em alguns sítios, tais como os livros que já aqui sugeri, receitas diferentes daquela que eu vou apresentar, mas a que eu faço, nunca me desiludiu e fica sempre muito boa.


 


_Eu já comprei arroz próprio de sushi de várias marcas, mas aquela que eu agora mais gosto é a do arroz Caçarola. Com uma medida de arroz e duas de água, o arroz fica na perfeição. Mas antes de colocar essa medida de arroz a cozer, lavo primeiro muito bem o arroz em várias aguas, até que a última água já saia translúcida. Deixo a água do arroz escorrer e entretanto, coloco as duas medidas de água ao lume. Assim que a água ferver, é então o momento de colocar o arroz e deixar cozer entre 10 a 15 minutos, sendo que os últimos minutos têm que ser em lume baixo.


 


_Retira-se depois o arroz da panela e coloca-se num recipiente. O ideal dizem ser de madeira, mas como não tenho recipientes de madeira, despejo mesmo o arroz para um pirex e deixo arrefecer. Entretanto, preparo o vinagre para temperar o arroz.


 


_E para o vinagre eu utilizo a mesma medida que usei para o arroz e a água. Mas utilizo apenas metade dessa medida com vinagre de arroz (próprio para o sushi), duas colheres de sopa de açúcar, meia colher de sopa de sal e vai tudo ao lume baixo, mexendo sempre até o açúcar e o sal dissolverem-se todos no vinagre.


 


_Depois do arroz arrefecido, verto o preparado do vinagre por cima e mexo o arroz com cuidado e... já está! O arroz fica pronto e delicioso para fazerem os vossos rolos. E fazerem-nos com o quê? Eu vou apresentar as minhas sugestões mas o ideal é vocês serem criativos com aquilo que têm em casa.


 


Futomaki 01


 


FUTOMAKI (é um rolo mais grosso de alga nori recheada com arroz)


 


_Para recheá-lo, usei uma pasta de atum feita com os seguintes ingredientes: atum em lata, cebola roxa picada, cebolinho picado, maionese, coentros em pó, piri-piri, pimento e cenoura picada.


 


Hosomaki 01


 


HOSOMAKI (é um rolo mais fino recheado com arroz e apenas um ingrediente)


 


_Nestes rolos coloquei delícias do mar e ainda uns pequenos camarões (cozidos) que tinha na arca.


 




 


ROLOS CALIFÓRNIA


 


_Nos rolos da primeira imagem, usei para o recheio delicias do mar, cenoura, alface e maionese.


_ Na segunda imagem, apresento três rolos diferentes em que no primeiro caso (esq.), recheei com camarão (cozido), cenoura, maionese, pimento e abacate. No meio, os rolos foram recheados com queijo creme com sabor a alho e ervas e ainda abacate. No terceiro rolo (dir.), usei a mesma pasta de atum que usei para fazer o Futomaki.


 



 


SUSHI PRENSADO / SUSHI EM FOLHA DE ARROZ


 


_Para o Sushi prensado, para além do arroz e da alga, por cima tinha uma pasta de delicias do mar que foi feita da seguinte forma: delicias do mar e camarões picados, cebolinho, cenoura e pimento picado, maionese e mostarda.


_No Suhi em Folha de Arroz, em vez da alga, usei a folha de arroz (que também encontra-se facilmente nos hiper e supermercados) e recheei com alface, maionese, couve roxa, sereia do mar panada e abacate.


 



 


SUSHI ROLL TEMPURA


 


_Tal como o nome indica, este rolo passa por um processo de tempura e confesso, que esse é um dos meus favoritos. Para o rolo, recheei-o com sardinha em lata (desfeito), abacate, cenoura e pimento. Para a tempura, preparei o polme com um ovo, farinha (própria para tempura) e água fria. Passei os rolos pelo polme e foram a fritar.


 


Para verem mais fotos desta deliciosa refeição (que soube a pouco!), vejam a galeria que apresento no final deste artigo.


 


E agora, fico à espera das vossas fotos, sugestões e opiniões. Por hoje, Um Homem na Cozinha vai agora fazer uma pausa, mas fica a promessa de que volto para a semana com outra sugestão de receita. Talvez com algo... docinho! O que acham?! Fiquem bem e nunca se esqueçam, um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...


 


[slideshow]https://fotos.web.sapo.io/i/G8513f4cf/19280593_DmMTs.jpeg,https://fotos.web.sapo.io/i/Ge3088bca/19280590_h8yBo.jpeg,https://fotos.web.sapo.io/i/G1509a4f2/19280589_FuiAG.jpeg,https://fotos.web.sapo.io/i/G1c09a700/19280588_hWLDM.jpeg,https://fotos.web.sapo.io/i/G30082bca/19280586_4WW6I.jpeg[/slideshow]

07
Mar16

Um Homem na Cozinha | Caril de Peixe (e legumes)

Um-Homem-na-Cozinha_Capa-Caril_de_Peixe


 


Antes de apresentar-vos a receita desta segunda-feira, deixem-me já dizer que em relação à receita de hoje, a coisa não correu como eu esperava. A intenção era ter um resultado final diferente ao que ficou, mas de qualquer forma, o prato final ficou lindo, maravilhoso e acima de tudo delicioso. Por isso, mesmo não tendo ficado como eu tinha imaginado, hoje deixo-vos com mais uma sugestão, uma receita que vale a pena seguir e experimentar.


 


A inspiração para a receita de hoje, surgiu por causa de um Restaurante Chinês que eu já fui há muitos anos atrás, no tempo em que eu ainda ia aos restaurantes chineses. Nesse restaurante, bem perto da minha casa, um dia cheguei a pedir um Caril de Peixe que estava divinal. Só de lembrar eu fico com água na boca. Nunca mais me esqueci daquele caril e desde então, tenho feito o meu Caril de Peixe com base naquilo que comi. Tenho-o feito de forma bem diferente. Igualmente saboroso mas diferente. E desta última vez, quis arriscar um pouco mais, e tentei fazer algo mais parecido com aquilo que comi. Conclusão: o resultado, como já aqui disse, não foi o esperado mas de qualquer forma o caril ficou delicioso. Eu adorei! O pessoal cá de casa também adorou e tenciono fazer esta receita mais vezes.


 


Mas vamos lá ao que interessa. Preparados para a receita do meu CARIL DE PEIXE, que apesar de haver uma parte frita, é saudável pois tem muitos legumes? Então cá vai:


 


Caril_de_Peixe_01


 


INGREDIENTES:


 


Filetes de Pescada | Salsa | Limão | Alho | Cebola | Aipo | Pimentos | Cenoura | Brócolos | Tomate | Azeite | Caldo (de legumes/peixe) | Farinha | Farinha de Milho | Caril em pó | Piri-Piri | Cominhos em pó | Coentros em pó | Gengibre em pó | Wassabi em pó (opcional) | Natas | Sal e Pimenta q.b.


 


PREPARAÇÃO:


 


_Cortei os Filetes de Pescada em tiras (mas de futuro irei cortar aos cubos) e temperei com sal, pimenta, salsa picada, alho picado, raspas de limão e sumo desse mesmo limão. Reservei a pescada temperada no frigorifico.


 


_Preparei todo os legumes que ia precisar para a confecção do caril, cortando as cenouras em tiras pequenas, os pimentos (de todas as cores possíveis) também em tiras, não muito finas, piquei ainda meia cebola e quanto a outra metade, cortei grosseiramente. Piquei um dente de alho e ainda um pedaço de aipo. Quanto ao tomate, retirei todas as sementes e cortei-o aos cubos.


 


_Voltando à pescada, depois de estar temperada, passei cada pedaço do peixe por farinha. Depois numa taça, preparei um polme para mergulhar esses pedaços. E o polme foi feito com umas três colheres de sopa de farinha (uma própria para tempura), duas colheres de farinha de milho e ainda água bem gelada. Mexi tudo de forma a não haver grumos e depois, passei cada tira da pescada por esse polme, para de seguida ir a fritar em óleo quente.


 


_Enquanto passa-se o polme pelas tiras e frita-se o peixe, numa panela larga, coloquei a cebola picada juntamente com o azeite e deixei refogar. Mais tarde, coloquei ainda o alho e o aipo picado. Deixei refogar e juntei depois os pimentos, o tomate e a cenoura cortada. Mexi todos os legumes e juntei por fim, três colheres de café de caril em pó, uma colher de café de gengibre em pó, coentros e cominhos em pó, meia colher de café de piri-piri e ainda, para os que gostam, juntei ainda uma colher de café de wassabi em pó. Deixei tudo a refogar durante um tempo e depois, juntei uma boa quantidade de caldo. Neste caso, foi o mesmo caldo de marisco e legumes que usei para o Risoto de Camarão da semana passada, e que eu tinha congelado o que tinha sobrado. Em lume baixo deixo então os legumes cozer.


 


_Depois de todos os pedaços de peixe estarem fritos e dos legumes estarem cozidos, adicionei à panela, cerca de 100ml de natas. Mexi tudo muito bem mexido e adicionei por fim, uma mão cheia de brócolos. Neste caso usei brócolos congelados que havia posteriormente deixado a descongelar. Juntei ainda a restante cebola cortada grosseiramente e adicionei à panela, as tiras de peixe frito. Deixei ficar ao lume apenas por breves minutos e pronto! O Caril de Peixe ficou pronto a ir à mesa.


 


_Para acompanhar o caril, fiz um arroz basmati e... garanto-vos que todos tiveram um bom apetite!


 


Caril_de_Peixe_02


 


E o que é que correu mal nesta receita? Bem! Mal, mal até nem correu porque tudo ficou muito bom, mas quando fritei o peixe com o polme, a minha intenção era de que o peixe ficasse com uma crosta crocante, coisa que não aconteceu. Nos restaurante chineses e até nos japoneses, eles conseguem fazer com que o peixe, o porco e até mesmo a galinha, fiquem sempre com uma crosta crocante e eu ainda não consegui reproduzir isso. O meu polme fez com que o peixe ficasse com uma crosta mole e isso acabou por fazer com que essa camada, ‘chupasse’ todo o molho de caril. Conclusão: no final, já quase não havia molho. Mas não interessa! Estava delicioso. Da próxima vez faço diferente e agora, despeço-me com a certeza de que para a semana estarei de volta e ainda com a certeza de que um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

29
Fev16

Um Homem na Cozinha | Risoto de Camarão (e outras delícias do mar)

Um-Homem-na-Cozinha_Capa-Risoto_de_Camarao


 


E depois da Índia e do México, esta semana resolvi viajar até à Itália e a viagem, foi uma vez mais maravilhosa. Na verdade eu nem precisei sair de casa para fazer essas viagens. Bastou-me estar na cozinha, com os ingredientes certos, os aromas maravilhosos e estar bem inspirado para me sentir nesses países. E a Itália é de facto um país que eu gosto muito! Felizmente já tive a oportunidade de viajar até Itália algumas vezes e eu adoro tudo naquele país. E a comida italiana é... bem! Só de pensar eu fico até sem palavras. Fico com água na boca. Na Itália eu já comi a verdadeira pasta e devo confessar-vos que eu adoro massas, adoro lasanha, adoro piza, adoro, adoro, adoro!!! Confesso ainda, que quando lá vou, volto sempre com uns quilinhos a mais mas... o que é que se pode fazer?! Não dá para resistir àquelas tentações. Não dá mesmo!


 


Esta semana, a receita que tenho para vós apresentar, é mesmo de inspiração italiana e que eu já costumo fazer com alguma frequência. Não é nenhuma massa especial, nenhuma lasanha que eu adoro fazer e que tenho imensas receitas diferentes de lasanha para apresentar em breve, mas é sim um delicioso RISOTO DE CAMARÃO (e outras delícias do mar). Eu adoro! E o pessoal cá de casa também adora, apesar de estarem sempre a dizerem-me que para ser um verdadeiro risoto, falta um bom cálice de vinho branco, ou então de champanhe mas... Vou contar-vos um segredo. Eu sou 0% álcool em tudo... e sempre! Não bebo álcool, e em termos culinários, evito ao máximo comer algo que tenha sido confeccionado com o álcool. Sim! Eu conheço aquela velha história de que dizem que o álcool evapora-se durante a confecção do alimento mas não interessa, o sabor (e o cheiro) que eu odeio lá fica. E acreditem. Por diversas vezes já fiz uma mesma receita, em que numa das vezes coloquei vinho branco e na outra não e para mim, a diferença é abismal. Sem a presença do álcool, para mim fica sempre tudo muito mais saboroso. Conclusão: eu sou mesmo anti álcool e por isso, por muito que cá em casa digam que falta o vinho branco nos risotos que eu faço, eu simplesmente ignoro porque na verdade, todos adoram o resultado final. Mas chega de falar do álcool. Isso poderá ser tema para um outro artigo, quem sabe. Para já, vou deixar-vos com esta deliciosa receita e desafio-vos a tentarem fazer este risoto em que o camarão, é de facto a estrela principal mas que por lá, encontram-se ainda outras delícias.


 


Risoto_de_Camarao_01


 


INGREDIENTES:


 


Camarão | Miolo de Amêijoa | Delicias do Mar | Cebola | Alho | Alho Francês | Aipo | Pimentos | Cenoura | Chouriço | Arroz Arbóreo | Manteiga | Queijo Parmesão | Cebolinho | Azeite | Sal e Pimenta q.b. | Piri-piri (opcional)


 


PREPARAÇÃO:


 


_Começa-se por fazer um caldo com as cascas de camarão, meia cebola, um alho esmagado, uma cenoura, um pouco de alho francês e aipo. Deixa-se ferver durante um tempo. Mais tarde, esmaga-se um pouco as cascas com os legumes e passa-se tudo por um coador. Matem-se na mesma o líquido (caldo) em lume baixo enquanto prepara-se o risoto.


 


_Numa panela, junta-se meia cebola picada com azeite e deixa-se refogar. Junta-se depois um alho picado, uma tira de um pimento vermelho cortado aos cubos pequenos, duas rodelas de chouriço cortado também em cubos pequenos e ainda, para os que gostarem, meia colher de chá de piri-piri. Deixa-se tudo refogar por um tempo e só depois, junta-se um pouco do miolo de amêijoa e do arroz.


 


_Mexe-se tudo durante um tempo e aos poucos, com o auxilio de uma concha, vai-se juntando o caldo preparado inicialmente. Em lume brando, mexemos sempre o arroz e vamos juntando o caldo à medida que for preciso.


 


_ A meio do tempo de cozedura, junta-se os camarões já sem casa e quando esses já tiverem cozidos e o arroz estiver quase no ponto, junta-se também delicias do mar cortado às rodelas.


 


_Mediante o vosso gosto, se preferirem um risoto mais cremoso ou não, quando acharem que o arroz já está no ponto, juntem 2 colheres de sopa de manteiga, uma boa quantidade de queijo parmesão ralado e cebolinho picado. Mexem tudo, rectifiquem temperos com o sal e a pimenta e já está pronto para ir para a mesa.


 


_Empratem o risoto ao vosso gosto e...bom apetite!


 


Risoto_de_Camarao_02


 


E esta foi mais uma nova sugestão que eu espero que seja do vosso agrado. Desculpa se tanto aqui, como nas outras receitas eu não chego a falar de quantidades nem de medidas mas é que eu sou assim mesmo. Quando estou a cozinhar, basicamente faço tudo a olho. Não tenho medidas nem quantidades certas. Vou acrescentado e retirando enquanto cozinho e claro, vou sempre provando para ver como está. Esse é o truque! De qualquer forma, as vossas opiniões e sugestões são sempre bem vindas. E por isso, se tal como eu tu adoras cozinhar, não hesites em partilhar comigo as tuas receitas, as tuas fotos, as tuas paixões culinárias. Eu fico à espera de um comentário teu e agora... bem! Agora vou já para cozinha preparar a receita da próxima semana. Até lá tenham uma óptima semana e aqui fica a dica: um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

22
Fev16

Um Homem na Cozinha | Tacinhas de Frango com Pimentos

Um-Homem-na-Cozinha_Tacinhas_de_Frango


 


Na semana passada, na estreia de UM HOMEM NA COZINHA, apresentei-vos uma receita com inspiração indiana e hoje, dou um salto até ao continente americano, para vós apresentar uma receita com inspiração mexicana. É que eu, para além de adorar comida japonesa e comida indiana, sou ainda um fã da comida mexicana. Adoro! Enfim! O que eu adoro mesmo é comer e se a comida for boa, seja de que país for, eu terei todo o prazer em comer.


 


A receita de hoje, são de umas TACINHAS DE FRANGO COM PIMENTOS. Eu adoro frango! É talvez das carnes que eu mais aprecio e sou também um apaixonado por pimentos. Adoro-os! Seja verde, vermelho, amarelo ou laranja, eu adoro pimentos e eles estão presentes em muitas das coisas que eu faço. Por isso, juntar duas das coisas que eu mais gosto na cozinha, só iria dar mesmo bom resultado. E não é para me gabar mas o resultado final, seja em termos visuais, ou em termos de gosto, foi realmente muito positivo. Eu adorei e o pessoal cá de casa também adorou. Acharam interessante essa forma diferente de comer as tortilhas que eu compro com alguma frequência. Por norma, o que eu faço com elas são os famosos wraps mas há uns dias atrás, quando seguia o programa “Os Segredos da Tia Cátia” no 24Kitchen, ela apresentou uma sugestão diferente com as tortilhas e eu, que tenho sempre vontade de apresentar mais e depois fazer, aceitei aquela sua sugestão e resolvi fazer essas tacinhas. Para uma entrada, acho que elas são perfeitas e fica muito bonito no prato de qualquer pessoa. E no estômago também! Por isso, se queres surpreender alguém, aqui fica a receita e... bom apetite!!


 


Tacinhas de Frango com Pimentos_1


 


INGREDIENTES:


 


Tortilhas | Peito de Frango | Pimentos | Cebola | Alho | Gengibre | Malagueta | Salsa | Tomate Cherry | Alface Iceberg | Açafrão em Pó | Caril | Azeite | Queijo Cheddar | Natas | Manteiga | Sal e Pimenta q.b.


 


PREPARAÇÃO:


 


_Corte um peito de frango às tiras, ou então, mande vir já do talho cortado às tirinhas. Coloque o frango numa taça e tempere-o com azeite, sal e pimenta, uma colher de sopa de açafrão em pó e uma colher de chá de caril. Mecha tudo muito bem e reserve o peito de frango temperado no frigorífico.


 


_Com os pimentos, corta-se igualmente em tiras semelhantes às do peito de frango. Como adoro pimentos, para está receita usei uns mini pimentos que se vendem em embalagens nos supermercados. Usei um pimento amarelo, um laranja, e um vermelho e depois de cortado às tiras, reserva-se.


 


_Pica-se uma cebola e um dente de alho e reserva-se. Faz-se o mesmo com um pouco de gengibre e meia malagueta, isto apenas para os que gostam de sabores mais spicy.


 


_Com as folhas de tortilhas, pega-se em pequenas taças que possam ir ao forno e coloca-se as tortilhas dentro delas, de forma a que a tortilha ganhe o formato da própria taça. Liga-se o forno a 180º, para que depois as taças possam ir ao forno.


 


_Quando tudo já está previamente preparado para começar a cozinhar o frango, prepara-se primeiro um molho de queijo com pimentos. Numa frigideira, coloca-se um pouco de azeite, com cebola picada, pimentos (amarelo e laranja) cortados em pedaços pequenos, meia malagueta e deixa-se refogar. Quando a cebola já estiver com uma cor diferente, junta-se cerca de 150ml de natas. Mistura-se tudo e só depois, junta-se cerca de 200g de queijo cheddar cortado aos pedaços, com uma colher de sopa de manteiga. Mistura-se tudo, até ficar homogéneo. Rectifica-se temperos e reserva-se para usar mais tarde.


 


_Coloca-se as tortilhas no forno, quando este já tiver quente e dá-se inicio à preparação do frango.


 


_Numa frigideira larga, coloca-se o azeite, juntamente com o gengibre e a malagueta e deixa-se refogar durante um tempo. Junta-se depois o peito de frango e quando este ganhar uma cor diferente, acrescenta-se à frigideira a cebola picada juntamente com o alho e ainda os pimentos cortados. Em lume alto deixe tudo cozinhar mas fazendo com que os pimentos fiquem ainda num meio termo entre o cozinhado e o cru e rectifica-se temperos.


 


_Quando as tortilhas já estiverem estaladiças, terem ganhado uma cor e conseguirem aguentar-se com o formato de taça, está então na hora de recheia-las com o preparado de frango com os pimentos. Começa-se primeiro com uma boa dose de alface iceberg cortada também às tiras. Por cima, coloca-se uma colher cheia do molho de queijo e só depois é que coloca-se o frango com os pimentos. Para dar um toque final, acrescenta-se tomates cherry cortados em quartos e ainda, salsa grosseiramente picada.


 


Tacinhas de Frango com Pimentos_2


 


Para semana cá estarei com uma nova receita e... de onde é que eu irei agora buscar inspiração? Será na Europa, na Ásia, na América, onde será? Tenham a continuação de um óptimo dia e para a semana, terão a resposta a essa pergunta, acompanhada com um novo prato que eu tenho a certeza que irão gostar. E nunca se esqueçam, um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

15
Fev16

Um Homem na Cozinha | Caril de Beringela e Cogumelos


 


Até há uns bons anos atrás, a BERINGELA era um legume completamente desconhecido para mim e para a minha família. Não conhecíamos, não sabíamos qual era o seu sabor e nem nunca tínhamos visto de que forma era. E querem saber como é que a Beringela apareceu depois nas nossas vidas? Bem! A história pode parecer ficção mas foi real. A primeira vez que eu e a minha família (mãe e irmãos) tivemos contacto com a Beringela, foi através de uma piza encomendada, já não me lembro se na Piza Hut ou se na Telepizza. Nessa piza encomendada, uma piza especial de Natal, o ingrediente principal era a Beringela. Não sabíamos o que era mas como todos somos fãs de piza e achamos que tudo fica bem numa piza, não tivemos receio em experimentar. E depois da primeira fatia, acho que de imediato, todos viramos fãs da Beringela. Sim! A primeira vez que comi Beringela, foi mesmo através de uma piza e logo nesse dia apaixonei-me por esse legume. Depois de tanto ter gostado, fiz questão de saber mais sobre a Beringela, fiz questão de procurá-la nos supermercados e hoje, alguns anos depois desse primeira experiência com um legume que eu desconhecia, a Beringela já faz parte da minha vida. Adoro beringela! Seja grelhada, estufada, recheada, panada, em lasanha, enfim! Amo beringela e nesta estreia de UM HOMEM NA COZINHA aqui no MORE, a Beringela terá o seu destaque.


 


Há uns anos atrás, eu passei por um período em que tentei comer apenas comida vegetariana. E digo ‘tentei’ porque rapidamente percebi que não conseguia. Eu adoro comida vegetariana, onde a beringela está muito presente nessa comida, mas infelizmente eu também (ainda!) gosto muito de carne. Pois é! Por muito que tente levar uma alimentação mais saudável, há dias em que o meu organismo pede mesmo carne e nesses dias, não há como fugir delas. Mas, hoje, nesta primeira receita que agora irei apresentar, vou mesmo falar-vos de uma comida vegetariana, que num só prato, junta três das coisas que eu mais adoro na culinária: a beringela, os cogumelos e o caril. Sim! Eu amo caril! Seja caril de frango, caril de gambas, caril de peixe, caril de lulas, enfim... Amo! Amo mesmo! Acho que em outras encarnações eu fui um indiano mas... chega de conversa e vamos que interessa. Meus caros amigos e leitores, aqui fica a minha receita de CARIL DE BERINGELA E COGUMELOS:


 



 


:: INGREDIENTES:


Cebola | Alho | Beringelas | Cogumelos frescos | Azeitonas | Gengibre | Pimentos | Coentros | Amendoim | Azeite | Leite de Coco | Caril | Outras Especiarias (várias) | Tomate aos Pedaços | Sal e Pimenta q.b.


 


:: PREPARAÇÃO:


_ Para começar, eu não sou cozinheiro, não tenho por hábito escrever receitas e por isso, peço já perdão se por acaso saltar alguma etapa.


 


_ E a primeira etapa delas todas, foi picar uma cebola e deixar refogar juntamente com o azeite. Assim que a cebola começou a ganhar uma corzinha, juntei um pedaço de gengibre cortado às tiras, 2 dentes de alho picado e umas três colheres de sopa de azeitonas descaroçadas e também picadas. Deixei refogar. Depois de cortar grosseiramente uma quantidade generosa de cogumelos aos pedaços, juntei-os ao refogado e deixei-os cozinhar por um bom tempo.


 


_ Assim que vi que os cogumelos começaram a perder água e a ficarem murchinhos, juntei ao preparado, duas beringelas grandes cortadas aos quadradinhos pequenos. Mexi tudo e em lume brando, deixei cozinhar para que tanto os cogumelos como a beringela perdessem água.


 


_ Quando a beringela começou a ganhar cor, juntei o caril (mesmo daqueles que se vende em qualquer supermercado), juntamente com outras especiarias. E como sou fã de especiarias e gosto de juntar algumas delas, para esta receita, ao caril juntei, uma colher de chá de piri-piri, duas colheres de chá de coentros em pó, meia colher de chá de açafrão (em pó) e uma colher de chá de cominhos em pó. Foi tudo junto para a panela e mexi tudo muito bem, para que as especiarias alcançassem todos os pedaços de beringela e cogumelos.


 


_ Depois de deixar cozinhar mais um pouco só a beringela e os cogumelos com as especiarias, juntei uma lata inteira de tomate aos pedaços e pimentos também cortados aos pedaços pequenos. Como adoro pimentos, fiz uma mistura de pimento vermelho, laranja e amarelo. No fim mexi tudo muito bem e em lume baixo, deixei tudo a cozinhar com a tampa da panela durante uns 45 minutos.


 


_ Ao fim desse tempo, juntei um pacote de leite de coco (mais ou menos de 200ml), e em lume médio deixei cozinhar por mais alguns minutos. Provei e só depois de provar é que coloquei sal e pimenta a gosto.


 


_ Para terminar, depois de tudo estar cozinhado, empratei o Caril de Beringela e Cogumelos acompanhado por um arroz basmati. Dei um toque final com coentros grosseiramente picados e ainda, para dar uma textura diferente, o tal crunchy crunchy que a Felipa Gomes fala no seu programa 'O Prato do Dia', coloquei por cima alguns amendoins, mas tenho a certeza que com cajus também ficava muito bom.


 



 


Se arriscarem em fazer, não só terão um prato vegetariano delicioso, como também ainda terão um maravilhoso caril que é de chorar e pedir por mais. E não é só porque esta receita é da minha autoria, mas eu recomendo a 100% e... bom apetite!!


 


Ah! E já agora, fiquem a saber que um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

13
Fev16

Um Homem na Cozinha está a chegar ao MORE

Um-Homem-na-Cozinha_Capa


 


A partir desta segunda-feira o MORE vai passar a ter uma nova rubrica. Uma rubrica que promete ser semanal, promete ainda ser deliciosa, de dar água na boca e de vós desafiar a estarem entre tachos e panelas. Quem me conhece, sabe que eu gosto muito de comer. Adoro! Adoro estar sentado à mesa e deliciar-me com os sabores do mundo. Mas para além de gostar de comer, eu também adoro cozinhar. E olha que não é para me gabar, mas eu sou um excelente cozinheiro. Adoro ir para a cozinha, colocar o avental e pôr mãos à obra, ou neste caso, pôr as mãos na massa. E quando falo em cozinhar, estou a falar tanto de salgados, como de doces. Sou um cozinheiro amador, amante da comida portuguesa, mas mais amante ainda da comida internacional. E quando tenho tempo e estou bem inspirado, tranco-me na cozinha e preparo boas refeições, que dão mesmo vontade de sentar e comer. Mas comer com prazer e eu admito, cozinhar para mim é um acto de muito prazer, de muito amor, de muita dedicação e por isso, resolvi partilhar agora com vocês, essa minha outra grande paixão.


 


No dia 15, aqui no MORE, apresento-vos “UM HOMEM NA COZINHA”. A nova rubrica do blog, que irá trazer algumas das minhas receitas. Receitas essas que eu fui vendo pela televisão, resolvi recria-las na minha cozinha, mudando uma coisinha ali e outra ali, e através de fotos, irei dar-vos a conhecer o resultado final dessas minhas aventuras na cozinha. Se tal como eu, adoras comer e adoras cozinhar, então eu tenho a certeza que irás adorar este novo espaço no MORE e claro, tentarei contar sempre com as vossas opiniões e sugestões.


 


Até lá tenham um óptimo dia e... as Beringelas esperam por ti na primeira receita de segunda-feira.

Os meus blogs

Calendário

Fevereiro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.