Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MORE

Num só blog, está tudo aqui! O MORE tem desabafos/opiniões em relação a mim e ao que se passa à minha volta. Tem sugestões de cinema, televisão e não só. E tem mais, muito mais...

29
Fev16

Um Homem na Cozinha | Risoto de Camarão (e outras delícias do mar)

Um-Homem-na-Cozinha_Capa-Risoto_de_Camarao


 


E depois da Índia e do México, esta semana resolvi viajar até à Itália e a viagem, foi uma vez mais maravilhosa. Na verdade eu nem precisei sair de casa para fazer essas viagens. Bastou-me estar na cozinha, com os ingredientes certos, os aromas maravilhosos e estar bem inspirado para me sentir nesses países. E a Itália é de facto um país que eu gosto muito! Felizmente já tive a oportunidade de viajar até Itália algumas vezes e eu adoro tudo naquele país. E a comida italiana é... bem! Só de pensar eu fico até sem palavras. Fico com água na boca. Na Itália eu já comi a verdadeira pasta e devo confessar-vos que eu adoro massas, adoro lasanha, adoro piza, adoro, adoro, adoro!!! Confesso ainda, que quando lá vou, volto sempre com uns quilinhos a mais mas... o que é que se pode fazer?! Não dá para resistir àquelas tentações. Não dá mesmo!


 


Esta semana, a receita que tenho para vós apresentar, é mesmo de inspiração italiana e que eu já costumo fazer com alguma frequência. Não é nenhuma massa especial, nenhuma lasanha que eu adoro fazer e que tenho imensas receitas diferentes de lasanha para apresentar em breve, mas é sim um delicioso RISOTO DE CAMARÃO (e outras delícias do mar). Eu adoro! E o pessoal cá de casa também adora, apesar de estarem sempre a dizerem-me que para ser um verdadeiro risoto, falta um bom cálice de vinho branco, ou então de champanhe mas... Vou contar-vos um segredo. Eu sou 0% álcool em tudo... e sempre! Não bebo álcool, e em termos culinários, evito ao máximo comer algo que tenha sido confeccionado com o álcool. Sim! Eu conheço aquela velha história de que dizem que o álcool evapora-se durante a confecção do alimento mas não interessa, o sabor (e o cheiro) que eu odeio lá fica. E acreditem. Por diversas vezes já fiz uma mesma receita, em que numa das vezes coloquei vinho branco e na outra não e para mim, a diferença é abismal. Sem a presença do álcool, para mim fica sempre tudo muito mais saboroso. Conclusão: eu sou mesmo anti álcool e por isso, por muito que cá em casa digam que falta o vinho branco nos risotos que eu faço, eu simplesmente ignoro porque na verdade, todos adoram o resultado final. Mas chega de falar do álcool. Isso poderá ser tema para um outro artigo, quem sabe. Para já, vou deixar-vos com esta deliciosa receita e desafio-vos a tentarem fazer este risoto em que o camarão, é de facto a estrela principal mas que por lá, encontram-se ainda outras delícias.


 


Risoto_de_Camarao_01


 


INGREDIENTES:


 


Camarão | Miolo de Amêijoa | Delicias do Mar | Cebola | Alho | Alho Francês | Aipo | Pimentos | Cenoura | Chouriço | Arroz Arbóreo | Manteiga | Queijo Parmesão | Cebolinho | Azeite | Sal e Pimenta q.b. | Piri-piri (opcional)


 


PREPARAÇÃO:


 


_Começa-se por fazer um caldo com as cascas de camarão, meia cebola, um alho esmagado, uma cenoura, um pouco de alho francês e aipo. Deixa-se ferver durante um tempo. Mais tarde, esmaga-se um pouco as cascas com os legumes e passa-se tudo por um coador. Matem-se na mesma o líquido (caldo) em lume baixo enquanto prepara-se o risoto.


 


_Numa panela, junta-se meia cebola picada com azeite e deixa-se refogar. Junta-se depois um alho picado, uma tira de um pimento vermelho cortado aos cubos pequenos, duas rodelas de chouriço cortado também em cubos pequenos e ainda, para os que gostarem, meia colher de chá de piri-piri. Deixa-se tudo refogar por um tempo e só depois, junta-se um pouco do miolo de amêijoa e do arroz.


 


_Mexe-se tudo durante um tempo e aos poucos, com o auxilio de uma concha, vai-se juntando o caldo preparado inicialmente. Em lume brando, mexemos sempre o arroz e vamos juntando o caldo à medida que for preciso.


 


_ A meio do tempo de cozedura, junta-se os camarões já sem casa e quando esses já tiverem cozidos e o arroz estiver quase no ponto, junta-se também delicias do mar cortado às rodelas.


 


_Mediante o vosso gosto, se preferirem um risoto mais cremoso ou não, quando acharem que o arroz já está no ponto, juntem 2 colheres de sopa de manteiga, uma boa quantidade de queijo parmesão ralado e cebolinho picado. Mexem tudo, rectifiquem temperos com o sal e a pimenta e já está pronto para ir para a mesa.


 


_Empratem o risoto ao vosso gosto e...bom apetite!


 


Risoto_de_Camarao_02


 


E esta foi mais uma nova sugestão que eu espero que seja do vosso agrado. Desculpa se tanto aqui, como nas outras receitas eu não chego a falar de quantidades nem de medidas mas é que eu sou assim mesmo. Quando estou a cozinhar, basicamente faço tudo a olho. Não tenho medidas nem quantidades certas. Vou acrescentado e retirando enquanto cozinho e claro, vou sempre provando para ver como está. Esse é o truque! De qualquer forma, as vossas opiniões e sugestões são sempre bem vindas. E por isso, se tal como eu tu adoras cozinhar, não hesites em partilhar comigo as tuas receitas, as tuas fotos, as tuas paixões culinárias. Eu fico à espera de um comentário teu e agora... bem! Agora vou já para cozinha preparar a receita da próxima semana. Até lá tenham uma óptima semana e aqui fica a dica: um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

27
Fev16

Curta | Rotulo

Há uns tempos atrás eu partilhei com vocês uma curta-metragem brasileira que eu adorei imenso e que contava, de uma forma muito original, essa história do gaydar, que dizem que todos os gays têm. Hoje, do mesmo criador dessa curta bastante original, partilho com vocês uma nova curta, que acreditem, fez-me rir imenso. Desta vez, o foco da curta é essa história dos rótulos que as pessoas têm mania de dar às outras pessoas. Ora são gays, são hetero, são bi, mas afinal são lésbicas, enfim... Curta maravilhosa! Diálogos maravilhosos e dois jovens artistas muito engraçados. Não esperes mais e vê se percebes toda essa história de rótulos...


 



(se o vídeo falhar, tentem este link...)

25
Fev16

Filme | Tensión sexual, Volumen 1: Volátil (Marco Berger, Marcelo Mónaco_2012)

MENU1

 

 

 

Hoje vou partilhar com vocês, mais uma sugestão de cinema para ver em casa. Trata-se de um filme que infelizmente nunca passou e nem nunca irá passar pelos nossos canais de TV, mas graças à gloriosa internet, tive aceso ao filme, vi, gostei e agora estou aqui para sugerir que o vejam também.

 

 

 

O nome Marco Berger diz-vos alguma coisa? Se tal como eu, tu gostas de assistir a filmes com uma temática gay e andas sempre à procura de algo novo, com certeza já deves ter lido esse nome em algum lado. Marco Berger é um realizador argentino, que tem por norma realizar filmes que apresentam uma temática gay. É dele os filmes “Plano B”, “Ausente” e “Hawaii”, filmes que eu já vi há algum tempo atrás e adorei (e recomendo), mas é dele também, o filme que hoje irei sugerir. Chama-se “TENSIÓN SEXUAL, VOLUMEN 1: VOLÁTIL” e na verdade, este filme é nada mais nada menos do que um conjunto de seis curtas-metragens, onde o tema principal é a tensão sexual que está em volta dos personagens, dos corpos, dos homens e sensualidade e erotismo é coisa que não falta nessas curtas. Este filme, foi escrito e realizado por Marco Berger, mas quem também assina e realiza algumas dessas histórias, é outro realizador argentino, de nome Marcelo Mónaco. Os dois em parceria, fazem aqui uma óptima dupla e o resultado é positivo. Vale a pena!

 

 

 

 

 

 

Para aqueles que conhecem o trabalho do realizador Marco Berger, com certeza já devem saber que ele tem um modo muito peculiar de contar as suas histórias. Há muitos silêncios nas suas curtas e o que mais se realça, são os olhares, os gestos e as atitudes dos personagens. Por isso, na falta de muito diálogo, às vezes as histórias podem tornar-se aborrecidas mas mesmo havendo algumas cenas muito estáticas, o filme num todo está muito bem conseguido e é impossível ao longo das seis histórias diferentes, não ficarmos também nós com uma certa tensão sexual. Os protagonistas transpiram sensualidade e erotismo por todo o lado e dá gosto vê-los. Apesar de haver pouca acção (sexual), o filme está repleto de provocações. De jovens com a testosterona ao máximo e eu tenho a certeza que vocês irão gostar.

 

 

 

STV-DVD

 

 

 

Vejam agora algumas imagens do filme, com os respectivos nomes das curtas e depois, no final, deixem os vossos comentários em relação ao filme no geral, ou então em relação a alguma curta que tenham gostado em especial.

 

 

 

Ari

 

"Ari"

 

 

 

El Primo

 

"El Primo"

 

 

 

El Otro

 

"El Otro"

 

 

 

Amor

 

"Love"

 

 

 

Los Brazos Rotos

 

"Los Brazos Rotos"

 

 

 

Entrenamiento

 

"Entrenamiento"

24
Fev16

Filme | Deadpool (Tim Miller_2016)

Deadpool_02


 


Sendo eu um fã de todo o universo MARVEL, já seria de se esperar que mais cedo ou mais tarde, eu fosse ao cinema ver o filme do novo super-herói da Marvel. Estou a falar de “DEADPOOL”, se bem que, o próprio personagem é o próprio a admitir, de que ele não se trata de nenhum super-herói. Sendo assim, o que é este “Deadpool”? Eu diria que é um filme fora do normal (no que diz respeito aos super-heróis que já conhecemos) mas é um filme que até merece a nossa atenção. E não! Não digo isso apenas por causa do seu protagonista. Pois caso não saibam, eu tenho uma enorme paixoneta pelo Ryan Reynolds. O homem é lindo, tem um corpo que é uma coisa doida, é bom actor e neste “Deadpool”, ele mostra-nos uma faceta de vilão/herói mas não só! Neste filme ele mostra-nos ainda um outro lado romântico. Sim! Para aqueles que estão na dúvida do que se trata este filme, posso mesmo dizer que “Deadpool” é mesmo um filme romântico. É mesmo daqueles filmes onde o herói salva a sua donzela e o filme acaba com ele a beijar a sua amada. Ups!! Creio que já aqui revelei o final do filme mas não interessa! Pelo lado romântico, pelo lado agressivo, pelo lado matador e também pelo lado cómico, este filme merece mesmo uma ida ao cinema. Não tenham é grande expectativas em relação a ele pois este filme, na minha opinião, tem apenas uma nota média mas... no que diz respeito à beleza (e a nudez) do protagonista, este filme tem mesmo a nota máxima. E olha que os mais atentos (que foi o meu caso), vão até durante o filme, conseguir ver o pénis do Ryan. Ou melhor! O que vão ver é mesmo o pénis do “Deadpool” e nada mais...


 


Deadpool_01


 


Acompanhado com um refrigerante e um balde de pipocas (que pecado!!), fui ver este filme sem grandes expectativas. Na verdade, apesar de adorar tudo o que está em volta da Marvel, eu depois de ter visto alguns trailers do filme, não tinha assim grande curiosidade em relação a ele. Não fazia mesmo nada questão de o ver e isso porque, todos os trailers davam a sensação de que aquele seria um filme muito parvo, um filme muito fora do normal e realmente é isso que se passa com “Deadpool”. O filme até pode confundir-se com uma paródia a um outro filme de super-heróis mas não! O filme é original e na verdade não passa de uma grande brincadeira entre produtores, realizador, argumentistas e artistas. O próprio filme não para de gozar-se a si próprio e isso até tem piada. Aliás, o próprio personagem, goza de si próprio, e até goza com o actor que lhe dá vida. Mas tudo isso é mostrado com grandes efeitos especiais e com muitas indirectas em relação a outros filmes do género (de super-heróis) e não só! Eu optei por ir ver o filme depois de ler pela net algumas criticas em relação a ele e não me arrependi. Ou melhor! Arrependi-me sim mas foi de encher a barriga de pipocas e refrigerantes. Em relação ao filme, depois de um dia esgotante, soube mesmo bem largar algumas gargalhadas e eu recomendo. Passem pelo cinema, vejam o filme e depois partilhem a vossa opinião.


 


Deadpool_03_poster


 


Ah! E para quem não está muito familiarizado com os filmes da Marvel (que parece que é muita gente), recomendo que fiquem na sala até ao final do filme. E quando falo em final, estou a referir-me até mesmo ao final dos créditos. E porquê? Vão ver que terão uma surpresa...

23
Fev16

Encontrei a minha cara metade (e idêntica!) pelo Grindr...

Tentem imaginar a cena: Vocês estão em casa, sem fazer nada e de repente, dá-vos aquela louca vontade de terem sexo com um homem. Agarram no vosso smartphone, ligam-se à vossa app favorita de engate e por lá, tentam encontrar o vosso homem, aquele que está disposto a ter sexo contigo. Depois de uma longa busca, trocas algumas palavras com alguém que demonstrou interesse e parece interessante. Ele envia-te algumas fotos do seu corpo, do seu pénis e de repente, nessas fotos onde o homem mostra toda a sua envergadura, tu notas que há ali algo de muito familiar, não só no aspecto físico do homem, como também nos locais onde as fotos foram tiradas. É então que pedes a ele para mostrar-te uma foto do rosto e quando dás de caras com a sua cara, apanhas um valente susto que faz com que nunca mais tenhas coragem de ir a esses apps de engate.


 


E chega agora de palavras para descrever o vídeo que agora partilho com vocês. Vejam e tenham a prova uma vez mais de como este mundo é realmente muito pequeno.


 



 


Segundo o que o vídeo diz, essa pequena história é baseada em acontecimentos reais mas... com tanto homem que se encontra no Grindr, ele teve logo que engatar aquele?! O que vocês acham disso tudo??

22
Fev16

Um Homem na Cozinha | Tacinhas de Frango com Pimentos

Um-Homem-na-Cozinha_Tacinhas_de_Frango


 


Na semana passada, na estreia de UM HOMEM NA COZINHA, apresentei-vos uma receita com inspiração indiana e hoje, dou um salto até ao continente americano, para vós apresentar uma receita com inspiração mexicana. É que eu, para além de adorar comida japonesa e comida indiana, sou ainda um fã da comida mexicana. Adoro! Enfim! O que eu adoro mesmo é comer e se a comida for boa, seja de que país for, eu terei todo o prazer em comer.


 


A receita de hoje, são de umas TACINHAS DE FRANGO COM PIMENTOS. Eu adoro frango! É talvez das carnes que eu mais aprecio e sou também um apaixonado por pimentos. Adoro-os! Seja verde, vermelho, amarelo ou laranja, eu adoro pimentos e eles estão presentes em muitas das coisas que eu faço. Por isso, juntar duas das coisas que eu mais gosto na cozinha, só iria dar mesmo bom resultado. E não é para me gabar mas o resultado final, seja em termos visuais, ou em termos de gosto, foi realmente muito positivo. Eu adorei e o pessoal cá de casa também adorou. Acharam interessante essa forma diferente de comer as tortilhas que eu compro com alguma frequência. Por norma, o que eu faço com elas são os famosos wraps mas há uns dias atrás, quando seguia o programa “Os Segredos da Tia Cátia” no 24Kitchen, ela apresentou uma sugestão diferente com as tortilhas e eu, que tenho sempre vontade de apresentar mais e depois fazer, aceitei aquela sua sugestão e resolvi fazer essas tacinhas. Para uma entrada, acho que elas são perfeitas e fica muito bonito no prato de qualquer pessoa. E no estômago também! Por isso, se queres surpreender alguém, aqui fica a receita e... bom apetite!!


 


Tacinhas de Frango com Pimentos_1


 


INGREDIENTES:


 


Tortilhas | Peito de Frango | Pimentos | Cebola | Alho | Gengibre | Malagueta | Salsa | Tomate Cherry | Alface Iceberg | Açafrão em Pó | Caril | Azeite | Queijo Cheddar | Natas | Manteiga | Sal e Pimenta q.b.


 


PREPARAÇÃO:


 


_Corte um peito de frango às tiras, ou então, mande vir já do talho cortado às tirinhas. Coloque o frango numa taça e tempere-o com azeite, sal e pimenta, uma colher de sopa de açafrão em pó e uma colher de chá de caril. Mecha tudo muito bem e reserve o peito de frango temperado no frigorífico.


 


_Com os pimentos, corta-se igualmente em tiras semelhantes às do peito de frango. Como adoro pimentos, para está receita usei uns mini pimentos que se vendem em embalagens nos supermercados. Usei um pimento amarelo, um laranja, e um vermelho e depois de cortado às tiras, reserva-se.


 


_Pica-se uma cebola e um dente de alho e reserva-se. Faz-se o mesmo com um pouco de gengibre e meia malagueta, isto apenas para os que gostam de sabores mais spicy.


 


_Com as folhas de tortilhas, pega-se em pequenas taças que possam ir ao forno e coloca-se as tortilhas dentro delas, de forma a que a tortilha ganhe o formato da própria taça. Liga-se o forno a 180º, para que depois as taças possam ir ao forno.


 


_Quando tudo já está previamente preparado para começar a cozinhar o frango, prepara-se primeiro um molho de queijo com pimentos. Numa frigideira, coloca-se um pouco de azeite, com cebola picada, pimentos (amarelo e laranja) cortados em pedaços pequenos, meia malagueta e deixa-se refogar. Quando a cebola já estiver com uma cor diferente, junta-se cerca de 150ml de natas. Mistura-se tudo e só depois, junta-se cerca de 200g de queijo cheddar cortado aos pedaços, com uma colher de sopa de manteiga. Mistura-se tudo, até ficar homogéneo. Rectifica-se temperos e reserva-se para usar mais tarde.


 


_Coloca-se as tortilhas no forno, quando este já tiver quente e dá-se inicio à preparação do frango.


 


_Numa frigideira larga, coloca-se o azeite, juntamente com o gengibre e a malagueta e deixa-se refogar durante um tempo. Junta-se depois o peito de frango e quando este ganhar uma cor diferente, acrescenta-se à frigideira a cebola picada juntamente com o alho e ainda os pimentos cortados. Em lume alto deixe tudo cozinhar mas fazendo com que os pimentos fiquem ainda num meio termo entre o cozinhado e o cru e rectifica-se temperos.


 


_Quando as tortilhas já estiverem estaladiças, terem ganhado uma cor e conseguirem aguentar-se com o formato de taça, está então na hora de recheia-las com o preparado de frango com os pimentos. Começa-se primeiro com uma boa dose de alface iceberg cortada também às tiras. Por cima, coloca-se uma colher cheia do molho de queijo e só depois é que coloca-se o frango com os pimentos. Para dar um toque final, acrescenta-se tomates cherry cortados em quartos e ainda, salsa grosseiramente picada.


 


Tacinhas de Frango com Pimentos_2


 


Para semana cá estarei com uma nova receita e... de onde é que eu irei agora buscar inspiração? Será na Europa, na Ásia, na América, onde será? Tenham a continuação de um óptimo dia e para a semana, terão a resposta a essa pergunta, acompanhada com um novo prato que eu tenho a certeza que irão gostar. E nunca se esqueçam, um homem, tanto se quer na cama, como também na cozinha...

20
Fev16

Mas que dia...

Onde eu trabalho os fins de semana são sempre de matar. Por isso, hoje estou mesmo muito, muito cansado. Mas agora que estou sentado no sofá já a descansar,  consigo perceber que o meu cansaço nem é tanto pelo trabalho pesado, nem é tanto um cansaço físico. Acho que estou mais cansado é por causa dos colegas. Por eles estarem sempre a falarem mal uns dos outros. Por eles nunca se darem ao trabalho de ajudarem os outros. Por eles às vezes não fazerem realmente nada. Apenas param para conversarem com outros colegas e o resto que se lixe. Sim! É por isso que eu estou cansado.

Vou agora ver um pouco de TV e depois vou-me deitar. Amanhã é mais um dia de trabalho e vou passar pelo mesmo. Por isso, vou mesmo tentar descansar ao máximo a minha cabeça, que bem está a precisar.

20
Fev16

Curta | Meu melhor amigo (é gay!)

Como é que irias reagir, se um dia, de um momento para o outro, descobrisses que o teu melhor amigo é gay? Irias virar-lhe às costas? Irias agredi-lo, humilha-lo e nunca mais falar com ele? E como é que o teu amigo reagiu quando descobriu que tu és gay? Sim! Porque à partida, eu tenho noção de que este blog é acompanhado por gays e por isso, a pergunta deverá ser feita ao contrário. Mas esquecendo as perguntas, vou mas é partilhar com vocês uma curta-metragem que vi recentemente, gostei e por isso recomendo que vejam. E claro! A curta tem tudo a ver com um amigo, que descobre que afinal sempre teve um amigo gay...


 



(se o vídeo falhar, tentem este link...)

19
Fev16

Filme | Beira-Mar (Filipe Matzembacher e Marcio Reolon_2015)

BeiraMar01


 


Hoje estive à beira-mar. Ou melhor dizendo, hoje vi o filme “BEIRA-MAR” e... gostei! E até recomendo. O filme não é assim nada de especial mas vale a pena. E apesar de muito diferente, é díficil não olhar para este “Beira-Mar” sem lembrar-me do maravilhoso “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”. Ambos são filmes brasileiros, ambos contam com personagens adolescentes (se bem que este filme apresenta personagens mais velhos) e ambos contam uma história de amor entre dois amigos. Ou melhor! Será mesmo uma história de amor? Claro que se me perguntarem agora, quais dos dois filmes eu gostei mais, a verdade é que teria sempre que escolher a história do jovem cego que se apaixona pelo seu novo colega de turma. No entanto, este “Beira-Mar” também é um bom filme. Não teve o mesmo impacto que o outro mas foi na mesma bem recebido pela crítica e apesar de aspectos negativos, a verdade é que eu gostei.


 


Eu já tinha ouvido falar deste “Beira-Mar” há algum tempo e lembro-me que na altura, apesar do trailer pouco ou nada mostrar, eu fiquei muito curioso em relação a ele. Por isso, assim que consegui ter acesso ao filme, não esperei nem um segundo. Dei play e vi este filme com toda a atenção que ele merecia. Num todo, eu volto a dizer que o filme até está muito bom mas infelizmente, no que diz respeito ao enredo, acho que deixa muito a desejar. O filme é curto, vê-se rápido e talvez por ser curto é que dá para tolerar certos silêncios incomodativos. É que o filme para além de não ter muita história, também tem poucos diálogos. “Beira-Mar” centra-se na viagem que dois grandes amigos (já de longa data) fazem até ao litoral do Rio Grande do Sul no Brasil e ficam instalados numa casa de praia que pertence aos pais de um dos personagens. Curiosamente, ao ver o filme, ficamos logo a saber que a casa fica junto à praia, à beira-mar (e talvez daí venha mesmo o título do filme), mas só conseguimos deslumbrar o mar, na cena final do filme. Uma cena que deixa muito a desejar, pois quando o filme parece que está a avançar e que agora sim, o filme vai começar a sério, a cena é interrompida com o final do filme. Um final que não deu direito a explicações, não deu direito a conclusões, simplesmente acabou. E na minha opinião acho que deveria ter havido uma explicação. Ao menos, deviam tentar explicar melhor o porque daquela viagem. O porque de um pai mandar um filho visitar uns familiares distantes e... enfim! Há coisas que erraram, mas também houve coisas que acertaram.


 



 


Protagonizado por Mateus Almada (Martin), que é sem dúvda nenhuma um patinho feio e ainda pelo jovem Maurício José Barcellos (Tomaz), em que esse sim, é um querido, “Beira-Mar” é escrito e realizado pela dupla Filipe Matzembacher e Marcio Reolon. Infelizmente, este filme é mais um daqueles que certamente nunca irá passar pelos nossos canais de televisão, mas é também um filme que pode ser visto por toda a familia. Sim! Apesar de haver um sequencia de sexo entre dois jovens rapazes, este filme pode ser visto por todos. Até porque a cena está perfeita. O momento do sexo é delicado, é querido, é emocionante e... vale a pena! Por isso, tenta arranjar algum tempinho livre nessa tua vida tão atribulada e arranja maneira de ver este “Beira-Mar”. Depois já sabes, partilha a tua opinião comigo.


 


Boa noite a todos e bom fim de semana. Sim! Porque o fim de semana já está aí à porta, apesar de no meu caso, eu ficar os dois dias a trabalhar.


 



Sinopse: Martin (Mateus Almada) viaja ao litoral do Rio Grande do Sul para visitar parentes distantes e convida Tomaz (Maurício José Barcellos) para acompanhá-lo. O rapaz aceita a proposta de imediato, na esperança de reaproximar-se do amigo. Vivendo por dias em um universo à parte, o da viagem, os jovens exploram suas diferenças, refletem sobre o distanciamento surgido entre eles e se permitem a experiência de um interesse romântico. O mar, frio e revolto no inverno, é elemento essencial na composição desta jornada pessoal — os personagens isolam-se em uma casa de vidro na praia.

19
Fev16

Vejo na TV | Arrow (AXN)

arrow-3a-temporada


 


Hoje volto a partilhar com vocês, uma série que eu adoro e que VEJO NA TV. Ultimamente não tenho tido muito tempo para ver televisão, mas ainda há certas séries que eu faço questão de ver. E o ARROW é uma dessas séries. Nunca perco nenhum novo episódio e apesar da série já estar na sua quarta temporada, eu continuo a ver cada episódio, com o mesmo entusiasmo que tinha quando via os primeiros episódios da primeira temporada. Adoro-a! E para aqueles que tal como eu vêem a série, digam-me lá com sinceridade: Arrow tem muitos motivos para adorar, não é verdade?!


 


3809109-4985651191-Arrow


 


(Maravilhosos motivos para  ver a série não é? Qual deles o melhor?)


 


Actualmente em Portugal, a série está a ser apenas exibida no canal AXN às segundas. Confesso que esse é um mau dia para sentar no sofá e ver a série e por isso, graças às novas tecnologias, eu tenho gravado a série para ver em dias futuros. Se bem que, neste momento tive que fazer uma pausa (obrigatória) na série e isso, porque esta série faz algo muito inovador e interessante. Por diversas vezes, a série “Arrow” junta-se com uma outra série de super heróis e que eu também adoro. Estou a falar do "The Flash”, que actualmente está na sua segunda temporada, mas que infelizmente não é transmitida em nenhum canal em Portugal. As duas séries juntam histórias e o que neste momento aconteceu, é que através do “The Flash” deu-se inicio a uma história, que depois só irá terminar num episódio do “Arrow”. Confusos?! Não! Se conhecerem ambas as séries, acho que percebem a dinâmica delas. E o motivo da minha pausa em relação ao “Arrow” é mesmo esse. Há uns dias atrás, no AXN, foi para o ar, um episódio em que a sua história tinha dado inicio no “The Flash” e como eu ainda não vi a segunda temporada dessa série, acabei por não perceber nada. Aliás! Decidi não ver aquele episódio do “Arrow” até ao fim, fazer uma pausa na série e de otras maneiras, assistir à segunda temporada do “The Flash”. É que ambas as duas (e agora acho até que há uma terceira), têm sempre que serem vistas em simultâneo. Na América isso acontece. Uma série dá num dia e a outra, dá logo no dia a seguir mas aqui em Portugal estamos atrasados. Parece que ainda nenhum canal por cabo quis apostar no “The Flash” e... olha! Paciência!


 


Arrow-Season-4-Trailer-Olicity-oliver-and-felicity


(Eu diria que eles fazem o casal perfeito. Mas não! Para ser perfeito, ele teria que estar era a beijar a mim...)


 


Falando apenas no “Arrow”, que tem como protagonista o maravilhoso, o delicioso, o todo poderoso, o bonito, o forte, o magnífico Stephen Amell, por quem eu sou literalmente apaixonado, esta série apresenta muitos momentos de acção, momentos descontraídos, momentos que nos fazem ainda chorar, rir, enfim... na minha opinião, este “Arrow” tem todos os atributos para ser considerada uma excelente série. E como eu adoro todo o universo dos super-heróis (mais os da Marvel do que os do DC Comic), é óbvio que eu tinha que amar esta série.


 


E vocês? O que acham de toda a série? Costumam ver? Têm algum personagem favorito? O que é que costumam ver na televisão? Fico à espera dos vossos comentários para assim, partilharmos mais, todos os nossos ‘gostos’ televisivos...

Pág. 1/3

Os meus blogs

Calendário

Fevereiro 2016

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829

Mais sobre mim

Projeto | Eu Sou Gay

Tens algo a dizer?

Comentários recentes

  • Anónimo

    Exatamente!!! Excelente esse tutorial, se seguir i...

  • Mauro

    o Sergio Marone é um gatão.

  • Anónimo

    914370704

  • Anónimo

    Tem o livro? Quer vender?

  • Anónimo

    Olá tens previsão para a segunda temporada??

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Sigam-me no Twitter

Quer ler histórias MORE?

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.