Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

31
Mar17

Naked As We Came | +Filme

Já que estou por aqui a sugerir filmes para que possam ver assim que possível na vossa casa, sozinho ou muito bem acompanhado, seria de se esperar que eu só sugerisse filmes cinco estrelas. Mas isso não vai ser bem assim, até porque se para mim, um filme não presta para nada, para outra pessoa, o filme pode vir a ser espectacular. Por isso, independentemente de não gostar de um determinado filme, eu vou deixar na mesma aqui a minha sugestão, pois quem sabe, pode ser que tu venhas a gostar.

 

slide_317075_2913009_free.jpg

 

E toda esta conversa inicial, foi para apresentar este “NAKED AS WE CAME”, um filme que já tive a oportunidade de o ver há algum tempo e que, como já devem ter percebido, o filme não foi nada do meu agrado. Do princípio ao fim, o filme não fez nenhum sentido e tudo nele, desde a realização ao desempenho dos actores, foi mesmo mau. Foi um trabalho de amador que para mim, não merece se quer a nossa atenção.

 

O filme conta a história de dois irmãos, Elliot (Ryan Vigilant) e Laura (Karmine Alers), que ao fim de dois anos sem visitarem a sua mãe, resolvem passar um fim-de-semana na casa dela. Quando lá chegam, para além de encontrarem a mãe muito doente, já prestes a morrer, descobrem que um jovem muito bonito (Ted), vive com ela e apesar do jovem não perceber nada de jardinagem, ele é apresentado como sendo o jardineiro da casa. Enquanto mãe e filha tentam reconciliar-se de discussões do passado, Elliot aproxima-se de Ted (Benjamin Weaver) e os dois têm um breve romance que terá um segredo por trás.

 

NAKED AS WE CAME poster.jpeg

 

À partida o filme até poderia ter ingredientes suficientes para ser minimamente interessante mas não, o realizador Richard LeMay, que também assina o argumento, não conseguiu aproveitar da melhor forma esses ingredientes.

29
Mar17

É tempo dos espirros...

A Primavera chegou e no meu caso eu digo mesmo, a maldita Primavera chegou!! E com ela, veio o pólen que anda pelo ar e ataca aqueles que como eu, sofrem de renites alérgicas. Eu confesso, não tenho aguentado mais todas essas alergias e por isso, cá estou eu para rogar uma praga a esta maldita Primavera. Tomara eu que não existisses!!

 

Apesar de saber que muitos são aqueles que anseiam pela chegada do bom tempo da Primavera e depois do calor do Verão, eu sou daqueles que odeia tanto a Primavera e também o Verão. A Primavera é por causa das alergias. Chego a ficar doente por causa dela. E odeio o Verão por causa do calor. Chego também a ficar doente por causa dele. Para mim, o ideal seria ter Outono e Inverno durante todo o ano. E apesar deste último Inverno ter tido uns dias bem frios, onde o meu corpo tremia e eu batia com os dentes de tanto frio, a verdade é que prefiro mesmo tempos assim. Sou adepto do frio, da chuva, do tempo cinzento e odeio o calor, o sol, as altas temperaturas, enfim… Durante os próximos meses vou andar a chorar.

 

Apesar de só agora a Primavera ter chegado, a verdade é que eu já tenho andado aflito da minha renite alérgica desde o mês de Fevereiro. Todos os dias tenho que tomar um anti-histamínico e há bem pouco tempo, percebi que aquele que tomava, já não estava a fazer qualquer efeito em mim, pois eu acordava já a espirrar, com comichões nos olhos e com lágrimas, com o nariz a pingar e sempre com dores de cabeça. Isso fez com que eu fosse à minha médica de família de urgência, para que ele me arranjasse uma outra solução. Pois de tanto espirrar, de tanto nariz a pingar, de tanto assoar o nariz, o meu pobre nariz ficou cheio de feridas e muitos foram os pacotes de lenços que eu gastei. Felizmente, a doutora lá mudou a minha medicação. Para além de um spray que tenho que meter 2 vezes em cada uma das minhas narinas logo pela manha, mudou o anti-histamínico. E a verdade, é que desde que mudei, tenho andado melhorzinho. E ainda bem, pois eu não aguento mais essas alergias e por vezes, só tenho vontade de arrancar o meu nariz.

 

E vocês? Também sofrem de sinusite, de renite alérgica?? E estão animados com a chegada da Primavera, ou tal como eu, não estão nada animados com isso? Gostava de saber as vossas opiniões…

28
Mar17

A app útil para quem tem dificuldade em beber água...

O que não falta por aí são apps atrás de apps e quem hoje em dia tem um smartphone, que eu diria que é ainda muita gente, já não consegue viver sem algumas apps. Eu mesmo ando viciado em algumas, mas hoje vou partilhar com vocês, uma app que até dá muito jeito.

 

Sempre ouvi dizer que é bom beber água e que convém bebermos muita água. E eu até sou uma pessoa que bebe muita, mas não a quantidade que realmente devia beber por dia. Por causa do trabalho, às vezes eu chegava a ficar as minhas oito horas de trabalho sem beber um pingo de água e depois, quando chegava a casa, aí sim, bebia. Bebia aquilo que eu achava ser muito mas que afinal não era. E agora, por causa dos treinos no ginásio, tenho mesmo que obrigar-me a beber água. O ideal para mim é beber 3,5L de água por dia e de forma a não me esquecer de beber toda essa água, arranjei o auxilio de uma aplicação que faz isso mesmo, ‘obriga-me’ a beber toda a água que devo beber ao longo do meu dia.

 

A app, para quem estiver interessado, chama-se Water Drink Reminder. Eu tenho-a no meu Samsung mas acredito que essa, ou outra app parecida (pois existem tantas do mesmo género), esteja também disponível no iPhone. E o que é que faz essa app? É simples! Depois de fazeres umas configurações iniciais, tipo indicar o teu peso, a app dá-te a indicação de quanta água deves beber ao longo do dia. Depois, existem duas possibilidades. Ou és tu que programas as horas certas para beber água, ou então, da hora que te levantas, até à hora em que te deitas, de hora a hora o telemóvel vai dando-te sinais para que bebas. E isso tem funcionado comigo. Às vezes, por estar super atarefado, esqueço-me de beber água. Com essa app isso agora já não acontece. Volta e meia, por muito atarefado que esteja, o telemóvel dá sinal, como se estivesse a receber uma mensagem e isso claro, obriga-me a parar o que estou a fazer para beber água. É útil não é?? Ups! Recebi nova mensagem no telemóvel. É hora de parar por um bocado e beber mais um pouco de água.

 

E já agora, vocês conhecem apps úteis para serem usadas ao longo do dia? Se sim, fico à espera que partilhem essas apps comigo e com o pessoal do MORE

27
Mar17

Please Like Me (nova temporada) | +Televisão

Eu já aqui falei desta série, mas não consegui resistir em voltar a falar dela. É que a 4ª Temporada da série “PLEASE LIKE ME”, está já disponível no Netflix e se tu, fores como eu, que amou, adorou esta série australiana, então não vais querer perder esta novidade.

 

Apesar da série pedir por favor para gostarmos dela, a verdade é que nem é preciso pedirem. Do primeiro ao último momento está série cativou-me e acho incrível a capacidade que esta série tem de nos fazer rir, mas rir às gargalhadas e bem sonoras, para depois, no momento a seguir, fazer-nos chorar. Chorar que nem um bebe. A chorar com um enorme aperto no coração. Esta quarta temporada, com apenas seis episódios deixou-me assim, com um enorme aperto no coração. O final desta temporada foi como se eu tivesse levado um murro no estômago, pois já mais esperava que acontecesse o que veio a acontecer. E eu odeio surpresas! Odeio ser apanhado de surpresa! Quem me dera a mim ter sabido de antemão, o que vinha por aí mas… Enfim! Não vou para aqui atirar spoilers mas mais uma vez, recomendo vivamente o visionamento desta grande série. Infelizmente são poucos episódios, eles são sempre curtos, mas são sempre uma preciosidade. É impossível não gostar! A esta série eu dou vários ‘likes’ e apesar de achar que não irá haver uma quinta temporada, eu adorava que esta série nunca chegasse ao fim.

 

plm-2.jpg

 

E vocês?! Têm séries que amam de paixão? Que gostariam que nunca chegasse ao fim? Partilhem comigo as vossas paixões televisivas, pois eu estou sempre aberto a novas sugestões.

26
Mar17

20 Danças (vários escritores) | +Livros

Finalmente estou aqui para falar-vos do livro “20 DANÇAS” e digo finalmente, pois há já algum tempo que tenho andado a ler o livro e parecia que ele nunca mais chegava ao fim. E quando digo isso, não estou a dizê-lo por achar que o livro é mau, muito pelo contrário. Eu até gostei imenso deste livro que conta com a participação de 20 escritores diferentes. O que aconteceu é que a falta de tempo, fez com que eu me atrasasse imenso na leitura deste livro. Andei a arrastar com ele durante algumas semanas, mas agora cheguei ao fim e por isso, cá estou a dar-vos mais uma boa sugestão de leitura.

 

20 Danças” foi um daqueles livros que eu comprei por impulso, lá pela época do Natal. Na altura, procurava livros para oferecer à minha mãe e à minha irmã, e lá acabei por comprar esse para mim. E o que mais me chamou a atenção neste livro, foi o facto de ele contar 20 histórias diferentes, pelas mãos de 20 escritores diferentes. E um desses 20 escritores, é o David Levithan e o John Green, escritores esses que eu já conheço algumas das suas obras e até já sugeri aqui alguns dos seus livros. Confesso que esse foi o principal motivo por ter comprado o livro e depois, quando comecei a perceber do que se tratava este “20 Danças”, gostei muito daquilo que vi/li. Seguindo todas o mesmo tema, o baile de finalistas, estas 20 histórias contam como jovens mulheres e homens viveram o seu baile de finalistas, onde algumas histórias chegam até a ser chatas e estranhas, mas na sua maioria, há boas histórias para conhecer, onde é claro, em muitas delas, o tema da homossexualidade está presente.

 

Apesar do livro estar mais direcionado aos jovens adultos, talvez aos adolescentes, eu acho que ele pode ser lido por todos. É de fácil leitura e se tiveres tempo, coisa que às vezes eu não tenho, acho que irás conseguir ler estas 20 histórias, 20 danças, num verdadeiro ápice. Arrisca-te na leitura e depois partilha comigo as vossas opiniões.

 

20Danças.jpg

 

Sinopse do livro: O baile de finalistas é um rito de passagem na vida dos adolescentes. É o momento de transição da juventude para a idade adulta com a faculdade já ali ao virar da esquina. Mas na noite do baile de finalistas raramente as coisas correm de acordo com o planeado...

Aqui reúnem-se as histórias de 20 bailes de finalistas, escritas por 20 dos melhores e mais divertidos escritores da atualidade: John Green, David Levithan, Ned Vizzini, Lisa Ann Sandell, Rachel Cohn, Jodi Lynn Anderson, Leslie Margolis, Elizabeth Craft, Cecily von Ziegesar, Holly Black, Sarah Mlynowski, Billy Merrell, Adrienne Maria Vrettos, Daniel Ehrehnaft, Aimee Friedman, Brent Hartinger, Will Leitch, E. Lockhart, Melissa de la Cruz, LIbba Bray.

24
Mar17

Tomboy | +Filme

A sugestão de filme desta vez vai para o filme TOMBOY, um filme de 2011 que já há muito andava para o ver, mas que estava sempre a adiar. Felizmente, no sábado passado resolvi pegar nele e finalmente o vi, e de imediato fiquei rendido ele. Ao contrário dos muitos filmes que decido ver assim às escuras, sem nada saber acerca deles, com esse “Tomboy” as coisas já foram diferentes. Eu já conhecia muito bem a históri, já tinha visto o seu trailer e sabia também que o filme já tinha passado por vários festivais de cinema e ganho vários prémios. Aliás, aqui em Portugal o filme foi também muito bem recebido e lembro-me que quando ele chegou até nós, estive mesmo para o ir ver ao cinema mas na altura acabei por não ir. Mas mais vale tarde do que nunca e felizmente tive agora a oportunidade de ver este grande filme que para além de contar uma história interessante e invulgar no cinema, conta com a maravilhosa representação da jovem actriz Zoé Héran que aqui interpreta o papel de uma menina que para os amigos, decide apresentar-se como um menino.

 

Tomboy_01.jpeg

 

O elenco deste filme é composto na sua maioria por jovens crianças que já demonstram o seu talento na área da representação. Para além de destacar a jovem protagonista, também quero aqui destacar a pequena Malonn Lévana, que aqui interpreta o papel de Jeanne, a pequena irmã de 6 anos da protagonista. Apesar de serem ainda crianças, tanto uma como a outra fazem um papel fenomenal e é mesmo muito bonito acompanhar as cenas entre as duas. Há ali momentos tão especiais que… Enfim!! Este é um filme obrigatório para toda a família em geral e eu tenho a certeza que qualquer um vai ficar comovido, sensibilizado com a história desta menina.

 

Vale a pena ver este filme com muita atenção e eu espero da vossa parte opiniões e até mesmo sugestões de novos filmes para ver. Na sexta-feira eu vou aqui recomendar mais outro filme de temática LGBT, por isso, fiquem à espera dessa nova sugestão, pois no que diz respeito a filmes com uma temática LGBT, o MORE está sempre aqui para sugerir.

 

Tomboy_poster.jpeg

 

Sinopse do Filme: Laure (Zoé Héran) é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula, Jeanne (Malonn Lévana). A família se mudou há pouco tempo e, com isso, não conhece os vizinhos. Um dia Laure resolve ir na rua e conhece Lisa (Jeanne Disson), que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.

23
Mar17

Hoje só quero a vossa opinião...

Hoje peço-vos ajuda. Gostava de partilhar algo com vocês para depois pedir-vos ajuda, a vossa opinião sincera, quero saber o que acham, o que devo fazer?

 

Há uns dias atrás, voltei a trocar mensagens no Whatsapp com uma pessoa que há muito tempo não falava. Acho que vai fazer um ano em maio que não falava com ele, mas assim do nada, voltei a falar depois de no passado ter feito várias tentativas para manter contacto, e ele sempre a ignorar-me. Eu até já falei dele em vários episódios que tive com ele no ano passado mas entretanto, a coisa não deu em nada. O que acontece agora é o seguinte: um ano depois sem que ele me dissesse nada, ele agora tem insistido comigo para que eu volte a fazer uma visitinha lá a casa dele. Eu sei no que é que vai dar essa visita. Ele diz que é apenas para conversar, meter a conversa em dia e saber das novidades, mas eu conheço-o. Pouco, é verdade, mas eu conheço-o. Sei que chegando lá, ele ia agarrar-me, beijar-me e íamos acabar na cama, sem nem sequer termos a tal conversa. E eu estou chateado com ele. Chateado pelo facto de ele, de um momento para o outro, ter deixado de dar noticias. Sinto que ele agora está carente, da mesma forma que eu também estou, mas será correto estarmos a usar um ou outro. Sim, porque se eu fizer a tal visita a ele, também eu estarei a usá-lo. Por isso eu pergunto: Acham que devo passar pela casa dele? Ou tendo em conta de que eu sei que isso nunca vai dar em nada, devia eu começar a ignorá-lo? O que acham??

22
Mar17

O rabo do meu Personal Trainer

Nos últimos dias falei-vos da minha nova paixão. Eu já tinha prometido a mim mesmo de que nunca mais voltaria a cair nesse mesmo erro: apaixonar-me! Ainda por cima apaixonar-me novamente por um heterossexual. Bem! Na verdade, eu nem sei se o Tiago (o meu Personal Trainer) é hétero. Pode até ser gay, mas essas coisas não dá para perceber. Pelo menos eu não consigo pois o meu gaydar está sempre avariado de todo. Mas sinceramente também não tenho 100% de certeza de que ele seja hétero. Enfim! Seja lá o que ele for, a verdade é que eu não devia, eu não podia voltar a cometer esse mesmo erro. Mas cometi e… agora? Agora é aguentar e ver no que isso vai dar.

 

Se por um lado eu não sei qual é a sua orientação sexual, no que toca a mim, eu tenho quase a certeza absoluta de que ele sabe qual é a minha. Sim! Eu diria que tenho 100% de certeza de que ele sabe que eu sou gay. E é claro que eu nunca lhe disse isso, nem nunca vou ter uma conversa com ele em relação à minha orientação sexual. Também não ando com um post-it colado na testa a dizer «Eu sou Gay”», mas apesar de eu não andar a anunciar pelo ginásio todo de que sou gay, há coisas que eu não consigo disfarçar. Não sou afeminado, mas qualquer um que esteja atento, rapidamente percebe. Às vezes basta somar um mais um e o resultado é o que todos nós já sabemos. E tendo eu a certeza de que ele sabe que eu sou gay, há uns dias atrás ele teve uma atitude comigo, que até agora eu ainda não compreendi.

 

Ele nunca me faltou ao respeito e nem eu iria permitir tal coisa. Como já tinha dito, ele comigo é sempre super simpático. É um querido! Seja pessoalmente, quando está a treinar comigo ou quando nos cruzamos pelo ginásio, ou até mesmo por alguns sms que às vezes trocamos. Ele é super atencioso, ao ponto de me agarrar se por algum motivo eu desequilibrar-me nos exercícios. E só digo uma coisa, por diversas vezes ele já me tocou e eu confesso, fiquei sempre arrepiado. Mas aquilo que eu tentava dizer é que há uns dias atrás, em pleno treino, ele teve uma atitude que, enfim, não deu mesmo para perceber. Num determinado momento, ele quis explicar-me um novo exercício, mas na hora em que exemplificava, sentiu dores nas costas e depois, confidenciou-me que no dia anterior tinha ido parar ao hospital, por causa de umas dores musculares. Devido a essas dores, ele teve mesmo que levar uma injeção e quando eu achei que esse assunto ficava por aí, não sei o que é que lhe deu, que em pleno treino, ele quase se despiu à minha frente, para me mostrar o seu rabo. Dá para acreditar?! Baixando os seus calções, ele fez-me questão de mostrar a sua nádega, para mostrar onde tinha levado a injeção. Acham isso normal? Eu só vós digo que naquele momento eu quase ia tendo um ataque. Se por um lado não quis parar de olhar para o seu rabo (maravilhoso), por outro não sabia se devia desviar o olhar e fingir que aquele momento não tinha acontecido. Juro-vos que fiquei mesmo num impasse. Olhar ou não olhar?! Claro que olhei! De olhos bem abertos e de boca aberta. Olhei aquela sua nádega, onde deu para perceber que ele tinha um sinal na nádega e depois, como se nada fosse, voltou a levantar o calção e o treino continuou. E eu claro! Não percebi nada! Mas que atitude foi aquela? Que provocação foi aquela? Que cena foi aquela? É claro que quando cheguei a casa, tive que tomar um banho de água fria para apagar o fogo dentro de mim.

 

É normal as pessoas andarem a mostrar o rabo a outras pessoas, praticamente desconhecidas, só para indicarem o sítio onde levaram a injeção? Eu não acho normal! Pelo menos eu nunca fiz isso. E apesar de ser normal nos balneários, vermos quase todos nus, rabos e pénis todos à mostra, a verdade é que não é normal, em pleno ginásio ele ter aquela atitude. Claro que isso fez com que o meu coração batesse ainda mais forte, mas fez também com que eu tivesse a certeza de que sim, ele sabe que eu sou gay e felizmente não se importa com isso. Infelizmente é o facto de ainda não o ter visto completamente nu pelos balneários. Já nos cruzamos várias vezes pelos balneários, já tivemos no cacifo lado a lado, mas ainda não tive a sorte, ou o azar de o ver tal como veio ao mundo. Para falar a verdade acho que nem quero vê-lo completamente nu, mas acho que isso será assunto para outros artigos…

21
Mar17

O inicio da minha paixão pelo PT

O seu nome é Tiago. Bem! Na verdade, esse não é o seu verdadeiro nome, mas para todos os efeitos, o meu Personal Trainer, por quem eu estou perdidamente apaixonado, vai aqui chamar-se Tiago. E sim! Ele é mesmo lindo! Muito bonito! (E não me canso de dizer isso!)

 

Logo no primeiro dia em que fui ao ginásio, fui já com a intenção de contratar os serviços de um Personal Trainer e isso porque eu conheço-me muito bem. Sei que se não tiver alguém a puxar por mim, a dar-me força, a incentivar-me para que eu continue, rapidamente iria desistir do ginásio e nunca mais iria lá meter os pés. Parece estúpido dizer isso, mas basicamente eu preciso de alguém a obrigar-me a ir ao ginásio. Tipo ter alguém que me puxe da cama, me obrigue a treinar e que me dê chicotadas nas costas quando já estou a fraquejar. É uma imagem estranha, mas comigo tem que ser assim. E por isso, ao contratar os serviços de um PT, cria-se logo com ele um compromisso. Fixamos datas e horas de treinos e como eu não gosto de faltar com os meus compromissos, lá me sinto obrigado a ir. Se bem que com o Tiago, ir ao ginásio deixou rapidamente de ser uma obrigação e passou a ser um prazer. Pois é! No final do treino eu saio de lá a bufar, a transpirar por todos os lados, morto de cansaço, mas mesmo assim, aquela quase uma hora de treino com ele, tornou-se num verdadeiro prazer.

 

E como é que eu cheguei ao Tiago? Acho que já aqui tinha dito. Logo no primeiro dia em qua fui ao ginásio, eu dirigi-me a ele, que estava por ali a dar assistência às pessoas, e falei do meu interesse em ter os serviços de um PT. Na hora, agendamos primeiro uma avaliação física, onde ele sugeriu alguns exercícios que eu devia fazer. Logo nesse mesmo dia da avaliação, ele disse algo que eu nunca mais me esqueci: «A partir de agora, podes usar e abusar de mim…» E claro! Aquela sua frase ficou-me na cabeça e a intenção de usar e abusar dele nunca mais saiu da minha cabeça. E antes mesmo de contratar os seus serviços, ele deu-me um prazo de uma semana para praticar sozinho os exercícios que ele tinha sugerido e só depois, no final dessa semana é que voltaríamos então a falar. E foi o que aconteceu. Pratiquei sozinho durante uma semana, e ao fim dessa semana, ele resolveu oferecer-me uma aula grátis de PT, para ver se era mesmo isso que eu queria. A primeira aula foi no dia 27 de fevereiro. Já nesse dia, eu já estava completamente apanhadinho por ele. Adorava a sua simpatia, a sua atenção, adorava a sua delicadeza ao falar comigo, ao me explicar as coisas e claro, os seus olhos desconcentravam-me, o seu sorriso matava-me e o seu corpo fazia eu ter tremores por todo o lado e por isso, é obvio que no final daquela aula grátis, depois de ele me ter apresentado os valores, eu contratei de imediato os seus serviços. Ele passou a ser oficialmente o meu Personal Trainer e desde então, duas vezes por semana nós estamos juntos, mas eu praticamente o vejo todos os dias no ginásio.

 

Eu já tenho o seu número de telemóvel, que ele já deixou bem claro que eu posso usar e abusar dele. Já o encontrei no Facebook, mas claro, não tive coragem de pedir amizade e nem vou fazê-lo. Já sei que é do norte, mas também o seu sotaque denuncia logo que ele é lá para os lados do norte e depois, ele é dono de uns olhos que sinceramente, ainda não consegui perceber se são azuis ou se são verdes. Não interessa! São lindos! Tem um sorriso e uns lábios maravilhosos, é adepto da barba e meu Deus! Tem um corpo dos deuses. Tomara eu ter o corpo que ele tem. Enfim! Ando mesmo de cabeça perdida por esse Tiago e não sei porquê, acho que ele já percebeu o fascínio que eu tenho por ele. Não sei bem explicar porquê, mas acho que ele sabe que o meu coração bate, e bate forte por ele…

21
Mar17

A loucura da manteiga...

Planta Vegetal.jpg

 (imagem retirada daqui...)

 

Ao que parece, anda por aí uma nova manteiga para barrar no pão, que está a dar que falar em sites e blogs e não, não é propriamente por causa da manteiga em si, mas sim por causa… da foto em cima.

 

Sim! A grande euforia por causa da nova manteiga vegetal da Planta é mesmo por causa da publicidade e do protagonista dessa mesma publicidade. É impossível ficar indiferente ao homem em tronco nu, que enche não só os ecrãs das nossas televisões em casa, como ainda está presente em alguns outdoors espalhados pela cidade. O que chama a atenção, o que salta à vista, é sem dúvida alguma o homem que, diga-se de passagem, é mesmo lindo de morrer. Facilmente, depois de ver a publicidade, quase ninguém quer saber da manteiga para nada. Todos estamos interessados é em outras coisas e talvez por isso, muito se tem falado pela internet por causa dessa nova campanha publicitária.

 

E eu? O que é que eu digo em relação à publicidade? Adoro!! Não a manteiga, pois essa eu tenho que confessar que não gosto. O que adoro mesmo é o homem. De uma coisa eu vos garanto, se ao comprar uma embalagem dessa manteiga, um homem como esse me saísse dentro do pacote, eu comprava e tenho a certeza que meio mundo iria também comprar…

20
Mar17

Os Super-Heróis da Netflix

Os super-heróis estão na moda! Para falar a verdade eu acho que sempre estiveram na moda, mas agora, seja no cinema ou na televisão, eles estão cada vez mais presentes na nossa vida, fazendo a alegria de muita gente. E seja do universo MARVEL ou DC, o que não tem faltado por aí, são mesmo séries e filmes que todos os anos estão a surgir e vão continuar a surgir pelo menos até ao ano 2020. Por isso até lá, muita coisa nova ainda vai surgir. E se é para falar em novidade, os mais atentos a todo este universo dos super-heróis, já devem ter reparado que na passada sexta-feira, estreou no Netflix, mais uma série de super-heróis da Marvel. Poi é! A Netflix tem apostado forte em séries com personagens da Marvel, personagens que eu desconhecia por completo, pois nunca fui fã das bandas desenhadas, mas que agora, tenho adorado essas séries e esses personagens pouco conhecidos. Começou pelo “DAREDEVIL” e agora, a novidade é o “IRON FIST”, série que eu tenho acompanhado e é bem provável que até ao momento de ser publicado este artigo, eu já tenha visto todos os episódios da série. Mas antes mesmo de falar do “Iron Fist”, vou aqui falar das séries anteriores. Falar um pouco apenas para dar a minha breve opinião sobre essas séries de sucesso da Netflix, onde muita coisa nova ainda está para surgir.

 

JESSICA JONES (1 temporada – 13 episódios)

146121_9a36e6306b8d405fa49de838735746e0.jpg

 

Não foi a primeira série de super-heróis a estrear na Netflix, mas foi o meu primeiro contacto com a Netflix. A primeira vez que aderi a esse serviço de streaming, ainda num período grátis e experimental, foi numa altura em que “Jessica Jones” tinha estreado há bem pouco tempo e por isso, a curiosidade era muita. No entanto, como na altura ainda tinha um velho televisor que não tinha acesso a net e por isso, se quisesse ligar-me ao Netflix teria que ser pelo smartphone, não tive cabeça para acompanhar a série por um pequeno ecrã. E nesse período experimental, deixei passar a série. Só algum tempo depois, quando finalmente já tinha uma televisão em condições e voltei a aderir ao serviço, desta vez já a pagar, é que arrisquei em ver a série e confesso-vos que de imediato, fiquei agarrado à Jessica. Bem! Para falar a verdade não foi de imediato. Tenho que admitir que o primeiro episódio não foi assim muito cativante, mas principalmente porque desconhecia por completo a personagem, a história e o que vinha nos próximos episódios. Mas não desisti! Como não sou adepto de surpresas, pesquisei um pouco sobre a série e arrisquei em ver o segundo episódio e aí sim, apaixonei-me. Fiquei de tal forma agarrado/viciado à série que em menos de 4 dias, já eu tinha consumido todos os episódios da série. E que episódios meu Deus! Houve ali momentos em que eu pulei do sofá, em que eu me exaltei e tudo por causa do personagem Kilgrave que… incrível!! Que personagem maravilhoso, que vilão espetacular, enfim!! A série surpreendeu-me pela positiva.

 

No papel de Jessica Jones, temos a já muito conhecida atriz Krysten Ritter, que aqui faz um trabalho maravilhoso. Mas para além dela, outros são os artistas que brilham nesta série, como é o caso da Rachael Taylor (que está fantástica), do David Tennant (que acho que interpreta o meu vilão favorito), a Carrie-Anne Moss (maravilhosa como sempre) e ainda, uma Rosario Dawson que interpreta a mesma personagem, em todas as séries dos super-heróis da Netflix. Conclusão: com um elenco maravilhoso e um enredo ainda mais maravilhoso, o resultado só podia mesmo ser brutal. Adorei! Assistir à série foi uma experiência fabulosa e agora, não vejo a hora de chegar uma segunda temporada e ver o que vêm por aí.

 

DAREDEVIL (2 temporadas – 26 episódios)

maxresdefault.jpg

 

Ao contrário das restantes séries de super-heróis da Netflix, em que eu nunca tinha ouvido falar dos seus personagens, o Daredevil eu já tinha conhecimento e isso porque, Ben Affleck no cinema já tinha interpretado esse mesmo personagem no cinema, num filme em que na altura (e ainda hoje) não foi muito bem-recebido pela crítica. Não me lembro se cheguei a gostar do filme, mas uma coisa é certa, esta série, que foi a primeira aventura da Netflix no universo da Marvel, é realmente espetacular. Eu adoro-a! É a única que até ao momento já vai na sua segunda temporada e cada episódio da série tem conseguido cativar-me. Confesso que a primeira temporada foi mais emocionante para mim, onde em menos de uma semana, eu assisti a todos os episódios. A segunda temporada tem sido mais difícil terminar, pois acho que essa segunda temporada perdeu um pouco a essência da primeira. No entanto, apesar de andar a arrastar com os episódios, estou igualmente a gostar pois… é impossível não se apaixonar por essa personagem. Por esse inusitado super-herói, que durante o dia, na pele de advogado defende as minorias e à noite, na pele do Daredevil vai atrás dos grandes vilões, sendo que este herói tem uma grande particularidade, é cego!

 

Também aqui, para além do enredo ser fantástico, o elenco é cinco estrelas. A série é protagonizada por um ator que eu desconhecia, mas que já virei fã. Charlie Cox está maravilhoso ao interpretar o Daredevil e ele é super fofo, super querido, com um corpo delicioso, enfim, fiquei mesmo apaixonado. O homem é lindo e juntamente com Deborah Ann Woll (Karen) e Elden Henson (Foggy), fazem um trio maravilhoso. E o que dizer do Vincent D'Onofrio que interpreta o terrível vilão? Soberbo! O papel de Fisk encaixou perfeitamente no ator e todos juntos, fizeram uma série 5 estrelas. Eu recomendo, apesar de ainda não ter visto o final da segunda temporada e ao que parece, a terceira já está a caminho…

 

LUKE CAGE (1 Temporada – 13 Episódios)

luke_cage.jpg

 

A primeira vez que tive conhecimento da personagem Luke Cage, interpretado pelo ator Mike Colter, foi na série “Jessica Jones”, é lá que ele se apresenta e é a partir dos desenvolvimentos que ocorrem na “Jessica Jones” que segue depois a história a solo deste personagem que tem tipo um corpo de aço. Nada o afeta, nada o magoa e por isso, ele à partida parece invencível, mas claro, como qualquer super-herói que se preze, também ele tem os seus pontos fracos. Mas se me perguntarem que pontos fracos são esses, eu lamento, mas não saberei responder. E isso porque eu apesar de já ter assistido ao primeiro episódio da série, ainda não me sinto muito entusiasmado com ela. Não me identifico com esse super-herói e por isso ainda não quis arriscar. Sei, pelas críticas que vi pela internet, que a série até nem é má de todo. É mais fraca que as anteriores, mas está boa. Eu é que ainda não me quis aventurar nessas aventuras do Luke Cage e por isso, nada mais tenho a dizer em relação a ela. Pode ser que em breve eu mude de ideias e arrisque o meu tempo em vê-la, mas para já ainda não me sinto tentado. Talvez seja um erro meu, mas… que posso eu fazer?

 

IRON FIST (1 Temporada – 13 episódios)

KICK_Danny_UK_SG_copy.jpg

 

E foi no passado dia 17 de Março de 2017, que esta nova série estreou no Netflix. E eu, como nessa ultima semana fui “obrigado” a estar em casa, numa altura em que nada tinha de novo para ver na TV, liguei o Netflix e arrisquei em acompanhar essa novidade. Nesse mesmo dia, cheguei a ver 5 episódios seguidos e daquilo que vi, até gostei muito. Confesso que não percebi muito bem a origem, a história desse novo super-herói, mas daquilo que vi gostei e quero saber mais. Acho que até ao dia de hoje, dia em que irei publicar o artigo, já eu tenha visto todos os episódios da série e depois, terei se calhar uma opinião diferente. Mas para já, daquilo que vi, interessei-me. É diferente e claramente não tem o mesmo encanto que a Jessica Jones e o Daredevil mas aqui está mais outra série que eu recomendo. Vale a pena arriscar!

 

E fico-me por aqui no que diz respeito a super-heróis da Netflix/Marvel. Sei que em breve, outra grande série irá surgir dessa boa parceria, série essa que irá juntar todos esses super-heróis. Mas como isso será só para o ano, para já, caso não conheçam nenhum desses heróis, arrisquem. Acho que vão gostar. Claro que eles não são nenhum Thor, o Capitão América, qualquer um dos Vingadores, mas são super-heróis que vale a pena conhecer.

20
Mar17

Estou apaixonado pelo meu Personal Trainer...

Sim! Parece mentira, mas é a mais pura verdade. Tentei resistir, tentei evitar, negar, tentei apagar da minha memória certas coisas que vi, mas não foi possível. O maldito do cupido atingiu-me como uma seta no coração e agora não há volta a dar. Estou apaixonado! É estúpido! Eu sei! É ridículo, é coisa de adolescente, mas que poderia eu fazer?

 

Como já aqui disse algumas vezes, eu no passado mês de fevereiro inscrevi-me num ginásio que fica bem próximo da minha casa. E apesar de na última semana não ter ido treinar com a regularidade que queria, pois tive um problema de saúde que me deixou de baixa médica, a verdade é que tenho ido muitas vezes. Hoje mesmo, estou agora a escrever este artigo e daqui a pouco lá vou eu para o sacrifício. Bem! Na verdade, não será de todo um sacrifício, pois hoje, segunda-feira, eu irei treinar com o meu PT. Sim! Penso que também já aqui tinha dito que tinha contratado os serviços de um Personal Trainer. Serviço esse que é um pouco dispendioso, mas que foi a solução que eu arranjei para mais rapidamente conseguir atingir os meus objetivos. Desde o dia 28 de fevereiro, eu tenho treinado então com o PT duas vezes por semana e apesar de ainda não ter ido à balança, já me sinto diferente. Não sei se emagreci, mas a verdade é que o meu corpo está diferente. Pelo menos, já consigo fazer algumas coisas que antes era impensável fazer, como agachamentos e flexões. Esse meu PT, com o tempo, conseguiu fazer com que eu fizesse coisas que antes, eu não conseguia fazer e só por isso, já está a valer a pena pagar o valor que pago. Ele é um ótimo profissional e em menos de um mês, já percebeu os meus limites e tem feito de tudo para me ajudar no meu objetivo. Mas para além de um ótimo profissional, o meu PT é… enfim!! O homem é lindo! Lindo! Mesmo muito lindo! É super lindo e claro, um coração mole como o meu, um coração carente como o meu, facilmente deixou-se levar pelos seus encantos.

 

Quando entrei no ginásio, fiquei de contar-vos mais vezes por aqui, as aventuras que tenho passado pelo ginásio. Sim! Porque uma ida ao ginásio é sempre uma grande aventura. Uma aventura que inicialmente me faz suar que nem um porco, mas que logo depois, me leva rapidamente ao paraíso. Fiquei mesmo de contar essas minhas aventuras, mas depois, percebi que não tinha muito tempo para escrever. Mentira! O que eu não queria escrever era mesmo isso. Era escrever que estou apaixonado pelo meu PT. Para falar a verdade nem sei mesmo se é paixão, se é obsessão ou se é apenas carência. Tenho andado muito carente e por isso, conhecendo-me como eu já me conheço, é natural que eu fique fascinado pelo homem que é super simpático, que é super atencioso e que por diversas vezes já me disse que eu posso e devo, usar e abusar dele. Mas vamos com calma. Com tempo – que eu irei arranjar maneira de ter – eu vou contar-vos essas minhas aventuras pelo ginásio e essa minha paixão pelo meu PT.

19
Mar17

Peito (dos HMB) | +Música

Pode parecer mentira o que vou agora dizer, mas a primeira vez que ouvi a música “PEITO” dos HMB, foi através do programa “Let’s Dance – Vamos Dançar” da TVI. Numa das primeiras galas, uma das duplas de bailarinos, dançou ao som desta música e desde então, fiquei verdadeiramente apaixonado por ela. A música é linda! Arrisco mesmo a dizer que é uma das músicas mais bonitas que eu ouvi. Adoro a letra, adoro a melodia e já não consigo viver sem ouvir esta “Peito” todos os dias. Já toca sem parar no meu smartphone e por isso, fazia todo o sentido passar também aqui pelo MORE. Ora escutam, estejam atentos à letra e digam-me o que acham?

 

Mas tens de te entregar

Porque eu não volto a dar razão

Ao meu erro

Podes confiar

Também vou me entregar

E se quiseres confirmação

Tem atenção

Escuta o meu peito

Escuta este meu peito

Meu coração torna-se inquieto

Quando estás por perto

Peito,

Escuta este meu peito

Meu coração torna-se inquieto

Quando estás por perto

O amor é gracioso

É compaixão

E amar nem sempre é fácil

É como perdão

E com certeza não toca a todos

Mas sei que ele é para mim e para ti

Podes duvidar

Mas tens de te entregar

Porque eu não volto a dar razão

Ao meu erro

Podes confiar

Também vou-me entregar

E se quiseres confirmação

Tem atenção

Escuta o meu peito

Escuta este meu peito

Meu coração torna-se inquieto

Quando estás por perto

Peito,

Escuta este meu peito

Meu coração torna-se inquieto

Quando estás por perto

Escuta o meu peito

Meu coração torna-se inquieto

Quando estás por perto

 

Linda não é? Com certeza vocês já a conheciam, mas eu, como não sou muito fã deste grupo, os HMB, nem sabia que eles tinham uma música tão gira como este “Peito”, que não só atinge o nosso peito, como chega também ao coração. E é incrível! O videoclip, que conta com o grande Diogo Infante, foi lançado em Novembro do ano passado e só agora é que eu vi. Ando mesmo distraído no que diz respeito à música portuguesa.

18
Mar17

Logan | +Cinema

Apaixonado como sou pelo universo Marvel/X-Men, era natural que assim que possível, eu fosse ao cinema para ir ver o novo filme do ator Hugh Jackman, por quem eu tenho um enorme carinho/paixão/obsessão simplesmente adoro-o! Por isso sim, já fui ver o filme “LOGAN” e o que é que posso dizer em relação a ele? Adorei! Gostei mesmo muito do filme e confesso que no final dele, fiquei mesmo com uma ou duas lágrimas no canto do olho. O filme está surpreendentemente bem feito e tenho a certeza que, sendo fã dos X-Men ou não, qualquer um irá adorar este filme.

 

screen-shot-2016-10-20-at-6.16.16-am_0.jpg

 

Ao contrário da maioria das pessoas, eu sou daquelas (talvez o único) que adora os chamados spoilers. Eu vou mesmo à internet, fazer longas pesquisas, mesmo na tentativa de desenterrar os spoilers de filmes e séries e isso, porque se há coisa que eu mais detesto é ser surpreendido. Pela positiva, ou pela negativa, eu odeio surpresas. Seja na minha vida pessoal, ou em filmes e séries que vejo, eu odeio ser apanhado de surpresa. Por isso, quando fui ao cinema ver este filme, eu já sabia de antemão o que iria acontecer. Eu já estava preparado para o desfecho. E mesmo sabendo para o que ia, a verdade é que o filme me cativou do principio ao fim. E ainda, mesmo sabendo que este é um filme que faz parte de todo o universo X-Men, a sensação que tive era de que estava num filme completamente diferente, onde conhecia muito bem os personagens de outros filmes, mas que tudo parecia diferente, novo, muito longe de toda a fantasia e tecnologia presente em filmes do universo Marvel. Em “Logan”, sabemos que estamos perante um filme de super-heróis, mas este é um filme mais cru, mais humano, mais sensível e sem dúvida alguma, é o melhor filme desde que o personagem Wolverine se aventurou em filmes independentes.

 

Para alguns, que assistiram ao filme e ficaram tristes com ele, o filme pode ter sido o desfecho de uma saga que já vem de longe. Mas para mim, acho que o filme foi realmente um desfecho, mas foi também um novo começar, pois é essa a mensagem que o filme transmite, um novo começo, onde para lá de uma fronteira, muita coisa nova está por descobrir. Por isso sim, também fiquei triste com o desfecho, algumas lágrimas surgiram nos meus olhos, mas sinceramente, não acredito que esse tenha sido mesmo um fim.

 

loganposter2.jpg

 

Diferente de todos os outros filmes da Marvel, este “Logan” está espetacular! Violento é verdade, com cenas de muito sangue e cabeças a rolar, mas este não deixa de ser um filme mais humano, que nos chega mesmo ao coração, com interpretações maravilhosas do Hugh Jackman, Patrick Stewart e a pequena Dafne Keen. Eu recomendo a ida ao cinema, pois na minha opinião, este é um filme que não se pode deixar escapar.

17
Mar17

Do Lado de Fora | +Filme

DO LADO DE FORAé uma comédia brasileira assumidamente divertida. Pelo menos é a informação que está presente no cartaz do filme, mas na verdade, depois de o ver do principio ao fim, não acho que ele tenha sido assim tão divertido. É uma comédia ligeira, sem grandes surpresas, com alguns exageros e com um ator que… Meu Deus! O homem é lindo, lindo de morrer! De quem é que eu estou a falar? É dele mesmo, do André Bankoff, que aqui faz uma participação especial, interpretando um homem casado, com filhos e que leva uma vida dupla. Se não sabem quem é esse ator, convido-vos a passarem por aqui, e a reverem um dos ensaios fotográficos que já passou pelo MORE. Eu sei que é estúpido dizer isso, mas por esse André, eu diria mesmo que vale a pena, assistir ao filme do principio ao fim, pois lá quase no final, até somos presenciados pelo seu (maravilhoso) corpo nu e pelo seu (perfeito) traseiro que…

 

ator-andre-bankoff-em-cena-de-do-lado-de-fora-1396

 

Neste filme, que não pretende alimentar polémicas e tenta ser politicamente correto, tudo começa na Parada LGBT de São Paulo. Aí, Vicente, um homem bem sucedido na vida mas sem coragem de assumir à sua homossexualidade, leva pela primeira vez o seu sobrinho Mauro e o seu melhor amigo Rodrigo à Parada. Tal como o tio, também o sobrinho e o amigo são gays, mas ainda ninguém resolveu sair do armário. No final da Parada, quando voltam para casa, os três cruzam-se com Roger (aqui interpretado pelo André Bankoff), um homem casado, com filhos, mas que na Parada LGBT, deixa sair o verdadeiro homem que há dentro de si. E quando um grupo de agressores, agride violentamente Roger pela rua, quem vai em seu socorro, são Vicente, Mauro e Rodrigo e mais outras duas mulheres que por ali passavam. Todos ajudam Roger e no final, Roger acaba na casa de Vicente, sendo tratado por ele e pelos dois jovens. Aí, todos ficam amigos e Mauro, o mais excêntrico de todos, resolve então criar um pacto entre os quatro. Pacto esse que consiste em que até à próxima Parada LGBT, todos os quatro, de uma maneira ou de outra, terão que sair do armário. E será que eles vão mesmo conseguir sair do armário? Isso é o que depois acompanha-se no filme, que mostra a vida dos quatro ao longo de um ano.

 

maxresdefault (1).jpg

 

Na minha opinião este filme não trás nada de novo, é meio bobo e chega a ter ali uns momentos um pouco chatos. De uma só vez mostra vários tipos de homossexuais, o bem sucedido, o casado enrustido, o excêntrico e o romântico, aqui vivido pelo personagem Rodrigo que é um autêntico fofo, mas, acho que o filme podia ter ido um pouco mais além.

 

Do Lado de Fora Poster.jpg

 

Mas a sugestão está feita! Se tiverem curiosidade vejam o filme e depois já sabem, partilhem às vossas opiniões aqui comigo.

Pág. 1/2

Os meus blogs

Calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exatamente!!! Excelente esse tutorial, se seguir i...

  • Mauro

    o Sergio Marone é um gatão.

  • Anónimo

    914370704

  • Anónimo

    Tem o livro? Quer vender?

  • Anónimo

    Olá tens previsão para a segunda temporada??

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.