Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

13
Dez16

Mannen Som Elsket Yngve | +Filme

Mannen Som Elsket Yngve.jpeg

 

E cá vou eu com mais uma nova sugestão de filme que faz parte da minha lista de favoritos. Descobri à uns anos atrás, este filme que rapidamente passou a fazer parte da minha lista de filmes favoritos. E é curioso, pois por vezes, os grandes filmes, aqueles que conseguem conquistar-me por completo, são os pouco (ou nada) conhecidos, pouco falados, que vêm de países onde normalmente não estamos habituados a ouvir falar. O filme que esta noite eu recomendo vem da Noruega e se não me engano, esta foi mesmo a primeira vez que vi um filme desse país. Sei que há pessoas que têm um certo ‘preconceito’ em relação a filmes que não são de origem americana e falados em inglês, mas acreditem, por vezes, os melhores filmes vêm mesmo de outros países como a Noruega. E esse “MANNEN SOM ELSKET YNGVE” é o exemplo de um ótimo filme que merece ser visto por todos nós. Eu recomendo a 100% e tenho a certeza que quem arriscar em vê-lo, também irá gostar.

 

Quando optei por ver este “Mannen Som Elsket Yngve” eu pouco ou nada sabia acerca dele. Ou melhor, já tinha lido a sinopse do filme mas como sei que muitas das vezes as sinopses não correspondem à realidade, eu arrisquei vê-lo sem nunca imaginar que iria ficar completamente rendido a ele. O filme está excelente em todos os sentidos. Tanto na realização como nas interpretações dos jovens atores. Todos eles estão fantásticos e até mesmo a banda sonora do filme chama a atenção com grandes êxitos dos anos 80.

 

Este filme, pelo que depois pesquisei em relação a ele, foi muito aplaudido no seu país de origem chegado a ganhar vários prémios em alguns festivais de cinema. E ainda bem que assim foi porque este filme é mesmo uma obra de arte que em cerca de uma hora e meia de filme, faz-nos sentir um pouco de tudo, desde a vontade de rir até à vontade de chorar. A sua história está super emocionante e apesar do filme ter terminado de uma forma inesperada, deixando com que o final não fosse muito esclarecedor, a verdade é que mesmo assim, vale a pena arranjar um tempinho para o ver. Por isso, e como na minha opinião este filme é para toda a família, assim que possível reúne a tua família e assiste a este maravilhoso filme na companhia de umas boas pipocas.

 

Mannen Som Elsket Yngve poster.jpeg

 

Mannen Som Elsket Yngvese passa em novembro de 1989. O muro de Berlim colapsa. Na cidade de Stavanger, Jarle Klepp, 17 anos, não tem ideia de que as coisas estão prestes a mudar. Até agora ele tinha de tudo; a melhor namorada e o mais legal amigo do mundo. Juntos formam a mais agressiva banda de punk rock da cidade, a Mattias Rust Band. Mas então surge um novo colega de classe, Yngve, que não é como a maioria, deixando Jarle confuso. Lentamente, mas de forma constante, ele deixa de lado todos os que o cercam, e descobre o que significa ficar sozinho. Um cintilante, delicioso, dramático, e engraçado filme, que pode te fazer rir e chorar com a mesma intensidade. A intenção foi fazer um filme autêntico, maduro, mas ao mesmo tempo com a energia da juventude dos personagens. A trilha sonora te levará diretamente aos anos 80, com algumas das principais bandas de rock do período, tais como Stone Roses, The Cure, REM, Japan, Jesus and Mary Chain e Joy Division. Recomendado aos livres de espírito.

13
Dez16

Depressão

Tenho andado triste. Ou melhor, a palavra correta não é «triste». Não é a tristeza que me anda a incomodar ao longo desses dias. É algo pior. É algo bem mais forte, bem mais doloroso do que a tristeza. E eu sei disso. Tenho a perfeita noção do que me anda a incomodar, dia após dias, noite após noite e talvez por isso, tenho até medo de falar acerca deste delicado assunto. Não falo com os meus familiares, não falo com os meus colegas, não falo com a minha médica e nem mesmo tenho coragem de falar comigo mesmo. Não tenho coragem de confrontar essa verdade. Sim! Porque eu sei que é verdade. Eu sinto o que antes eu já senti. Tento disfarçar aquilo que eu sei que já não consigo disfarçar. Tento levantar-me e manter-me de pé, mas… sinto-me sempre no fundo de um poço. Num buraco, tão fundo, tão escuro, tão assustador e onde sou eu e os meus fieis horrores estão presentes. E por muito que eu até queira sair desse buraco, eu não consigo. Não tenho forças. Doí-me tudo e tudo me faz ficar em baixo. Sofro, mas não consigo gritar, não consigo chorar… não consigo! E esse sentimento não é tristeza. É algo que eu conheço muito bem. É DEPRESSÃO…

 

Há uns anos atrás, e nem foi há tantos anos assim, eu passei por uma terrível depressão. Daquelas em que diariamente eu nem conseguia levantar-me da cama. Simplesmente queria ficar lá a vida toda, pois levantar-me para a vida era algo que para mim não fazia sentido. Cheguei na altura a ser acompanhado por uma psicóloga, mas nem isso impediu que num belo dia, eu tentasse pôr um fim definitivo a toda a minha dor. Depois desse triste episódio que deixou profundas marcas na minha vida e na vida de quem me é mais próximo, para além da psicóloga, comecei a ser também acompanhado por uma psiquiatra que me receitava a medicação para ver se pelo menos a dor interna e constante dentro de mim, desaparecia por completo. Aqueles foram momentos muito maus. Momentos em que até custa lembrar-me deles. Até custa falar deles, mas na altura consegui superar a dor. Livrando-me de más influências e de todos aqueles que me faziam sentir ainda pior, eu comecei a olhar para a vida de outra forma. Nas pequeníssimas coisas, comecei a ver que tinha tudo para ser feliz. E quando falo das pequenas coisas, estou a falar da minha pequena sobrinha. Ela foi a minha salvação! Para conseguir viver neste mundo, onde tudo parece que foi feito para me ferir, eu agarrei-me com unhas e dentes aquele pequeno ser. Um ser iluminado que não tinha noção da escuridão que estava dentro de mim. E nem sequer tinha noção de que um simples sorriso seu, fazia o sol brilhar com todo a intensidade no meu coração. Ela foi a minha salvação. Ela fez com que eu me levantasse da cama, com que eu agisse e quando dei por mim, graças a minha pequena sobrinha, que é a Rainha da minha vida, não vi mais sinais da depressão. Como se ela própria fosse um poderoso medicamento, ela curou-me do mal, da dor, da escuridão e deu-me razões para viver e… ainda dá! Mas a escuridão voltou. A dor está novamente dentro de mim. O medo, o horror, os maus pensamentos estão novamente a invadir território que, aparentemente já estava curado, mas parece que tudo está a voltar. E nos dias em que eu estou mais em baixo, eu penso nela. Penso muito na minha sobrinha. As vezes até fecho os olhos e lembro-me de como é o seu radiante sorriso. De como é a sua delicada voz que faz magia nos meus ouvidos. De como é a sua graciosa gargalhada que enche todo o meu coração de alegria. Eu penso! Eu sinto! Tento matar saudades e penso que tudo fica bem, mas… a escuridão mantém-se. A dor ainda aperta o meu coração. Os maus pensamentos estão de volta…

 

Todos os dias tenho acordado a dizer que isso é apenas uma fase. Que logo, logo as coisas vão passar e o sol vai brilhar novamente dentro de mim mas, isso sou eu a querer enganar-me a mim próprio. Gostava que isso fosse só uma fase. Que fosse apenas por causa dessa época natalícia que eu tanto odeio e que inevitavelmente todos os anos me coloca em baixo, mas a verdade, é que já tenho andado assim com esses sentimentos há já algum tempo. Tenho é tentado ignorar os sintomas. Tenho fugido da verdade, mas… Sinto que não tenho mais pés para continuar a fugir. A minha vida estagnou. Estou parado num cruzamento onde todas as direções vão sempre parar ao mesmo sítio, a depressão. No outro dia, numa consulta de rotina com a minha médica de família, estive para falar-lhe desses meus sintomas, mas acabei por não ter coragem. Achei que, assim que falasse do assunto, ela iria simplesmente achar que esse era apenas mais um capricho da minha parte. Porque infelizmente é assim que muitos pensam. Acham que a depressão é apenas um capricho de quem não tem mais nada do que fazer. Sei que essa não é de todo a opinião da minha médica, mas mesmo assim não tive coragem de falar. Devia, mas não consegui! Mas felizmente consegui falar aqui…

 

Tenho estado ausente desse espaço e isso é porque obviamente não tenho tido cabeça para estar por aqui. Algumas coisas têm sido publicadas, pois já estavam programadas para isso mas não sei se tão cedo vou conseguir voltar aqui. Não sei bem o que vou fazer nos próximos dias mas dar atenção a este blog, eu sei que é coisa de que eu não vou ser capaz. Por isso, sem saber o que mais dizer, agradeço a todos os que por aqui passaram e… até a uma próxima…

Os meus blogs

Calendário

Dezembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

  • Anónimo

    o banho tem secções no meu ginasio e por isso nimg...

  • Carlos Lontro

    A minha sobrinha é lésbica mas os meus pais e irmã...

  • Carlos Lontro

    comenta comigo pelo face e eu dote uma ajuda a per...

  • Anónimo

    Muito bom texto. Deixei ontem de trabalhar num e t...

  • Anónimo

    Sou burro kk, quem matou quem? ou foi suicidio?

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.