Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

15
Fev16

Vamos falar de sexo? | Cuspir ou Engolir?

Cuspir ou Engolir


 


Sim! Hoje, eu e tu vamos falar de sexo. E eu entendo que falar de sexo, às vezes possa parecer demasiado constrangedor mas convenhamos, falar de sexo é bom e é útil, pois faz com que muitas pessoas tirem às suas próprias dúvidas em relação ao sexo. Por isso meus caros amigos, vamos lá perder a vergonha e vamos começar todos a falar de sexo, pode ser? Até porque, falar de sexo, pode ser uma maravilhosa partilha de experiências (boas ou más). E partilhar histórias, momentos, experiências, nunca é demais. Sendo assim, de forma a começares já a falar de sexo e a partilhar momentos teus, porque não aceitas o meu desafio e começas já a responder às perguntas que ainda estão à espera de uma resposta. Aqui pelo MORE já passaram seis perguntas à espera de resposta e acreditem, nunca é tarde para deixares a tua resposta. Eu fico à espera!


 


Para já, e enquanto espero à tua resposta, vou aproveitar este artigo para deixar a minha resposta em relação a última pergunta aqui colocada. Na semana passada, se bem se lembram, eu deixei aqui a seguinte questão:


 


Na hora do sexo (oral), és pessoa para


cuspir, ou engolir?


 


Desde já agradeço aos que resolveram partilhar às suas respostas, mas continuo à espera de outras. E se o teu receio é não querer responder a essa pergunta ousada, apenas porque eu também ainda não respondi, então meu caro amigo, acho que já não tens desculpa para isso. A pergunta é realmente ousada mas a minha resposta eu irei deixar aqui.


 


Acho que já aqui disse mais do que uma vez, de que eu sou um grande adepto do sexo oral. Não que me façam a mim, pois isso eu odeio, mas eu adoro fazer o sexo oral com outros homens. Às vezes, sem que haja a necessidade de penetração anal, eu fico satisfeito só com o acto de estar com o pénis de um homem na boca. Até agora ainda não consegui arranjar uma justificação lógica para o facto de achar esse acto de sexo maravilhoso e delicioso mas a verdade, é que eu adoro! Ser penetrado pela boca, por um pénis maravilhoso é do melhor que há mas... na hora desse sexo oral tem que haver limites. E há certos limites que eu ainda faço questão de respeitar.


 


Também já aqui disse uma vez que para mim, o meu maior orgasmo é quando vejo um homem a vir-se. É estupido! Eu sei mas, quando vejo aquele lindo líquido esbranquiçado sair pelo pénis de um homem, eu próprio sinto-me já satisfeito, sinto-me realizado e talvez por isso, seria de se esperar que eu talvez adorasse que eles gozassem na minha boca mas... A ideia em sí de ter eles a gozarem na minha boca é realmente fascinante mas eu ainda não cheguei a essa fase. Por isso, tal como o Miguel R disse na sua resposta, eu “tecnicamente falando eu não faço nem uma coisa nem outra”. Simplesmente nem deixo que eles gozem na minha boca. Já houve uns que tentaram forçar com que eu deixasse eles gozarem na minha boca mas isso não aconteceu. E porquê? Bem! Acho que a resposta é simples! Eu nunca tive um companheiro fixo. Das vezes em que tive com um homem, foram sempre situações esporádicas. Engates rápidos através de sites e apps de engate, onde o único objectivo é ter sexo com um estranho e depois ir cada um à sua vida. Ou seja, apesar de ser fascinante ter o pénis desses homens na boca, acho que ainda não estou preparado para receber com o seu líquido na boca. Até porque, eu praticamente nem os conheço. Ou melhor! Eu não os conheço mesmo e o acto de aceitar o seu esperma na boca, acho que é algo que precisa de mais intimidade. E confiança também! Eu não nego! Deixar que um homem goze na minha boca é realmente um dos meus maiores fetiches mas quando isso acontecer, na minha prespectiva terá que ser com alguém que eu já conheça bem. Com alguém que eu já tenha uma certa intimidade, para além do mero sexo por sexo. Terá que ser com alguém especial e esse alguém ainda não apareceu na minha vida. Por isso não! Eu não engulo e nem cuspo. Limito-me a ver e a deixar eles gozarem por cima da minha cara e do meu corpo. E só com isso eu já fico satisfeito.


 


E em relação ao acto de engolir, eu já ouvi e li muitas histórias. Há quem diga que o esperma do homem tem um sabor horrível e há quem diga o contrário. Há quem adore engolir e diz ainda que sabe bem. Que tem um sabor salgado mas... eu vou esperar um pouco mais para tirar essas dúvidas. E quando conseguir tirá-las, irei partilhar essas minhas respostas com vocês.


 


E por agora, vou parar de falar de sexo, até porque toda essa conversa já esta a deixar-me com água na boca. Ou melhor ainda! Está a deixar-me com vontade de ter algo na boca e como isso agora não vai ser possível, hoje fico por aqui. Mas não me vou embora sem antes relembrar que falar de sexo é bom, que praticar sexo é melhor ainda e que a prevenção, acreditem, é sempre a nossa melhor aliada.

25
Jan16

Hoje vou apenas falar do Rui, o homem que me deu sexo maravilhoso...

tumblr_nu7ponMtwc1t3s2a4o1_500


 


Ontem acabei por não ter tempo para continuar a falar do Rui. Tive um dia muito ocupado, muito preenchido e praticamente não tive tempo de me sentar junto ao computador. Mas hoje lá vou continuar. Vou voltar a falar do estranho a quem eu resolvi baptiza-lo de Rui, e que no passado dia 7 de Janeiro, deu-me o melhor sexo de toda a minha vida. Mas aquilo que hoje quero contar, não será propriamente sobre o sexo em si, pois quanto a isso, acho que já falei de mais e fui até bastante gráfico em relação a ele. Hoje prefiro falar é sobre o que surgiu depois dessa noite maravilhosa de sexo.


 


Por norma, e quem costuma encontrar-se com pessoas através desses sites e apps de engates, deve concordar com o que vou dizer agora. Assim que o encontro sexual termina, cada um vai à sua vida e não há um segundo encontro. Por muito bom que tenha sido, por norma, aqueles que realmente procuram só sexo e nada mais do que sexo, não vão querer repetir a experiência com a mesma pessoa duas vezes. Preferem voltar ao engate e encontrarem outro tipo para o sexo sem compromisso. Eu, claro! Depois de ter passado pela melhor experiência sexual de toda a minha vida, queria obviamente voltar a estar com o Rui. Aliás! Naquela mesma noite, quando cheguei a casa e deitei-me, só tinha um único pensamento: eu preciso voltar a estar com ele. Preciso voltar a beijá-lo, a ter aquele seu maravilhoso pénis nas minhas mãos e senti-lo todo dentro de mim. Naquela noite nem consegui dormir, tamanha era a excitação e ansiedade mas... apesar de querer muito voltar a estar com ele, eu sabia que isso não voltaria a acontecer. O Rui com certeza, no dia a seguir iria era querer encontrar um outro passivo para satisfazer-se e quanto a isso, eu nada podia fazer mas... afinal eu estava enganado.


 


No final do nosso encontro sexual, o próprio Rui disse para mantermos contacto. Para assim que eu quiser, mandar-lhe mensagens e por isso, durante o almoço do dia a seguir, foi isso mesmo que fiz. Sem saber muito bem o que escrever, tomei a decisão de enviar-lhe uma mensagem. Nela eu dizia que tinha adorado a noite passada, tinha adorado estar com ele e que iria adorar ainda mais se voltasse a encontrar-me novamente com ele. Ao carregar no botão ‘enviar’ e ao ver a mensagem a ser enviada, eu sabia que ele iria ignorar. Talvez nem iria ler e por isso, dali não iria receber nenhuma resposta mas afinal, aquilo que aconteceu a seguir, simplesmente surpreendeu-me. Sem que eu esperasse uma resposta sua, ele logo de seguida, enviou-me mensagem a dizer o seguinte: «Também gostei muito!... Sim! Quero mais!!! Hoje podes? Deixa ver a que horas estou despachado e depois podias ir lá ter!!» E claro! Depois de ler esta mensagem, o meu coração encheu-se de alegria. Fiquei super feliz e as horas que se seguiram foram de muita ansiedade. Estava louco para voltar a estar com ele. Doido de desejo e por outro lado, estava sem saber o que fazer. Aquilo para mim era algo novo. Estava a pisar um terreno que eu desconhecia e que não sabia para onde iria me levar mas o que mais me interessava naquele momento, era aproveitar tudo, mas mesmo tudo ao máximo.


 


tumblr_o0z8d56jTH1smw1qbo1_500


 


Nessa noite, de 8 de Janeiro, lá fui então novamente ao seu encontro. Desta vez, fui eu próprio com o meu carro até à sua casa. Quando lá cheguei, fui logo recebido por beijos e abraços e isso fez-me sentir bem. Percebi que naquela noite ele estava demasiado cansado, pois tinha dormido poucas horas e fiquei ainda a saber que ele sofre do mesmo mal que eu, a renite alérgica. Ou seja, naquela noite ele não estava muito bem mas mesmo assim, a sua vontade para o sexo era tanta que o seu desempenho foi novamente maravilhoso. Uma vez mais, o Rui tratou de mim com todo aquele carinho e agressividade que eu tanto adoro e ele, com toda a sua força, com toda a sua potencia e virilidade, encheu-me de prazer e escusado será dizer que o sexo foi... uma coisa do outro mundo! Aquele homem sabe mesmo como satisfazer uma passiva louca como eu e... enfim, naquele momento, quando ele gozou e deitou-se por cima do meu corpo, já eu estava completamente rendido ao Rui. Completamente fascinado e... Era um homem assim que eu queria para a minha vida.


 


Talvez, quem esteja a ler todo esse meu relato de como foi esse encontro maravilhoso com o Rui, deve estar agora a achar que eu estou verdadeiramente apaixonado por ele mas não! Vamos com calma ok?!! Claro que o Rui não me é indiferente e depois daqueles dois dias seguidos, nós temos trocado algumas mensagens e já houve até um terceiro encontro, igualmente maravilhoso mas... Eu ainda pouco ou nada conheço sobre o Rui. Se eu realmente quisesse me apaixonar por ele, seria praticamente impossível pois ele não dá liberdade para isso. Eu para me apaixonar, antes de saber apenas que ele é óptimo no sexo, preciso conhece-lo melhor. Saber o que faz, saber o que gosta, saber o que quer, enfim! Eu não me posso só apaixonar pelo seu corpo, pelo seu pénis que me dá tantas alegrias. Eu preferia conhece-lo um pouco melhor mas... Nesses três encontros sexuais que já houve, o último foi no passado dia 23, a coisa não passou para além do sexo. Houve uma conversa curta mas o sexo, ocupou grande parte do tempo em que estivemos juntos. Eu já tentei ter um diálogo mais longo com ele mas tenho receio, muito medo de o assustar com as minhas paranóias. Gostava de saber o que é que ele pretende de mim. Se comigo quer apenas sexo ou se tal como eu, procura algo mais. Eu gostava de abordar esse tema com ele mas não o quero assustar. E para além disso, aquilo que tenho tido com ele tem sido tão bom que eu acho que também não quero estranhar tudo mas... Eu adorava ter um namorado. Um homem com quem dormir lado a lado. Dormir de conchinha, com ele a abraçar-me por trás. Queria ter um namorado para começar o dia da melhor forma, com um sorriso dele, um beijo e sexo logo pela manha. Sonho em ter um namorado, para durante o dia, ficar o tempo todo a pensar nele, a trocar mensagens de amor com ele e a desejar para que o dia de trabalho termine o mais rápido possível, para voltar para casa e esperar por ele. Um namorado que todos os dia iria encher-me de mimos, oferecer-me rosas, passear comigo, ir ao cinema, ao teatro, ir a restaurantes, viajar com ele. Um namorado que visse os filmes em casa comigo, sentado no sofá e agarradinho a mim, que fosse às reuniões chatas de família comigo, enfim... Por agora estou a sonhar mas ainda tenho esperança de que tudo isso ainda venha a acontecer na minha vida. Se não for com o Rui, poderá ser com qualquer outro homem que ainda não tenha tido a sorte de me encontrar.


 


tumblr_nzkpfvB3kf1t33kupo1_400


 


E por hoje é isso! Chega de falar do Rui. Chega de falar dessa minha aventura sexual. Chega de tanta conversa. Vou agora preparar-me para sair, pois daqui à pouco, se a minha irmã aceitar em vir comigo, vou ao cinema ver o novo filme do Leonardo DiCaprio. Na verdade preferia ver “A Rapariga Dinamarquesa” mas esse fica para outro dia.


 


Beijos e abraços e... com muito juizinho na cabeça e sempre prevenido, não hesitem em aventurarem-se por aí. Às vezes faz bem e a sensação é sempre muito boa.

23
Jan16

Vamos (continuar a) falar de sexo? (Para talvez hoje terminar de falar sobre isso?)

Vamos falar de sexo5


 


O texto que se segue, continua a apresentar um conteúdo não apropriado para menores de 18 anos. E agora que o aviso está feito, deixem-me continuar a contar-vos essa minha aventura com um estranho chamado Rui. E que Rui!! Confesso que antes de conhecer o Rui, não sabia que existia homens capazes de aguentarem tanto tempo no sexo. Sim! Tanto tempo mesmo e sem gozar! Pois o que eu vou agora dizer, pode parecer um exagero mas não! De exagero não tem nada! Com o Rui, tive mesmo mais de uma hora sem parar, sempre a ser penetrado por ele e o Rui, sempre ali, disposto a penetrar-me ainda mais. Mais de uma hora! Pelo menos para mim, foi algo inédito. Nunca tinha estado com um homem que aguentasse tanto tempo no sexo. Mas a experiência foi boa. Foi maravilhosa! Confesso que fiquei todo arrebentado com tanta penetração mas... só de pensar e de relatar esses momentos, tenho imensa vontade de ser novamente todo arrebentado.


 


E com mais de uma hora a ser penetrado pelo Rui, tivemos que ser criativos e experimentar várias posições. Naquela noite, acho que coloquei em prática, várias posições do kamasutra gay. Posições essas que nunca tinha experimentado com outros homens e posições essas que foram agradáveis de experimentar. Até hoje, sempre que fui penetrado por um homem, ou estava de quatro, de costas para ele (que eu adoro!), ou então, estava deitado de barriga para baixo e com ele em cima de mim a penetrar-me sem parar. Com o Rui, passei também por essas posições mas é das outras que eu vou lembrar mais.


 


Naquela noite, pela primeira vez, sentei-me literalmente em cima de um pénis. Sim! Ele deitou-se na cama e pediu para eu me sentar em cima dele. No inicio confesso que fiquei um pouco sem graça, sem jeito mas lá consegui. Sentei-me bem encaixadinho no seu pénis e cavalguei feliz por cima dele. Fiz isso de frente para ele e também de costas para ele. Experimentamos de tudo! A posição de ‘frango’ também não faltou. Eu, de pernas para o ar e a receber o seu pénis em todo o seu esplendor. Enfim! Já viram aqueles filmes pornográficos onde o homem activo faz gato sapato do homem passivo?! Pois bem! Eu senti-me num desses filmes pornográficos. Um filme onde o activo penetrou-me a torto e a direito e eu, sem receio gemi e gemi bem alto, pois ele disse-me que não havia o risco de os vizinhos ouvirem. E durante todo o tempo dessa penetração, ele deu-me com cada estocada que por momentos eu acho que até vi estrelas. Ele encaixou todo o seu pénis dentro de mim e aquele misto de dor e prazer deixava-me completamente louco. Às vezes o Rui era delicado e fazia-o com calma mas outras vezes, ele dava-me com toda a força e eu confesso que era assim é que gostava mais. E depois de um momento de mais agressividade, ele voltava a fazer as coisas com mais calma, tudo isso para não gozar logo de imediato e a coisa durar muito mais tempo. E durou! Durou e eu amei. Beijos não faltaram durante a penetração, lambi os dedos todos da sua mão enquanto ele usava e abusava de mim e até mesmo os dedos dos seus pés vieram parar à minha boca. Aliás! Esse foi o momento final. Depois de mais de uma hora a levar com ele, houve um momento em que ele deu-me com toda a força. Mas antes ainda perguntou se podia gozar dentro de mim, ou se eu queria que ele gozasse cá fora. Para ser sincero, eu preferia que ele tivesse gozado fora. Gozado na minha barrinha ou no meu rosto, pois se há coisa que eu adoro, é ver um homem a gozar depois de um momento de sexo. Esse é o meu orgasmo. É ver eles atingirem o clímax e a depositarem todo aquele líquido maravilhoso em cima de mim mas... naquele momento, o meu cu não queria de forma alguma deixar de receber aquele seu maravilhoso pénis. Por isso deixei que ele gozasse dentro de mim. Mas antes disso, ele deu-me forte e feio, colocou o seu pé junto à minha boca, e eu não resisti em chupar os seus dedos. E quando comecei a chupar, foi então que ele começou a gemer, a contorcer-se todo mas sempre sem parar de me penetrar. Por momentos pensei que lhe faltava o ar, pensei que ele estava para morrer mas não! Ele estava apenas a atingir o clímax daquele momento, em todo o seu esplendor. Quando a coisa ficou mais calma, ele, sem nunca tirar o seu pénis dentro de mim, deitou-se por cima de mim e lá ficou. Os nossos corpos molhados ficaram ali, colados um ao outro e a nossa respiração juntou-se numa só. Nessa posição ficamos uns bons minutos e nesse momento, senti o meu mundo desabar.


 



 


Antes do sexo, que é realmente tão bom e naquela noite eu pude recordar o quanto eu gosto dele, eu antes disso, dou mesmo mais valor aos sentimentos, ao amor. Aquilo que eu queria, aliás, aquilo que eu mais gostava de ter era um namorado. E naquele momento, quando ambos começamos a respirar de forma mais calma, eu senti imensa falta de ter esse namorado. Confesso que quase chorei naquele momento. De felicidade mas também de tristeza. Sim! De tristeza porque tudo o que eu não queria naquele momento era terminar tudo por ali e ir embora como se nada tivesse acontecido. Aquilo que eu queria era ter a certeza de que iria ter a sorte de todas as noites, passar por momentos assim. Queria ter um namorado que todas as noite tivesse sexo comigo. Que todas as noites me beijasse, me penetrasse de forma carinhosa e agressiva e depois, no final deitasse em cima de mim e adormecesse ainda com o seu pénis dentro de mim. Isso era o que eu mais queria e só o facto de saber que aquele momento tinha já acabado e que tão cedo não voltaria a repetir, deu-me vontade de chorar. Mas não! Não quis passar vergonha à frente do Rui. Consegui conter-me e aproveitei ao máximo cada segundo daquele momento lindo. Do momento em que ele deitou-se por cima de mim, completamente esgotado mas muito satisfeito.


 


Passado um tempo ele levantou-se e foi até a casa de banho. Naquele momento percebi que tudo tinha acabado. Agora, assim que ele saísse da casa de banho, iria despedir-se de mim e depois, cada um ia à sua vida mas... o que aconteceu a seguir foi algo... fora do normal. Fora mesmo!! Quando ele saiu da casa de banho, perguntou-me se eu também queria ir e eu acabei por ir. Lá, assim que olhei-me ao espelho, vi um outro ‘eu’. Um ‘eu’ mais feliz, rejuvenescido e até mais magro, mais bonito, mais sensual. Sentia-me bem! E apesar de achar que depois de sair da casa de banho, iria vestir-me e ir embora, eu estava com um sorriso no rosto. E para mim aquilo era o mais importante no momento.


 


Quando saí da casa de banho, pensei encontrar o Rui já vestido e pronto para se ver livre de mim mas não. Ainda completamente nu, ele estava deitado na cama e quando me viu, pediu para me deitar ao seu lado. Eu deitei e apesar de saber que ele estava completamente esgotado, deitado ao lado dele eu não resisti em querer ter o seu pénis novamente na minha mão. Naquele momento queria aquele pénis só para mim e nunca mais larga-lo. Brinquei com o seu pénis e quando dei por mim, com a ajuda da minha mão, o seu pénis já estava novamente erecto, lindo e pronto para uma nova acção. Enfim! Depois de o sentir novamente duro na minha mão eu não consegui resistir. Tinha que chupar novamente aquilo e foi exactamente o que fiz logo a seguir. Ele, quando me viu já de boca cheia, sorriu para mim e questionou-me se eu ainda não estava suficientemente satisfeito. De boca cheia não consegui responder mas da forma como o chupava, ele rapidamente percebeu que não, eu não estava satisfeito. Aliás! Insatisfeito como sou, acho que só fico bem se tiver um pénis para chupar todos os dias. E como isso não acontece sempre, eu tinha era que aproveitar aquele momento ao máximo. Se ele estava de pau duro, eu não tinha outra solução se não chupar. Chupar que nem um doido a morrer de sede. Depois de um tempo, ele fez com que a minha boca se juntasse à sua e depois perguntou-me: “Aguentas mais uma?!” E eu, limitei-me a acenar afirmativamente com a cabeça, não tendo bem a certeza se aguentaria realmente mais uma. É que para mim tudo aquilo era novo. Para além de já ter tido a melhor experiência sexual de toda a minha vida, nunca tinha passado por uma experiência de repetição. Nunca um homem me tinha penetrado duas vezes seguidas num tão curto espaço de tempo. Mas se ele estava afim, quem era eu para recusar um bis?! E quando dei por mim, ele levantou-se da cama, agarrou-me pelas ancas, colocou-me de quatro e sem dó nem piedade, enfiou de imediato o seu pénis pelo meu cu a dentro. Naquele momento tenho mesmo a certeza que vi estrelas, pois a dor da entrada bruta foi tanta que eu até quase chorei mas... apesar da muita dor, o prazer foi maior ainda e... Oh Good! Que sensação boa! Que momento maravilhoso! Apesar de ambos estarmos completamente estafados, ele fez-me repetir tudo o que já tinha passado antes. Ou seja, voltei a levar com ele nas diversas posições, de forma carinhosa e de forma agressiva. Ele fez-me suplicar para não parar, para não tirar o seu pénis de mim, para me foder sem parar e apesar desse segundo round não ter durado mais de uma hora, durou na mesma o tempo suficiente para eu me sentir arrebentado e ao mesmo tempo realizado.


 



 


Ao fim de um tempo, onde ele apoderou-se por completo do meu cu, da mesma forma que a primeira vez, ele gozou dentro de mim. Gemeu, ficou sem fôlego e morto estendeu-se em cima de mim. E assim ficou durante mais um tempo. Até ao tempo em que ambos conseguimos respirar mais calmamente. E desta vez ele estava mesmo morto e a cair para o lado, pois quando tentou levantar-se, teve uma ligeira tontura e precisou do meu apoio para ir até à casa de banho. E lá, eu o vi a tomar um banho rápido e foi só nesse instante é que eu percebi que a noite tinha chegado ao fim. O sonho terminou e agora sim, cada um ia à sua vida.


 


Pelo chão da sala procurei as minhas roupas e vesti. Ele fez o mesmo depois do banho. Surpreendeu-se por já passar das duas da manha e disse que assim que me deixasse em casa, iria depois tomar um antistaminico e dormir, pois às seis da manha teria que já estar de pé. E sim! Ele foi mesmo um cavalheiro e levou-me não até à porta da minha casa, mas sim até ao local onde tínhamos marcado o encontro, que para falar a verdade, ficava a cinco minutos da minha casa. Com um beijo despedimo-nos com a promessa de que iríamos manter contacto e depois... Bem! Depois cada um foi mesmo à sua vida.


 


E agora, todas essas recordações estão a deixar-me um pouco em baixo. Receio que ainda não é hoje que irei terminar de falar sobre tudo o que aconteceu com o Rui. Sim porque eu ainda tenho mais algumas coisas para falar. Poderá não ser de sexo mas amanha vou voltar a tocar no assunto Rui, pode ser? Vocês vão voltar para saber o que mais há para contar? Eu acho que sim!!!


 


E calma! Apesar de estar um pouco em baixo, eu não estou deprimido e olha que eu acho que ainda tenho muitas coisas (boas) para contar...

22
Jan16

Vamos falar de sexo? (Agora sim!!)


 


O texto que se segue apresenta um conteúdo não apropriado para menores de 18 anos. E agora que o aviso já foi feito, vou começar de onde ontem terminei.


 


Depois de muitos beijos e amassos, a minha fome e a minha sede já era tanta que não hesitei em passado um tempo, ajoelhar-me para maravilhar-me com aquele seu membro delicioso. Um membro não muto grande, não muito pequeno, enfim... aquele pénis tinha o tamanho ideal para mim e se tê-lo na minha mão já me deixava num estado de felicidade bem elevado, tê-lo na minha boca foi algo do outro mundo. Já há muito que não tinha o prazer de presentear a minha boca com uma maravilha como aquela e por isso, fui com toda a sede ao pote e deliciei-me. De joelhos, chupei o seu pénis, lambi o seu corpo e passado um tempo, ele agarra-me pelos braços, faz com que eu me levante e beija-me novamente com muito fervor. Depois perguntou-me se eu queria ir para o quarto, coisa que eu disse logo de imediato que sim. Ele então sem demoras, virou-me de costas e abraçou-me, fazendo com que o seu pénis ficasse a roçar no meu rabo, a roçar por entre as minhas pernas e quando chegamos ao quarto, ele atirou-me para a cama e deitou-se por cima de mim, com aquele seu membro maravilhoso a roçar bem próximo do meu cú. Por momentos achei que a vontade de ele me comer já era tanta que ia já ali me penetrar a torto e a direito mas não! Antes do acto em si da penetração, ele tencionava ainda brincar muito com o meu corpo.


 


Eu já não sou novo nestas andanças do sexo. Infelizmente comecei cedo (ou talvez, aos 18 anos já comecei tarde de mais) e já passei por muito. E já passei por muitos homens, todos eles muito diferentes, que em alguns casos, foram perfeitos para matar a minha fome mas até àquela noite, nunca tinha estado com alguém que me tratasse de forma especial. Por norma, nesses encontros esporádicos, eles querem penetrar, gozar e depois vai cada um à sua vida. Com o Rui foi diferente! Ele tratou-me de um modo especial. De um modo como eu adorei ser tratado. Com ele, eu senti que a preocupação dele não era a de satisfazer-se a si próprio. Ele estava também preocupado se com aquele momento, eu também teria prazer. Se tal como ele, se eu estava também a desfrutar daquele momento mágico e sim! Eu estava! O Rui tratou-me e cuidou de mim de um modo como nenhum outro me tratou e agora vocês devem estar a achar que com isso, eu já fiquei apaixonado. Com certeza devem estar a achar que eu já encontrei o meu príncipe encantado mas não! Vamos com calma ok?! O que aconteceu naquele quarto não foi amor, não foi paixão, foi apenas sexo. Puro sexo e nada mais! Mas claro, não vou mentir-vos. O meu ‘eu’ mais intimo corre o risco de ficar perdidamente apaixonado só por causa daquele momento de sexo mas não, isso não vai acontecer. Primeiro porque ele não dá liberdade para isso e segundo, porque o meu ‘eu’ mais racional também não permite que algo assim aconteça de repente na minha vida. Mas continuando...


 


Sem qualquer receio, sem qualquer tipo de nojo, os lábios, a boca e a língua do Rui percorreram cada canto do meu corpo. E sempre que sentia a sua boca quente tocar na minha pele, as suas mãos a agarrarem nela, eu delirava de prazer mas o momento mais alto foi mesmo quando ele começou a brincar com o meu cu. Primeiro com os dedos marotos que entravam e saiam para me provocar e depois com a boca, com a língua... oh Good!! Acho que estou a ser demasiado gráfico e acho que estou a ficar excitado com todas essas lembranças mas... Prometi que ia falar de sexo não prometi?! E olha que isso não é ficção! Não é fruto da minha imaginação não! O que eu estou para aqui a contar, felizmente aconteceu realmente comigo e espero que também aconteça com aqueles que estão agora a ler este artigo. Sim porque, caso ainda não tenham tido a oportunidade de ter um homem a beijar, a lamber, a enfiar a língua pelo teu cu a dentro, deixem-me que vós diga que não sabem aquilo que perdem. A sensação é boa, boa demais! É indescritível! E enquanto ele brincava com o meu cu e deixava-me já preparado para receber o seu membro maravilhoso e em ponto de bala, eu, através da posição 69, chupava-o todo. Que sensação!!!


 



 


Depois daquele momento, o meu cu já estava mesmo pronto e cheio de vontade de o receber cá dentro mas não, ele ainda não quis me penetrar. Antes disso, ainda trocamos alguns beijos, ele continuou com as suas mãos e a sua boca a percorrer o meu corpo e como ele percebeu que eu adorava chupar o seu pénis, ainda deu-me a oportunidade de chupar mais um pouco. E a minha cede era tanta que ele teve mesmo que pedir para que eu fosse com mais calma, porque se não, ele não iria aguentar e vinha-se naquele momento, coisa que ele não queria ainda que acontecesse. Antes do seu líquido precioso saltar cá para fora, ele ainda tencionava fazer muitas coisas comigo. E agora sim, passando à parte do sexo anal, depois de muito deliciar-me com o seu pénis, ele disse-me que já estava doido para me comer. Virou-me de costas e preparou-me para receber o seu pénis, que apesar de não ser monstruoso, impunha algum respeito e eu confesso que naquele momento, fiquei um pouco assustado. Nas minhas últimas relações sexuais, a coisa não tinha passado do sexo oral. Há muito tempo que o meu cú não recebia uma visita e estava com medo. Medo da dor! Medo de não aguentar com aquele pénis, que sim! Até tinha uma cabeça grande. Tinha medo de não conseguir satisfazer-lhe e desistir logo de imediato. Ele com calma e com todo o carinho do mundo, lá fez a primeira tentativa de entrada mas quando senti aquela cabecinha a querer entrar, eu confesso que fugi. Senti que não estava preparado para aquela dor. Disse-lhe que já há muito não passava por isso mas ele pediu-me para ter calma. Para relaxar, que eu ia gostar e de que ele ia com toda a calma do mundo. Olha! Só vós digo que quando dei por mim, o seu maravilhoso pénis já tinha ultrapassado todas as barreiras e já estava bem alojado no meu cu. Claro que no inicio foi doloroso mas o que é bom, é que essa sensação de dor vem sempre acompanhada de uma sensação muito prazerosa e por isso, eu estava simplesmente maravilhado. Quando ele começou com aquele vai-vem lento, apenas para que o meu cu se acomodasse com aquele ser estranho dentro de mim, já eu estava completamente rendido. Já eu desejava para que o seu pénis nunca mais saísse de dentro de mim, enfim... Escusado será dizer que aquele momento foi... acho que nem tenho palavras!. Pois! E hoje de facto receio que já não tenho mais palavras. Lamento mas o resto da noite terá que ser contada apenas amanha. Agora tenho outros afazeres, como por exemplo, tomar um banho bem gelado para ver se apago este fogo que há dentro de mim. Mas fora de brincadeira, de momento não tenho mesmo mais tempo para continuar a escrever. São 3 da tarde e eu ainda estou de pijama. Tenho que tomar banho, vestir-me e perfumar-me, pois mais logo vou ter que sair e... perguntam vocês: sair para onde? Ou melhor! A questão aqui nem é o sair mas sim o com quem eu vou-me encontrar. E com quem será?! Bem! Isso são conversas para outros dias...


 


E calma! Prometi que falava de sexo e hoje já falai de sexo, não falei? Mas amanha vou continuar a falar, pode ser?!

21
Jan16

Vamos falar de sexo?


 


Sim! Hoje vamos mesmo falar de sexo! Mais propriamente do sexo que aconteceu comigo há uns dias atrás e que eu estou doido para vos contar como foi. É estúpido! Eu sei mas... quero deixar esse momento registado para que nunca mais me esqueça de como o sexo é bom! Muito bom! E faz bem ao coração, à alma, à pele, a tudo! O sexo rejuvenesce uma pessoa e é assim que eu me sinto, um tonto rejuvenescido. Mas quem é que não fica assim, com um ar tonto depois de passar óptimos momentos com um homem?


 


2015 que já lá vai longe, não foi um ano muito bom para mim em termos de relacionamentos. Para falar a verdade, também não foi um ano em que eu tivesse procurado muito por eles. Foi de facto o ano em que aderi a algumas apps de engate, como o Gaydar, o Grindr e o Badoo (como já aqui falei) mas nem por isso, foi um ano repleto de relacionamentos. E porquê? Bem porque aquilo que eu andava à procura não era compatível com aquilo que a maioria queria. Apesar de sentir falta do contacto de um homem, do corpo a corpo e de todas as sensações que o sexo proporciona, a verdade é que eu andava à procura de algo mais sério. De um relacionamento que não começasse logo com uma ida para a cama, para ambos conseguirmos prazer um com o outro. Eu não queria isso. Queria (e ainda quero!) conhecer um homem que goste de falar, que goste de dar tempo para nos conhecermos melhor, que goste de uma noite romântica, com um jantar especial, uma ida ao cinema, ao teatro, dar um passeio e que tal como eu, goste de estar no conforto do sofá, agarradinhos um ao outro, a ver qualquer programa que seja na TV. Ou seja! Aquilo que eu realmente procurava (e ainda procuro!) era um namorado. Um homem com quem eu pudesse compartilhar os bons e os meus momentos da minha vida mas... que estúpido que eu sou! Obviamente, tal como já aqui falei, não seria através dessas apps que eu iria encontrar esse homem. Esse príncipe encantado que eu insisto em dizer que será um príncipe, apesar de já saber que os príncipes não existem. Aquilo que os homens procuram nessas apps é sexo! Puro sexo e nada mais do que sexo. E mais uma vez eu digo: aquele que disser o contrário está apenas a mentir. O sexo é aquilo de que todos andam atrás e como em 2015 eu não estava muito virado para isso, optei por não aventurar-me nesses encontros esporádicos e repentinos.


 


No entanto, 2016 começou e no passado dia 7 de Janeiro algo de diferente aconteceu. Na esperança de encontrar o meu príncipe, nesse dia à tarde resolvi ligar-me ao Manhunt para ver quem lá andava. Nesse dia, a intenção era mesmo aliviar-me do stress. Esquecer um pouco o stress do trabalho, o cansaço, a monotonia da rotina diária e encontrar alguém com quem realmente tivesse um momento de sexo, por muito breve que fosse. E durante toda à tarde andei nessa procura. E quando já achava que ninguém iria ser merecedor da minha companhia, sou abordado por um homem que mete conversa comigo e que despertou o meu interesse. Nesse pequeno diálogo, fiquei a saber que esse homem morava bem próximo de mim, que tinha 45 anos e que tal como eu, queria sexo real naquele preciso momento. Sem hesitar, até porque eu estava mesmo necessitado do contacto humano, marcamos um encontro à noite ao pé da minha casa. Claro que estava nervoso! Claro que passou-me pela cabeça desistir e não aparecer no local! Claro que condenei-me a mim próprio por estar a fazer aquilo que todos fazem e que eu tanto critico, que era procurar sexo, apenas por sexo mas... Deixei os nervos de lado, apareci no local e não me arrependo do que aconteceu nos minutos e horas a seguir. E para todos os efeitos, vou agora baptizar esse homem como Rui e vou agora contar-vos como foi essa minha aventura com o Rui.


 



 


À hora marcada ela lá chegou no seu carro. Eu entrei e de imediato surpreendi-me. Apesar de ter dito que tinha 45 anos, o Rui não aparentava ter a idade que tinha. Muito pelo contrário! Tinha um ar jovem, um ar cuidado, um ar atraente, parecia mesmo um jovem de 20 e poucos anos e isso agradou-me. Não que a idade seja um entrave para ter sexo com um homem mas como sabemos, às vezes há homens que apesar de jovens, parecem tão acabados que... enfim! Esse não era o caso do Rui. Depois de entrar no seu carro, ele perguntou-me se queria ir com ele até à sua casa e eu não recusei. E durante a viagem, tanto ele como eu, pouco ou nada dissemos. Apenas houve vários cruzares de olhar até que, passado um tempo, numa estrada bem escura e deserta, ele para o carro e sem demoras agarra-me para poder beijar-me. Confesso que naquele momento fiquei um pouco assustado, até porque o próprio cenário era assustador mas não houve razões para tal. Ele apenas quis beijar-me, tocar-me e eu retribui os beijos, retribui as carícias e quando ambos quebramos o gelo, ele voltou a ligar o carro e prosseguimos viagem, cada um com um sorriso no rosto. De mãos dadas ele levou-me até à sua casa onde lá, eu sabia, eu tinha a certeza que magia ia acontecer. Só não sabia que essa magia fosse tão espectacular.


 


Assim que entramos no seu pequeno apartamento, onde apenas era iluminado pela luz de um candeeiro na sala e pela televisão no quarto, ele não esperou e agarrou-me com força para poder beijar-me e percorrer a sua mão por todo o meu corpo. A vontade de me comer era tanta que ele sem demoras começou a tirar a minha roupa e eu não fiquei atrás. A minha mão percorreu todo o seu corpo e sem demoras também comecei a despi-lo. E quando já ambos estávamos nus e aos beijos sem parar, eu senti todo aquele seu calor, toda aquela sua força e claro, tontinho como sou, naquele momento eu já dava-me por satisfeito. Naquele momento achei que já nem valeria a pena a penetração, o sexo oral ou um orgasmo, pois só com o facto de ter aquele seu grande membro erecto na minha mão, eu já estava a sentir-me a pessoa mais feliz do mundo. Pois é! Eu sou mesmo assim! Às vezes contento-me com pouco, quando na verdade posso ter muito mais. E ainda bem que naquela noite tive muito mais! Naquela noite lembrei-me de como o sexo é realmente bom! E foi tão bom que nem tenho palavras para descrever como foi. Felizmente não foi daquele sexo que em três tempos, o gajo vem-se num instante e depois, com um aperto de mão despede-se de nós e vai cada um à sua vida. Felizmente, os minutos, as horas que se seguiram foram... enfim! A troco de nada, o Rui ofereceu-me o melhor sexo de toda a minha vida e não, não estou a exagerar! O momento foi mesmo muito bom, tão bom que agora já nem tenho mais palavras para vos contar como foi. Receio que o resto dessa minha aventura vá apenas contar-vos no dia de amanha  e... olhem que amanha tenho muito, mesmo muito para contar.


 


E calma! Prometo que amanha vou mesmo falar de sexo...

14
Jan16

Vamos falar de sexo?

Sim! Vamos falar! Até porque tenho muitas coisas para falar do sexo que tem acontecido na minha vida mas... Não será hoje. Em breve vou relatar alguns momentos que aconteceram comigo, em que o sexo teve todo o protagonismo. Mas isso fica para um outro dia.

Fica atento ao MORE e brevemente vão saber mais...

20
Set15

Quando a solução é pagar... para ter sexo...


 


Eu lanço as perguntas e depois respondo. E em relação à pergunta número 4, eu até já tinha respondido através daqui. Sim! Eu já paguei para ter sexo e é como eu já disse, não me arrependo do que fiz. Claro que preferia não o ter feito mas às vezes não há outra solução e quando se é jovem, com o fogo constante dentro de nós, às vezes é um pouco difícil resistir. E no tempo em que recorria a esse método para ter sexo, não existia ainda as milhares de aplicações de engate, para quem procura sexo rápido e sem compromisso. Foram outros tempos. Tempos em que o caminho mais fácil era mesmo procurar quem a troco de dinheiro, me desse um pouco de prazer. Eu não paguei uma, nem duas, nem três, nem quatro, enfim... acho que perdi a conta das vezes todas em que paguei e tudo isso começou ainda na era dos escudos.


 


Para muitos, ter que pagar para estar com um homem, deve ser uma coisa horrível. Algo que jamais iriam fazer, algo que só os infelizes iriam fazer. Eu não penso assim! Claro que, pensando bem, hoje com 34 anos, eu chego à conclusão de que na altura, cheguei a gastar muito dinheiro com prostitutos, dinheiro esse que com toda a certeza, seria mais útil se fosse gasto em outras coisas mas... o corpo não resiste! E quando eu era mais novito, eu não me aceitava tal e qual como era, tal e qual como ainda sou. Tinha vergonha de mim mesmo. Odiava o meu corpo, odiava olhar-me ao espelho e na altura sabia, com 100% de certeza, que nenhum homem se iria interessar por mim. E eu era novo, tinha necessidade de conhecer outras coisas, descobrir outros prazeres e o sexo era uma dessas coisas. Como não conseguia arranjar namorado algum e como achava que ninguém jamais iria olhar para mim com aquele olhar de querer sexo comigo, recorri aos homens disposto a receber. Para esses, o importante era o dinheiro. Não importava se eu era alto, ou baixo, magro ou gordo, o importante era que no final do serviço, ele recebesse o seu dinheirinho. Ele ficava satisfeito e eu também! Claro que o meu momento de satisfação era curto mas valia a pena. Naquela altura eu não gostava de mim próprio, por isso, como é que alguém havia de gostar de mim?? A troco de uns escudos e mais tarde a troco de uns euros eu encontrei a solução.


 


A primeira vez que paguei para estar com um homem, foi aos 17 anos. Sim! Ainda era novito e não sabia nada do que era estar com um homem. Lembro-me perfeitamente dessa ocasião. Eu já trabalhava e por isso já ganhava o meu próprio dinheirinho. Um dia, ao sair do trabalho, encontrei na paragem do autocarro umas páginas dos classificados do Correio da Manha e por curiosidade dei uma espreitadela. Assim que comecei a espreitar, reparei que havia ali muitos anúncios de mulheres a oferecerem os seus serviços sexuais a troco de dinheiro. Achei estranho haver tantos anúncios daqueles mas rapidamente, e por curiosidade, comecei logo a ver se havia também anúncios de homens a oferecerem os seus serviços. E de facto encontrei. Eram poucos! Pouquíssimos! Mas aquilo fez com que eu quisesse ao menos telefonar para eles, só para saber mais informações. E foi o que fiz! Telefonei para um desses homens e nesse dia, em vez de ir directo para casa, passei primeiro pela casa de um homem estranho, que a troco de uma nota de 10 mil escudos, fez sexo comigo e... a experiência foi horrível mas isso é uma outra história. Desde então, fui pagando a mais uns quantos e como os tempos evoluíram, já nem era necessário comprar o jornal Correio da Manha para ver os classificados, através da net, acabei depois por encontrar um site de garotos de programas, site esse que ainda existe, e através de lá, como se de um catalogo se tratasse, eu escolhia a pessoa com quem queria ter sexo e depois, era só ligar, combinar, aparecer, ter um sexo (estranho!) de 30 minutos, satisfazer-me, pagar, ir embora e... seguir para um próximo.


 


Como já aqui disse, desde essa altura, cheguei a pagar muitas vezes para ter sexo e a ultima vez aconteceu há sensivelmente cinco anos atrás, quando tinha 29 anos. Nessa altura ainda estava numa fase má da minha vida, onde não me aceitava a mim próprio e claro, isso fazia com que mais ninguém me aceitasse. Hoje as coisas já estão completamente diferentes. Já não sinto aquela necessidade de ter que pagar para apagar o fogo dentro de mim. Já me aceito tal e qual como sou. Não me importa se sou negro, alto e com uns quilos a mais. Claro que preferia deixar de lado esses quilos a mais mas hoje já consigo olhar-me ao espelho e gostar daquilo que vejo. E com tantas apps que andam por aí, eu só tenho sexo com quem realmente quer ter sexo comigo. Eu cresci! Um pouco tarde mas cresci e a minha mentalidade foi mudando. Hoje, por muito dinheiro que tivesse no banco (o que não é o caso!!) não me vejo a pagar para ter sexo com mais ninguém. Ou talvez pagaria mas essa é também uma outra história...


 


E agora que, já passei vergonha em contar uma parte da minha vida, é a vossa hora de responderem à questão: "Já tiveste que pagar para ter sexo com alguém?" Eu continuo à espera das vossas respostas que podem ser deixadas aqui, ou então nos comentários deste artigo.


 


Continuação de um óptimo domingo e em breve, eu conto mais alguns segredinhos da minha vida...

13
Set15

10 curiosidades científicas sobre o sexo que você não pode morrer sem saber


 


Sexo é bom e todo mundo gosta. Mas as coisas podem não ser tão simples quanto parecem. A sexualidade humana e animal esconde segredos, detalhes e curiosidades que só mesmo os cientistas podem nos ajudar a entender. Conheça algumas delas:


 


Sexo para curar enxaqueca


Um estudo da universidade de Münster com 400 pessoas que sofrem de dores de cabeça e enxaqueca constatou que 20% dessas pessoas conseguiram interromper suas crises com relações sexuais. Outras 36% sentiram uma melhora parcial nos sintomas após o ato. Melhor que tomar remédio, não?


 


Postar no Facebook provoca no cérebro sensação semelhante à do sexo


Falar sobre si mesmo em redes sociais faz com que o corpo libere dopamina, a mesma substância química que provoca no cérebro a sensação de prazer resultante de uma relação sexual. Pelo menos é que diz um estudo realizado pela universidade de Harvard.


 


As 20 músicas que dão mais prazer do que sexo


Um estudo da universidade de Londres com 2 mil pessoas entre 19 e 91 anos descobriu que 40% dos entrevistados ouvem música durante o sexo. A pesquisa também gerou uma lista com 20 canções, cuja audição é mais prazerosa que o sexo. Bohemian Rapsody, do Queen, foi a primeira colocada.


 



 


A camisinha de látex pode desaparecer em breve


Financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates, um projeto da universidade de Wollongong pode acabar com a camisinha como a conhecemos. A novidade é o uso de hidrogéis (no lugar do látex) na fabricação de preservativos. O fato de ser úmido e mais maleável é o que justifica a potencial substituição.


 


Exercício é afrodisíaco


Você sabia que a prática de exercícios físicos pode ser afrodisíaca? É o que diz um estudo realizado com 250 pessoas pela universidade da Califórnia. Os cientistas constataram que aqueles que realizavam cerca de 40 minutos de exercício por dia tinham o dobro do desejo sexual do que os que praticavam uma média de 20 minutos diários de atividades.


 


Camisinha elétrica existe


Já ouviu falar da camisinha elétrica? Criada por pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia, o preservativo é formado por tecido condutor libera impulsos elétricos de baixa intensidade para provocar mais prazer.


 


Crise econômica abala desejo sexual


Na Espanha, de 2010 para 2012, o tempo médio dedicado às relações sexuais caiu de duas horas por semana para apenas 34 minutos a cada sete dias. Os dados foram coletados num levantamento realizado pela Pfizer com 502 mulheres e 528 homens entre 36 e 65 anos, antes e depois da crise econômica.


 



 


Procuramos parceiros parecidos conosco


Um experimento realizado pelo Instituto de Ciências da Evolução de Montpellier pediu que voluntários escolhessem entre alguns rostos femininos o que lhe parecesse mais atraente. No fim, foi constatado que os participantes majoritariamente escolheram mulheres com traços físicos semelhantes aos seus.


 


Laptop pode sim deixar estéril


A publicação Fertility and Sterility divulgou um estudo que demonstra que colocar o laptop, conectado ao Wi-Fi , no colo piora a qualidade do sêmen. Para o experimento, amostras do esperma de 29 homens foram colocadas debaixo de um notebook conectado à internet sem fio. Quatro horas depois, os espermatozóides já não se mexiam.


 


Fêmeas podem ter pênis


No norte de Minas Gerais, biólogos brasileiros identificaram a presença de fêmeas com pênis em quatro espécies de insetos. Alguns indivíduos com pênis dessas espécies possuíam gametas maiores - típicos das fêmeas - o que tecnicamente os caracteriza como fêmeas. Um artigo sobre a descoberta foi publicado na Current Biology.


 


FonteBlog Para Mocinhos

30
Ago15

Tutorial: Como comer um rabo de macho (só para maiores de 18)


 


Se você acha que comer um rabo, é só botar o pau pra dentro, temos péssimas notícias…VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO MUITO ERRADO! Para ajudar, vocês ativos, nós criamos esse pequeno tutorial de como comer o rabo de um macho. Siga todas as nossas dicas que sua próxima transa vai ser sucesso!


 


USE MUITO A LÍNGUA


Passe sua língua molhada delicadamente pelo cu do cara, e imagine que ali é uma boca e BEIJE (mas aquele beijo que chupa, faz sucção, usa lábios e língua ao mesmo tempo – foto abaixo), é o segredo para todo bom cunete que se preze. Abuse do beijo e em pouco tempo você terá um passivo se derretendo de tesão por você. Acredite ou não, de cada 10 amigos meus, 8 falam que os ativos não sabem fazer um bom cunete. Ou são rápidos demais ou só ficam balançando a pontinha da língua lá. Uó!


 


Outra observação muito importante, vai sempre falando com o cara, perguntando se está bom, se ele está gostando. Se ele estiver ocupado com o seu pau na boca fazendo um 69, ele vai responder com gemidos que você vai gostar de ouvir.


 


USE OS DEDOS


Depois do cunete, é hora de avançar o sinal, use os dedos, devagar, com muita delicadeza, coloca um pouquinho, e depois mais um pouquinho, depois dois dedos, três dedos e vai vendo até onde o cara vai curtindo. Lubrifica bem com seu cuspe. Mas atenção! Corte as unhas antes de fazer isso, ninguém merece caras com unhas grandes machucando tudo. É a mesma coisa de dentes no seu pau. Nenhum ativo curte! Com muito vai-e-vem, usando vários dedos e passando a língua, você já percebe que o rabo do cara está bem abertinho, então é sinal que ele está pedindo sua piroca!


 



 


HORA DA PIROCA ENTRAR EM AÇÃO


Mas calma! Nunca, em hipótese alguma, coloque tudo de uma vez, nem se for em um passivo safado que goste e esteja habituado a dar o cu, sempre tenha calma, a princípio. Sabe aquele “tira e coloca”, só a cabecinha? Então, faça isso para deixar o passivo bem louco. Faça com que ele te peça mais. Depois você vai entrando aos poucos e aos poucos. Quando seu pau estiver lá dentro, você pode começar o vai-e-vem, sempre perguntando se o passivo está gostando.


 


Depois de tudo isso, está liberado: você pode socar e socar à vontade!!! Pode tirar o pau e colocar todo de vez sem pena, isso também está liberado. E, claro, pode dar uns bons tapas na bunda do safado. Eles adoram!


 


TROQUE DE POSIÇÃO


Não esqueça de sempre trocar de posição. Uma posição que é boa para você, nem sempre é boa para o cara que você está comendo. Então, principalmente na primeira vez, é bom você ir trocando para saber qual posição ele gosta mais. Lembre-se, o sexo tem que ser bom para os dois.


 


DICA IMPORTANTE


Se o passivo perguntar se você quer gozar, GOZE! Isso pode ser duas coisas: ou ele está louco de tesão e está querendo gozar também junto com você ou é sinal que a foda já deu e você precisa finalizar o serviço logo. No primeiro caso, o perigo do passivo gozar antes de você, é que involuntariamente o rabo se contrai e “fecha” enquanto os passivos estão gozando, e vai ser muito difícil você continuar metendo lá dentro, certamente você vai ter que terminar o trabalho na punheta.


 



 


GOZEI ANTES


Se você gozar antes, não esqueça de ajudar seu passivo a gozar também. Você pode beijá-lo e usar os dedos no rabo dele, enquanto ele bate punheta ou fazer um belo cunete lá atrás. Esse papo que só o ativo goza, é mentira! Os passivos adoram gozar, principalmente com o pau dentro deles. Então, a melhor opção é gozar juntos. Sincronia na transa é tudo.


 


E esse foi o nosso tutorial de como comer o rabo de um passivo, se você tem mais dicas, escreva nos comentários abaixo, queremos saber! E quais os próximos tutoriais que você quer ver por aqui? Deixe dicas também!


 


Texto por: Aquarium Gays


 


Este foi um óptimo tutorial que encontrei pela net e passivo como sou, tenho que confessar que estão aqui todas as boas dicas, para um activo saber satisfazer o seu homem. Tinha que partilhar essas dicas com vocês e claro, gostava de saber a vossa opinião em relação a esse sugestivo tutorial.

Os meus blogs

Calendário

Fevereiro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

  • Anónimo

    so de ler ja estou com tezão

  • Anónimo

    o banho tem secções no meu ginasio e por isso nimg...

  • Carlos Lontro

    A minha sobrinha é lésbica mas os meus pais e irmã...

  • Carlos Lontro

    comenta comigo pelo face e eu dote uma ajuda a per...

  • Anónimo

    Muito bom texto. Deixei ontem de trabalhar num e t...

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.