Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

20
Set15

Quando a solução é pagar... para ter sexo...


 


Eu lanço as perguntas e depois respondo. E em relação à pergunta número 4, eu até já tinha respondido através daqui. Sim! Eu já paguei para ter sexo e é como eu já disse, não me arrependo do que fiz. Claro que preferia não o ter feito mas às vezes não há outra solução e quando se é jovem, com o fogo constante dentro de nós, às vezes é um pouco difícil resistir. E no tempo em que recorria a esse método para ter sexo, não existia ainda as milhares de aplicações de engate, para quem procura sexo rápido e sem compromisso. Foram outros tempos. Tempos em que o caminho mais fácil era mesmo procurar quem a troco de dinheiro, me desse um pouco de prazer. Eu não paguei uma, nem duas, nem três, nem quatro, enfim... acho que perdi a conta das vezes todas em que paguei e tudo isso começou ainda na era dos escudos.


 


Para muitos, ter que pagar para estar com um homem, deve ser uma coisa horrível. Algo que jamais iriam fazer, algo que só os infelizes iriam fazer. Eu não penso assim! Claro que, pensando bem, hoje com 34 anos, eu chego à conclusão de que na altura, cheguei a gastar muito dinheiro com prostitutos, dinheiro esse que com toda a certeza, seria mais útil se fosse gasto em outras coisas mas... o corpo não resiste! E quando eu era mais novito, eu não me aceitava tal e qual como era, tal e qual como ainda sou. Tinha vergonha de mim mesmo. Odiava o meu corpo, odiava olhar-me ao espelho e na altura sabia, com 100% de certeza, que nenhum homem se iria interessar por mim. E eu era novo, tinha necessidade de conhecer outras coisas, descobrir outros prazeres e o sexo era uma dessas coisas. Como não conseguia arranjar namorado algum e como achava que ninguém jamais iria olhar para mim com aquele olhar de querer sexo comigo, recorri aos homens disposto a receber. Para esses, o importante era o dinheiro. Não importava se eu era alto, ou baixo, magro ou gordo, o importante era que no final do serviço, ele recebesse o seu dinheirinho. Ele ficava satisfeito e eu também! Claro que o meu momento de satisfação era curto mas valia a pena. Naquela altura eu não gostava de mim próprio, por isso, como é que alguém havia de gostar de mim?? A troco de uns escudos e mais tarde a troco de uns euros eu encontrei a solução.


 


A primeira vez que paguei para estar com um homem, foi aos 17 anos. Sim! Ainda era novito e não sabia nada do que era estar com um homem. Lembro-me perfeitamente dessa ocasião. Eu já trabalhava e por isso já ganhava o meu próprio dinheirinho. Um dia, ao sair do trabalho, encontrei na paragem do autocarro umas páginas dos classificados do Correio da Manha e por curiosidade dei uma espreitadela. Assim que comecei a espreitar, reparei que havia ali muitos anúncios de mulheres a oferecerem os seus serviços sexuais a troco de dinheiro. Achei estranho haver tantos anúncios daqueles mas rapidamente, e por curiosidade, comecei logo a ver se havia também anúncios de homens a oferecerem os seus serviços. E de facto encontrei. Eram poucos! Pouquíssimos! Mas aquilo fez com que eu quisesse ao menos telefonar para eles, só para saber mais informações. E foi o que fiz! Telefonei para um desses homens e nesse dia, em vez de ir directo para casa, passei primeiro pela casa de um homem estranho, que a troco de uma nota de 10 mil escudos, fez sexo comigo e... a experiência foi horrível mas isso é uma outra história. Desde então, fui pagando a mais uns quantos e como os tempos evoluíram, já nem era necessário comprar o jornal Correio da Manha para ver os classificados, através da net, acabei depois por encontrar um site de garotos de programas, site esse que ainda existe, e através de lá, como se de um catalogo se tratasse, eu escolhia a pessoa com quem queria ter sexo e depois, era só ligar, combinar, aparecer, ter um sexo (estranho!) de 30 minutos, satisfazer-me, pagar, ir embora e... seguir para um próximo.


 


Como já aqui disse, desde essa altura, cheguei a pagar muitas vezes para ter sexo e a ultima vez aconteceu há sensivelmente cinco anos atrás, quando tinha 29 anos. Nessa altura ainda estava numa fase má da minha vida, onde não me aceitava a mim próprio e claro, isso fazia com que mais ninguém me aceitasse. Hoje as coisas já estão completamente diferentes. Já não sinto aquela necessidade de ter que pagar para apagar o fogo dentro de mim. Já me aceito tal e qual como sou. Não me importa se sou negro, alto e com uns quilos a mais. Claro que preferia deixar de lado esses quilos a mais mas hoje já consigo olhar-me ao espelho e gostar daquilo que vejo. E com tantas apps que andam por aí, eu só tenho sexo com quem realmente quer ter sexo comigo. Eu cresci! Um pouco tarde mas cresci e a minha mentalidade foi mudando. Hoje, por muito dinheiro que tivesse no banco (o que não é o caso!!) não me vejo a pagar para ter sexo com mais ninguém. Ou talvez pagaria mas essa é também uma outra história...


 


E agora que, já passei vergonha em contar uma parte da minha vida, é a vossa hora de responderem à questão: "Já tiveste que pagar para ter sexo com alguém?" Eu continuo à espera das vossas respostas que podem ser deixadas aqui, ou então nos comentários deste artigo.


 


Continuação de um óptimo domingo e em breve, eu conto mais alguns segredinhos da minha vida...

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Os meus blogs

Calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.