Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

31
Jan17

Passageiros | +Cinema

E como já aqui disse, ontem fui ao El Corte Inglês para assistir a uma sessão dupla de cinema, coisa que há muito não o fazia e soube bem. O primeiro filme que assisti foi o “PASSENGERS” e é sobre ele que irei falar já de seguida.

 

gallery-1474377416-passengers-trailer.jpg

 

Lembro-me que quando vi o trailer do “Passengers” pela primeira vez, não fiquei lá muito convencido com aquilo que as imagens mostravam. Para além de achar que o filme não trazia propriamente nada de novo, a verdade é que tenho uma cisma com ambos os protagonistas do filme. Não vou lá muito com a cara do Chris Pratt e também não simpatizo muito com a atriz Jennifer Lawrence. No entanto, com o tempo, achei que iria valer a pena ir ao cinema ver este filme, que estava a ser muito comentado pela internet e por isso, com algum tempo de atraso, lá fui eu ver e… Estou num daqueles impasses de não saber se gostei ou não do filme e sinceramente, eu detesto quando esse tipo de coisas acontece.

 

lead_960.jpg

 

Verdade seja dita, o filme não é mau de todo. Tem uns bons efeitos especiais, chega a ser um pouco surpreendente na medida em que o trailer, nunca chega a explicar certas situações do filme, dá para perceber que existe ali uma certa química entre os protagonistas, mas eu acho que esperava mais, um pouco mais. A primeira parte do filme, chega a ser um pouco chata, quando o personagem de Chris Pratt, o Jim, acorda da sua hibernação e durante mais de um ano, deambula pela nave completamente sozinho, onde num bar, chega a ter apenas a companhia de Arthur (Michael Sheen), um androide que está sempre ali para o servir e para ouvir os seus desabafos. Androide esse que me levou sempre a duvidar do seu caracter, achando que ali havia algum toque maléfico, mas que afinal, não passou apenas de um barman. Depois, em determinado momento do filme, a personagem de Jennifer Lawrence desperta também da sua hibernação e claro, o óbvio acontece. Os dois se apaixonam e contentam-se com o triste destino que está reservado para eles. E quando ambos estavam apaixonados um pelo outro e felizes, o inevitável acontece e só mesmo perto do final do filme, é que se começa a ter a consciência do porquê de a nave andar com falhas, de subitamente ter acordado pessoas quando não o devia ter feito e quando se descobre a origem do problema, num ápice ele é resolvido e tudo fica bem. É óbvio que logo nas primeiras cenas do filme, todos percebemos de imediato de que a nave não está bem. O que a mim me deixou incomodado, foi o facto do filme ser longo, ser chato e só mesmo pertinho do final é que se descobre o problema e assim do nada se resolve. Essa parte eu não gostei. Aliás, no geral, achei este “Passengers” um filme muito mediano, onde eu esperava mais, muito mais.

 

passengers-367242067-large.jpg

 

Independentemente da minha opinião, aqui fica a sugestão para quem ainda quiser apanhar este filme no cinema. Só vós peço é para não irem com grande expectativas em relação a ele, pois podem sair da sala de cinema um pouco desiludidos como eu.

30
Jan17

Uma visita ao El Corte Inglês

Fui ao El Corte Inglês. Não com a intenção de aproveitar os saldos, porque mesmo em época de saldos as coisas lá continuam caríssimas. Fui sim por causa do cinema. Eu gosto muito dos cinemas do El Corte Inglês. Houve tempos, quando eu trabalhava lá próximo, que ia lá com muita frequência. Agora já não tem sido assim. Há mais de um ano que não trabalho na zona de Lisboa e confesso que chego a passar meses sem pôr os pés por Lisboa. Mas ontem fui, apenas com a intenção de ver um filme, mas no final, acabei por assistir a uma sessão dupla de cinema, mas quanto aos filmes, mais logo irei falar deles.

 

Agora eu pergunto: é impressão minha, ou as pessoas que frequentam o El Corte Inglês estão cada vez mais de nariz empinado?? Sim! Na verdade, eu sempre achei que os frequentadores daquele espaço andam sempre de nariz empinado, são uns betos e umas betinhas que nos olham de alto a baixo. Julgam-se superiores a toda a gente e por isso, educação é coisa que eles não têm, com aqueles que eles consideram serem inferiores. Eu odeio gente assim! Esses emproados que se julgam os donos do mundo, mas que se formos a ver, nada têm se não um estatuto. Enfim! Já não é de agora que eu apanho gente muito mal educada pelo El Corte Inglês. Mas não me estou a referir aos funcionários, pois esses, são sempre super educados e simpáticos, tratando-nos a todos por igual. Estou sim é a falar dos clientes. De gente já bem adulta, mas que não sabe respeitar o próximo. Por ali andam muitas pessoas assim e confesso que ontem cheguei a ter algumas chatices com pessoas mal formadas, mas… o importante é nem dar mesmo muita importância a essa gente. É seguir em frente e foi o que fiz.

29
Jan17

Cantar | +Cinema

Sei que tenho andado em dívida com o cinema. Eu adoro ir e por mim, iria todas as semanas ou até mesmo todos os dias, mas isso tem sido complicado. Se eu quisesse, se me esforçasse, eu até conseguiria ver um filme todas as semanas, mas por incrível que pareça, às vezes a preguiça fala mais alto. E neste momento há tantos filmes bons a passar pelas salas de cinema, tantos outros que já saíram e eu não tive a oportunidade de ir ver, mas ontem, depois do passeio que dei por Cascais, acabei por parar no Cinema da  Villa e acabei por ver a primeira sessão de um filme, filme esse de animação e que foi o primeiro filme que vi no cinema, neste novo ano de 2017.

 

Gostam de filmes de animação? São capazes de ir ao cinema, ver um daqueles filmes para crianças até aos 6 anos, apesar de já teres uns 35 anos? Pois é! No meu caso, independentemente da idade que tenha, eu adoro filmes de animação. São superdivertidos, os de agora são super bem feitos e transmitem sempre uma mensagem bonita, positiva e por incrível que pareça, muitos desses novos filmes de animação, têm a capacidade de me fazerem chorar. Não foi bem o caso com este “CANTAR”, mas esteve lá perto.

 

filme-cantar-765x426.jpg

 

O filme, apesar de na minha opinião não trazer nada de novo, está engraçado, tem bons momentos de animação, bons momentos musicais e tem também aqueles momentos mais lamechas, tentando forçar a saída de uma lágrima. “Cantar”, para quem ainda não teve a oportunidade de ver ou saber, conta a história de um grupo de pessoas que tentam através de um falso concurso de música, realizarem os seus sonhos. E aí, apesar das muitas dificuldades que cada personagem irá passar, o filme transmite a bonita mensagem de que nunca é tarde para sonhar, nunca é tarde para batalhar por esse sonho. E o medo de ir em busca desse sonho pode estar sempre presente na nossa vida, mas nunca devemos deixar que o medo saí vitorioso. No meio de muita diversão e cantorias, o filme transmitiu uma ótima mensagem que tanto aplica-se às crianças, como aos adultos como eu, que facilmente se emocionam com esses filmes.

 

335797_pt.jpg

 

Se ainda não tiveste a oportunidade de o ver, arranjem um tempinho e vão, nem que seja na companhia dos vossos irmãos mais novos, vossos primos pequenos, sobrinhos, enfim… Tenho a certeza que todos irão adorar este bela aventura musical.

29
Jan17

Uma volta por Cascais (Boca do Inferno)

Hoje fui dar uma volta. Apeteceu-me sair de casa e passear um bocadinho. Apeteceu-me ver o mar e por isso, apesar do imenso frio, logo pela manha saí de casa em direção a Cascais. Inicialmente era para ir à Lisboa, mas a vontade de ver o mar através de Cascais falou mais alto e eu lá acabei por ir.

 

Quando cheguei à Estação não sabia bem para onde ir e nem mesmo o que fazer. A única coisa que eu sabia era que queria ver o mar e por isso, andando pela vila, lá fui parar à maravilhosa Baia de Cascais, onde aí o sol brilhava e os seus raios quentes aqueciam o meu rosto e as minhas mãos geladas. Não sei bem explicar o porque, mas eu gosto imenso daquele lugar. Sinto-me bem sempre que lá estou e acreditem, foi mesmo bom ver, sentir, cheirar o mar logo pela manha. Ver os cães a correr e a brincarem pela praia. Ver os ciclistas e os corredores a fazerem o seu treino matinal. Enfim! Senti-me bem e disse para mim mesmo que devia repetir essas saídas repentinas mais vezes. É que uma pessoa está sempre trancado em casa, se não é em casa é no trabalho e depois do trabalho vamos para casa, sentamo-nos no sofá e agarramo-nos ao poderoso comando da TV e lá ficamos por horas e horas. Por vezes, sabe bem fugir dessa rotina e essa ida a Cascais deu para recarregar baterias. Tenho mesmo que voltar mais vezes.

 

20170122_092946.jpg

20170122_093013.jpg

 

E quando estava na Baia, a sentir o sol quente bater no rosto, pensei cá para mim: «Daqui até à Boca do Inferno deve ser próximo, não é?» Bem! Eu já fui várias vezes à Boca do Inferno. Sem exagero sou capaz de passar por lá, pelo menos uma vez por ano e apesar de ir sempre de carro, sempre tive a ideia de que a pé, a distância nem era assim tão longa. Por isso, resolvi arriscar. A pé, segui em direção à Boca do Inferno e o percurso fez-se na boa. Da Baia até lá é realmente um instante e vale a pena. De inicio confesso que ainda estive tentado em alugar uma bicicleta, mas depois lá acabei por mudar de ideias. Mesmo a pé, lá fui parar aquele lugar maravilhoso que tem um nome superinteressante e ali voltei a recarregar novamente energias. Tudo energias positivas pois aquele local é mágico. É lindo! Enche os meus olhos de alegria e o meu coração de força, coragem e sem exagero, era capaz de lá ficar horas e horas. Mas fiquei o tempo suficiente para tirar algumas fotografias, fotos essas que partilho agora com vocês.

 

20170122_093035.jpg

20170122_093132.jpg

20170122_093256.jpg

20170122_093307.jpg

20170122_093321.jpg

20170122_093357.jpg

20170122_093448.jpg

 

Eu não sei se vocês já foram à Boca do Inferno, se já ouviram falar dela, se gostam tanto como eu, mas seja qual for o caso, eu diria que esta é uma ida obrigatória. Se são preguiçosos como eu e gostam é de estar em casa no bem bom, façam como eu. Fujam um pouco da rotina e vão dar uma volta. Tenho a certeza que tal como eu, irão depois sentir-se muito melhor.

 

Eu estou pronto para a próxima volta e quando isso acontecer, cá estarei para contar-vos tudo…

28
Jan17

A minha nova paixão...

riverdale-archie.jpg

 

Pois é! O meu coração foi novamente arrebatado e eu sinto-me novamente apaixonado. Desta vez, o meu coração bate, bate forte, por um jovem ator que se dá pelo nome (estranho) de K.J. Apa e é mesmo esse menino da foto, com 19 aninhos e que nasceu numa terra que eu adoraria conhecer, a Nova Zelândia.

 

Acho que aqui em Portugal – pelo menos para mim – este jovem ator ainda não é muito conhecido, mas acho que em breve ele será. E se da mesma forma que já conseguiu arrebatar o meu coração, acho que irá conseguir muito rapidamente, uma legião de fãs não só por Portugal, como também pelo mundo a fora. O jovem é o protagonista de uma série que estreou no passado dia 26 de Janeiro (quinta) no canal The CW na América mas por cá, felizmente não tivemos que esperar muito tempo para conhecer a série, pois a Netflix, ontem, resolveu presentear-nos com a estreia exclusiva de “RIVERDALE”. Esta é uma série dramática protagonizada por um grupo de jovens e apesar de todo o elenco de jovens atores ter-me deixado surpreendido, é claro que este K.J. Apa, foi na minha opinião, aquele que mais se destacou. Ou não fosse ele o ruivo do momento, lindo de morrer e com um corpo que… Minha nossa! No primeiro episódio só tivemos apenas alguns vislumbres do seu maravilhoso corpo, mas eu acredito que nos próximos, a coisa vai aquecer ainda mais.

 

riverdale_ver3.jpg

 

K.J. Apa não só é a minha nova paixão, como eu também acho que vou ficar apaixonado pela série. O primeiro episódio surpreendeu-me pela positiva, a narrativa está maravilhosa, esta envolta sobre um grande mistério que é a morte do personagem Jason Blossom, que apesar de não termos tido a oportunidade de o conhecer, ficamos logo a saber que é uma personagem muito odiada por todos. Acho muito sinceramente que vai valer a pena acompanhar os próximos episódios e outra coisa boa da série, é ter um personagem assumidamente gay e aceite pelo grupo de protagonistas e que, acho ainda que ele irá dar que falar. Mas enquanto os próximos episódios não estão disponíveis, deliciem-se com mais algumas fotos do ator.

 

kj-apa 1.jpg

kj-apa 2.jpg

kj-apa 3.jpg

kj-apa 4.jpg

kj-apa 5.jpg

 

Bonito, não é??

28
Jan17

Feliz Ano Novo

Hoje, ao entrar pelo Google, recebi logo a informação de que hoje dá-se inicio ao Ano Novo Lunar (Chinês). Eu não sei bem o que é que isso quer dizer e nem tive vontade de pesquisar sobre o assunto, mas como até ao dia de hoje, eu ainda não tinha desejado um bom ano a ninguém, aproveito este momento para desejar um FELIZ ANO NOVO a todos os que por aqui passam e irão passar em breve. Espero que este novo ano seja maravilhoso pois em relação a mim, eu estou a fazer os possíveis para que seja.

27
Jan17

Freier Fall | +Filme

Quando há uns tempos atrás falou-se no filme que hoje irei sugerir, lembro-me que muitos sites e blogs o caracterizavam-no como se ele se trata de uma nova versão do tão conhecido filme “O Segredo de Brokeback Mountain”. A diferença é que enquanto o filme de Ang Lee retratava o amor entre dois cowboys, neste filme alemão, realizado por Stephan Lacant, o amor vem por parte de dois polícias. São duas histórias diferentes, retratadas em tempos diferentes, em países diferentes, mas não podemos negar que haja de facto algumas parecenças entre os dois filmes. Eu tenho que admitir que adoro “O Segredo de Brokeback Mountain” mas tenho que confessar que também fiquei fascinado por este “FREIER FALL” que sem dúvida alguma, merece toda a nossa atenção. Eu se fosse a ti, arriscava em vê-lo pois acho que não irás arrepender-te.

 

Freeir Fall.jpg

 

Apesar de já ter visto este filme há já algum tempo, só mesmo agora é que estou a falar dele e isso porque, à semelhança de alguns filmes que já aqui sugeri, este também faz parte da minha lista de favoritos. Não me recordo se o filme já alguma vez passou pelas nossas salas de cinema – coisa que eu duvido muito – e também não sei se alguma vez passou em festivais de cinema tipo Queer Lisboa. O que sei é que felizmente um dia tive acesso ao filme e ainda bem que o vi. O filme é cinco estrelas! Ele conta com um elenco fantástico, um elenco de atores em que como protagonista, temos um dos atores sensação da série “Sense 8”, o todo bonito e maravilhoso Max Riemelt, que já tem alguma experiência em filmes de temática gay. Mas todos os atores estiveram bem convincentes nos papéis que agarraram e a realização também está de parabéns, a história é também muita boa, onde sem nunca perder a postura, este filme conta com algumas cenas de sexo e os dois protagonistas trocam vários beijos selvagens. Vale a pena ver!

 

Freier Fall poster.jpeg

 

Freier Fall” conta ainda com outras cenas marcantes, tais como a cena em que a namorada de Marc, o polícia que cai em tentação, entra em desespero ao saber que foi trocada por um homem. Sem saber como irá satisfazer o seu homem, os dois têm uma cena no duche que eu achei fantástica. Aliás, no decurso do seu diálogo, a namorada até diz que nesta situação ela nem tem direito a ter inveja do outro, pois ela claramente sabe aquilo que o outro tem que ela não tem. Mas o filme, que chega a ter um ritmo calmo, chega a ter outras cenas marcantes e eu volto a dizer, o filme é bom, muito bom! Mas se dúvidas da minha palavra, procura o trailer do filme no meu canal do YouTube, lê a sinopse e depois tira tu as conclusões se queres ou não ver o filme.

 

Ah! E se a informação que consta no IMDb for verdadeira, está para breve uma continuação deste filme, mantendo o ator Max Riemelt. É esperar para ver se isso é verdade.

26
Jan17

Está tudo aqui! Tudo num só...

Acreditem ou não eu já lido com a plataforma do Sapo Blogs há imenso tempo, mas só hoje é que dei conta de que era possível importar para este blog, todos os artigos publicados no antigo blog do MORE. Será que me estou a fazer entender?

 

O que eu quero dizer é que até ao momento, eu fazia distinção entre este blog atual, que regressou em grande no passado mês de Agosto de 2016, com o blog antigo que passou a designar-se por MORE OLD. No entanto, de forma a ter todos os artigos já publicados pelo MORE num só único blog, descobri hoje que era possível exportar todos os artigos do antigo blog e importa-los para o novo. Ou seja! Agora, neste único endereço do blog, todos os mais de 400 artigos já publicados pelo MORE, estão aqui neste blog. Todos os mais de 200 comentários estão também aqui num só único blog e por isso, o MORE OLD deixou de fazer sentido. A partir de hoje está tudo neste único MORE

25
Jan17

Jhonattan Burjack | O Homem da Capa

Burjack-8.jpg

 

O seu nome é Jhonattan Burjack, ele foi fotografado pelo Daniel Jaems e este belo modelo é a capa do MORE deste mês de Janeiro. As fotos estão maravilhosas, mas o modelo é sem dúvida alguma, mais maravilhoso ainda, não acham? E já que ultimamente não tenho tido tempo para vós dar os bons dias como deve de ser, e falta homem bonito pelas páginas deste blog, hoje deixo-vos na companhia deste Jhonattan que é um arraso!!

 

Burjack-2.jpg

Burjack-3.jpg

Burjack-5.jpg

Burjack-11.jpg

Burjack-12.jpg

 

Para verem mais fotos deste modelo, é só passarem por aqui

24
Jan17

Brevemente vou frequentar um ginásio...

Pois é! Inscrevi-me (novamente) num ginásio. Ainda não sei bem quando é que irei começar os treinos, mas em breve, irei mudar alguns dos meus hábitos e uma dessas mudanças vai passar por ir diariamente ao ginásio, para ver se finalmente consigo estar em forma.

 

Eu já por diversas vezes inscrevi-me em vários ginásios e não posso negar, de todas essas vezes eu consegui perder peso, andei sempre um pouco mais animado e conseguia dormir melhor. Mas sempre tive problemas com o ginásio. Em todos onde eu ia, ficavam sempre longe de casa, eram mais próximos do trabalho e isso obrigava-me a estar sempre carregado com a roupa e o calçado para o treino e ainda mais toalha para o banho. Andava sempre de mala pesada às costas e isso era uma chatice. Mas maior chatice ainda era o ter que tomar banho no ginásio para de seguida ir trabalhar. É claro que o banho em si não é um problema. Eu sou uma pessoa que dá valor à higiene e por isso, não tenho nenhum problema com o banho. O problema mesmo é o tomar banho na companhia de muitos estranhos à minha volta, todos despidos, com os membros todos à mostra e… eu não sou de ferro! Por vezes não consigo deixar de olhar, não consigo ser discreto e claro, dou muito nas vistas. Esse sim, é sempre o meu maior problema na hora de frequentar ginásios e se assim é, porque motivo voltei eu a inscrever-me no ginásio?

 

Bem! Muito em breve, mesmo à porta da minha casa, irá abrir um ginásio daqueles que se designam de low-cost. O ginásio fica apenas a uns cinco minutinhos da minha casa e por isso, se o banho era um problema, ele deixou de ser. Devido à proximidade, no final dos treinos eu nem sequer preciso entrar no paraíso dos homens nus, ou melhor dizendo, nos balneários. Quando termino o treino, venho direto para casa e aí sim, faço a minha higiene para depois seguir em frente com o meu dia. Isso é um ponto positivo e é o que me levou a inscrever. Por isso não vejo a hora de começar os meus treinos. Ainda não sei bem qual irá ser a data de abertura, mas prevê-se que seja lá para o inicio do mês de Fevereiro. E quando isso acontecer, eu cá estarei para falar um pouco mais dessa minha nova aventura.

 

Mas… serei o único a ter problemas com os balneários masculinos? Serei o único a sentir-me incomodado no meio de tantos homens nus e nem sequer poder tocar? Dizendo isso eu sei que até pareço um verdadeiro tarado mas é como eu já aqui disse, eu não sou de ferro. Não é todos os dias que eu vejo um homem nu á minha frente e por isso, quando vejo, confesso que fico mesmo um pouco de cabeça perdida.

23
Jan17

Fui aos saldos

Todos os anos é sempre a mesma coisa. Os saldos chegam, prometendo ótimos descontos e eu, por norma, deixo sempre passar essa época, indo apenas quase na última semana de saldos, altura essa em que já não consigo encontrar nada de jeito. Mas este ano posso desde já afirmar que as coisas foram diferentes. Hoje fui aos saldos! Sim! Fui às compras e aproveitei os super descontos e acreditem, cheguei a comprar coisas maravilhosas para mim.

 

Uma vez que o meu guarda-fato já há algum tempo andava a queixar-se por não ter coisas novas, hoje resolvi ir até à Primark gastar um pouco do dinheiro que sobrou do ordenado passado. De forma a não exagerar nas compras, estipulei um valor limite, valor esse que não poderia ultrapassar os 100€. E até esse valor, a intenção era comprar calças, camisas e casacos de frio, pois os que tenho já andam meio velhinhos e a precisarem de serem substituídos. Pensei eu que 100€ era o suficiente para comprar tudo o que queria, mas a coisa complicou-se um pouquinho. É que eu e a Primark temos uma relação muito estranha, muito próxima. Basta eu entrar lá dentro que perco a cabeça. É que tudo é tão barato e então agora com os saldos, as coisas estão ainda mais baratas. E depois há a vantagem de que na Primark, eu encontro de tudo. Desde a roupa íntima, a acessórios interessantes para a casa. E depois, é encher o cestinho de compras com um monte de tralhas. E sim! Acabei por exceder um pouco no valor limite que tinha estipulado pois não resisti em comprar duas calças, duas malhas, três casacos, dois sapatos, um pijama, uma manta daquelas bem quentinhas e ideais para ter sobre as pernas enquanto vemos TV e por fim, já por impulso, acabei ainda por comprar uns headphones, pois os que eu tinha já estavam mais para lá do que para cá. Enfim! Gastei algum dinheiro, mas pelo menos, lá fiz a vontade ao meu guarda-fato e agora, ele já não tem razões de queixa. Lá dentro já vai encontrar coisinhas novas que eu estou desejoso de usar em breve.

 

E depois da ida à Primark, a intenção era vir direto para casa, para não ter a tentação de gastar mais dinheiro, mas acabei por não resistir, quando passei pela livraria Bertrand. Lá acabei por comprar dois livros, mas quanto a eles, em breve, num próximo artigo eu falo-vos deles. Para já, agora que já estou em casa, vou arrumar as minhas comprinhas e depois, coberto com a nova mantinha, vou direto para o sofá, para agarrar-me a mais uma das muitas sérias da Netflix.

 

Mas então e vocês? Costumam aproveitar os saldos? Já fizeram muitas compras este ano? E tal como eu, são adeptos da Primark ou acham aquilo uma autêntica selva? Partilhem as vossas opiniões…

23
Jan17

História | +Música (e o meu encontro com o Diogo Piçarra)

Já ouviram a nova música do Diogo Piçarra? Chama-se “HISTÓRIA” e tal como todas as suas outras músicas, esta é mais uma de sucesso, mais uma que entra nos nossos ouvidos e rapidamente faz magia. Eu adoro! Eu adoro-o e para aqueles que ainda não conhecem essa “História” que eu sinceramente duvido, fiquem com o videoclip do Diogo Piçarra que está também maravilhoso e com ele, espero que tenham uma ótima semana de trabalho ou seja lá do que for.

 

 

E como até agora ainda não tinha tido a oportunidade de falar sobre um assunto relacionado com este maravilhoso cantor, aproveito o momento para revelar que no passado mês de dezembro, mais precisamente no dia 19 de Dezembro, eu tive o enorme privilégio de ir assistir a esse belo menino, num concerto maravilhoso que ele deu no Casino de Lisboa e… O que dizer?! Simplesmente amei! Se eu já era um grande fã dele, se eu já era apaixonado pela sua voz fabulosa, se eu já andava de cabeça perdida por causa da beleza do rapaz, a partir daquele dia eu… nem sei explicar como fiquei! Adoro o Diogo! Ele é lindo de morrer! Tem uma voz que derrete o meu coração e faz ele bater ainda mais forte. Estou in love. Pena é que ele nem sequer saiba da minha existência, apesar de eu particamente ter estado ali, quase na primeira fila, a babar por ele, a aplaudir e a devorá-lo com os olhos, ouvidos e todos os outros sentidos. Para recordar esse momento memorável, quase no terminar do ano 2016, tirei algumas fotos do concerto e agora, um pouco tarde demais, partilho o momento com vocês.

20161219_230056.jpg

20161219_230246.jpg

20161219_230257.jpg

20161219_230258.jpg

20161219_230259.jpg

 

No final do concerto, o Diogo Piçarra ainda esteve a fazer uma sessão de fotos e autógrafos com os seus fãs, mas eu não tive coragem de enfrentar a imensa fila de pessoas que ali estavam para conseguirem estarem um pouquinho mais próximo dele, mas… Também se eu ficasse na fila e chegasse até ele, o que é que eu iria fazer? Como é que iria reagir? O que é que iria dizer? Acho que iria perder a cabeça e abraça-lo, toca-lo em todas as partes do seu corpo, beija-lo, iria pedir a sua morada, o seu número de telefone, iria agarra-lo e não mais larga-lo. Seria uma cena deplorável, onde com toda a certeza, os seus seguranças teriam que me afastar dele à força e por isso, o melhor mesmo foi nem arriscar. Vi-o de longe e confesso que já fiquei feliz por isso.

 

E vocês já tiverem a oportunidade de o ver ao vivo? Gostam da sua música? Partilhem a vossa opinião comigo. Quem sabe se não criamos aqui um clube de fãs do maravilhoso Diogo Piçarra?!

21
Jan17

Roda de Nutella | +Cozinha

Roda de Nutella.jpg

 

Há uns dias atrás, fui parar à cozinha para fazer uma Roda de Salmão, Queijo e Pesto. O resultado foi tão giro e tão bom, que acreditem, a roda não durou muito tempo. Foi devorada!! E por a ideia de fazer uma roda de massa folhada ser tão original, hoje resolvi dar novamente um pulo na cozinha, para fazer uma nova roda, desta vez com algo que é impossível haver alguém no mundo que não goste. Afinal de contas, quem é que consegue resistir ao delicioso Nutella?!

 

 

Para a receita de hoje, foram apenas necessários dois, ou três ingredientes e se para o dia de hoje, não sabes o que comer quando chegar a hora do lanche, então aceitem essa minha sugestão. Sigam a receita e façam também esta maravilhosa RODA DE NUTELLA, pois com ela, tenho a certeza que irás sentir-te um rei na hora do lanche.

 

(clica na imagem e faz download para colecionares mais esta ficha de culinária)

 

Continuação de um ótimo fim de semana, de preferência que seja doce, tão doce como a receita de hoje e caso venham a fazer esta Roda de Nutella, partilhem depois as vossas opiniões e quem sabe fotos, aqui com o Homem na Cozinha

20
Jan17

Beira Mar | +Filme

Hoje estive à beira-mar. Ou melhor dizendo, hoje vi o filme “BEIRA-MAR” e... gostei! E até recomendo. O filme não é assim nada de especial mas vale a pena. E apesar de muito diferente, é díficil não olhar para este “Beira-Mar” sem lembrar-me do maravilhoso “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”. Ambos são filmes brasileiros, ambos contam com personagens adolescentes (se bem que este filme apresenta personagens mais velhos) e ambos contam uma história de amor entre dois amigos. Ou melhor! Será mesmo uma história de amor? Claro que se me perguntarem agora, quais dos dois filmes eu gostei mais, a verdade é que teria sempre que escolher a história do jovem cego que se apaixona pelo seu novo colega de turma. No entanto, este “Beira-Mar” também é um bom filme. Não teve o mesmo impacto que o outro mas foi na mesma bem recebido pela crítica e apesar de aspectos negativos, a verdade é que eu gostei.

 

Beira-Mar 2.jpeg

 

Eu já tinha ouvido falar deste “Beira-Mar” há algum tempo e lembro-me que na altura, apesar do trailer pouco ou nada mostrar, eu fiquei muito curioso em relação a ele. Por isso, assim que consegui ter acesso ao filme, não esperei nem um segundo. Dei play e vi este filme com toda a atenção que ele merecia. Num todo, eu volto a dizer que o filme até está muito bom mas infelizmente, no que diz respeito ao enredo, acho que deixa muito a desejar. O filme é curto, vê-se rápido e talvez por ser curto é que dá para tolerar certos silêncios incomodativos. É que o filme para além de não ter muita história, também tem poucos diálogos. “Beira-Mar” centra-se na viagem que dois grandes amigos (já de longa data) fazem até ao litoral do Rio Grande do Sul no Brasil e ficam instalados numa casa de praia que pertence aos pais de um dos personagens. Curiosamente, ao ver o filme, ficamos logo a saber que a casa fica junto à praia, à beira-mar (e talvez daí venha mesmo o título do filme), mas só conseguimos deslumbrar o mar, na cena final do filme. Uma cena que deixa muito a desejar, pois quando o filme parece que está a avançar e que agora sim, o filme vai começar a sério, a cena é interrompida com o final do filme. Um final que não deu direito a explicações, não deu direito a conclusões, simplesmente acabou. E na minha opinião acho que deveria ter havido uma explicação. Ao menos, deviam tentar explicar melhor o porque daquela viagem. O porque de um pai mandar um filho visitar uns familiares distantes e... enfim! Há coisas que erraram, mas também houve coisas que acertaram.

 

Beira-Mar poster.jpeg

Protagonizado por Mateus Almada (Martin), que é sem dúvda nenhuma um patinho feio e ainda pelo jovem Maurício José Barcellos (Tomaz), em que esse sim, é um querido, “Beira-Mar” é escrito e realizado pela dupla Filipe Matzembacher e Marcio Reolon. Infelizmente, este filme é mais um daqueles que certamente nunca irá passar pelos nossos canais de televisão, mas é também um filme que pode ser visto por toda a familia. Sim! Apesar de haver um sequencia de sexo entre dois jovens rapazes, este filme pode ser visto por todos. Até porque a cena está perfeita. O momento do sexo é delicado, é querido, é emocionante e... vale a pena! Por isso, tenta arranjar algum tempinho livre nessa tua vida tão atribulada e arranja maneira de ver este “Beira-Mar”. Depois já sabes, partilha a tua opinião comigo.

 

Boa noite a todos e bom fim de semana. Sim! Porque o fim de semana já está aí à porta, apesar de no meu caso, eu ficar os dois dias a trabalhar.

 

(Este texto foi inicialmente publicado no antigo blog do MORE a 19 de Fevereiro de 2016)

18
Jan17

A Cada Dia (de David Levithan) | +Livros

Já se está a tornar um habito falar de David Levithan aqui no MORE. Ele que é um escritor americano, que já foi mencionado neste blog através de um filme que está disponível no catalogo da Netflix e ainda, através de uma sugestão de leitura. E por tratar-se de um escritor, por quem eu começo a ter um especial carinho, tenho a certeza que em breve vou continuar a falar dele mais vezes. E desta vez, a razão para eu estar aqui a falar do escritor, é que terminei há bem pouco tempo de ler, um dos seus grandes sucessos chamado “A CADA DIA”. Esta é uma história fenomenal, muito bem contada e de fácil leitura e claro, recomendo-vos a leitura deste livro, pois tenho a certeza que irá valer a pena.

 

Neste livro, David Levithan através de um só personagem, chamado ‘A’, dá-nos a conhecer uma série de outros personagens. Todos eles muito diferentes, todos muito interessantes, com histórias de vida tocantes, mas que graças ao grande amor de ‘A’, todos eles buscam o amor pela mesma rapariga.

 

Confesso que cheguei a esse livro, por de uma certa forma abordar uma temática gay e como ultimamente tenho andado à caça de livros com essa temática, foi com um grande entusiasmo que comecei a ler esse livro, mas tenho que admitir que o final, na minha opinião, deixou muito a desejar. Fiquei um pouco desiludido com o desfecho da história, pois imaginava que ele viesse a terminar de uma outra forma, mas valeu apena! Não digo que vá fazer parte da minha lista de favoritos, mas é sem dúvida um livro a ter em conta e por isso, aqui fica a recomendação e depois partilhem a vossa opinião em relação ao livro.

 

A Cada Dia.jpg

 

Sinopse do livro: A cada dia, A acorda no corpo de uma pessoa diferente. Nunca sabe quem será nem onde estará. A já se conformou com a sua sorte e criou regras para a sua vida: Nunca se apegar muito. Evitar ser notado. Não interferir. Tudo corre bem até que A acorda no corpo de Justin e conhece Rhiannon, a namorada de Justin. A partir desse momento, as regras de vida de A não mais se aplicam. Porque, finalmente, A encontrou alguém com quem quer estar a cada dia, todos os dias.

18
Jan17

Please Like Me | +Televisão

Há uma série, que já está disponível há algum tempo no catalogo da Netflix que vocês não podem perder. Se ainda não chegaram até ela, então fiquem agora atentos a esta minha nova sugestão, pois eu tenho a certeza que ela será do teu agrado. Pelo menos, se fores daqueles que gosta de uma boa comédia negra, que mistura momentos de rir até não conseguirmos mais, com momentos de chorar sem parar, então este “PLEASE LIKE ME” é perfeito para ti.

 

PleaseLikeMe_01.jpg

 

Cheguei até esta série australiana, muito por acaso. Numa noite em que nada tinha para ver na TV, andei há procura de algo interessante pelo Netflix e de repente, surgiu à minha frente, este “Please Like Me”, uma série da autoria de Josh Thomas, que é também o protagonista e que pela Austrália, já arrecadou vários prémios de melhor série e melhor elenco. E esses prémios foram merecidos, pois a série é espetacular. Cada episódio da série é fantástico e o elenco é também maravilhoso. E depois as histórias são tocantes, são familiares, são de chorar, rir e de viver todas as emoções possíveis em apenas 25 ou 30 minutos. Tenho que confessar que esse achado foi uma grande surpresa para mim e acho até, que esta é já a melhor série que vi ao longo do ano de 2016. Pelo menos está já na lista das melhores séries, pois pelo Netflix, encontrei ainda outras séries muito boas e dignas de serem consideradas as melhores.

 

Neste “Please Like Me”, acompanhamos a vida de Josh, um jovem que divide uma casa com o seu melhor amigo Tom (que é um fofo!) e que para além dos seus vários dilemas, têm ainda que saber lidar com os problemas da mãe, divorciada e numa profunda depressão e ainda com os problemas do pai, que vive agora com uma tailandesa bem mais jovem do que ele. A série começa com Claire, namorada e melhor amiga de Josh, a terminar o namoro com ele, pois antes mesmo dele dar-se conta da sua homossexualidade, já ela tinha percebido que ele era diferente. Nesse mesmo dia, ele chega realmente à conclusão de que é gay e de um momento para o outro, começa a relacionar-se com Geoffrey, um colega de Tom e que é lindo, muito lindo e com um corpo que… enfim! A sorte grande vai mesmo bater à porta do patinho feio que é o Josh mas é também nesse mesmo dia, onde ele começa a descobrir outros prazeres da vida, que ele tem que saber lidar com a tentativa de suicídio da sua mãe. Tudo isso acontece no primeiro episódio, mas ao longo das três temporadas que estão disponíveis na Netflix, muita coisa acontece. Momentos tristes, momentos insólitos, momentos de rir até chorar, enfim, esta é mesmo uma série completa e que em cinco noites, devorei de uma só vez, as três temporadas, os 26 episódios e agora, não vejo a hora da nova temporada, que na Austrália estreou no passado mês de Novembro, chegar agora ao Netflix pois eu já tenho imensas saudades deste “Please Like Me”.

 

PleaseLikeMe_02.jpg

 

Para aqueles que estão na dúvida em relação à série, vejam pelo menos o primeiro episódio. Depois disso, tenho a certeza absoluta de que não vou conseguir deixar essa série para trás. Duvidam? Então depois passam por aqui e deixem os vossos comentários.

Pág. 1/2

Os meus blogs

Calendário

Janeiro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exatamente!!! Excelente esse tutorial, se seguir i...

  • Mauro

    o Sergio Marone é um gatão.

  • Anónimo

    914370704

  • Anónimo

    Tem o livro? Quer vender?

  • Anónimo

    Olá tens previsão para a segunda temporada??

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.